Cyril Despres conquista sua primeira vitória pelo novo time Yamaha - crédito: Marcelo Maragni/Webventure

Resumo da 4ª etapa

4ª Etapa – domingo 28/7
Percurso: Uruaçu (GO) – Porangatu (GO)
Deslocamento inicial:  31 km
Trecho de especial:  233 km
Deslocamento final:  25 km
TOTAL:  289 Km

Terreno: Foi uma etapa de quilometragem baixa, mas o ritmo continuou a crescer. A especial começou com piso bom com velocidades variando de média a alta, alternando trechos de piçarra com estradas cascalhadas. Contou com trechos de longas retas, mas onde o piso não ajuda muito. A especial começou a ficar travada e sinuosa com estradas de fazenda e trilhas, seguindo assim até o abastecimento de motos, quadriciclos e UTVs. Na última parte a prova ficou travada, entrando nos 20 quilômetros finais com retas maiores com muitas depressões e erosões.

Cyril Despres conquista sua primeira vitória pelo novo time Yamaha - crédito: Marcelo Maragni/Webventure

Cyril Despres conquista sua primeira vitória pelo novo time Yamaha - crédito: Marcelo Maragni/Webventure

COMO FOI A 4ª ETAPA

O quarto dia de prova da 21ª edição do Rally dos Sertões foi especial para o francês Cyril Despres, bicampeão do Sertões (2006 e 2011), que hoje conquistou sua primeira vitória pela equipe Yamaha Racing, com quem está fazendo sua estreia. O espanhol Marc Coma (KTM) terminou em segundo, mas se mantém na liderança com vantagem de apenas 1min40. O português Paulo Gonçalves (Speedbrain 450 Rally) foi o terceiro e caiu uma posição na geral, ocupando agora o terceiro lugar. A disputa nas Motos está eletrizante: em quatro etapas, três vencedores diferentes de três marcas diferentes.

“Primeira especial que venço com Yamaha, então é um dia bastante especial para mim e para a equipe. Foi a especial mais emocionante da minha vida, bem aberta com alguns buracos. O começo foi num ritmo tranquilo. No abastecimento, eu estava a 1min13 do Marc (Coma) e ai passei a forçar mais. A uns 20 km do final eu cometi um pequeno erro e perdi um pouco de tempo, o que é muito quando se trata de um competidor como o Marc na sua frente”, contou o francês, que subiu para a segunda posição na classificação.

Marc Coma continua líder na geral após a 4ª etapa - crédito: Eric Schroeder/webventure

Marc Coma continua líder na geral após a 4ª etapa - crédito: Eric Schroeder/webventure

Para Coma (KTM), o dia transcorreu tranquilo: “Dia rápido, tranquilo e sem problemas. A pista estava muito boa para acelerar e explorar o potencial da moto”, resumiu. Para o português Paulo Gonçalves, que está na disputa direta com Coma e Despres e caiu para a terceira posição na geral, o importante é manter a concentração. “Dia bem legal, sempre muito duro e um início extremamente rápido. Está sendo um ótimo rali. Terceiro de novo e ainda não estamos nem na metade, então vamos nos manter concentrados”.

Entre os brasileiros, o melhor do dia foi Deni do Nascimento (KTM), que terminou na quinta colocação, mas na geral Ike Klaumann (Honda Moto de Rally) é o melhor brasileiro, na sétima posição. “O dia começou bem gostoso, do jeito que prefiro andar, em trechos rápidos e sinuosos e foi assim até a parte da serra com as subidas e descidas. Enquanto eu não me acostumar 100% com a moto eu não vou forçar nestes trechos. Eu havia chegado no (Michael) Metge, mas na parte travada ele voltou a abrir. Depois do abastecimento voltamos a uma parte mais lenta e depois voltou a ficar rápido e consegui andar melhor. A estratégia é manter o foco para não desconcentrar, porque eu quero muito terminar este rali. Vou aproveitar os dias rápidos para acelerar o máximo que puder e nos outros vou ser conservador. Agora, eu espero que os outros dias também sejam de especiais bem rápidas”, disse Deni.

Denísio "Deni" do Nascimento foi o brasileiro melhor colocado na 4ª etapa - foto do arquivo pessoal do piloto

Denísio "Deni" do Nascimento foi o brasileiro melhor colocado na 4ª etapa - foto do arquivo pessoal do piloto

A competição tem mostrado até agora um grande equilíbrio nas motos. E ficou evidente neste domingo (28), na disputa da quarta etapa, que teve largada em Uruaçu e chegada em Porangatu, ambas em Goiás. Após o português Paulo Gonçalves e o espanhol Marc Coma saírem vitoriosos nos dias anteriores, chegou a vez do francês Cyril Despres, que dominou a especial de hoje. Entre os brasileiros, Ike Klaumann, da Equipe Honda Mobil de Rali, ficou com o 10º tempo no dia, o suficiente para manter o posto de melhor brasileiro com a sétima posição no acumulado da categoria. Marc Coma segue na liderança com 7h39min51s.

“Eu não penso em ser o melhor brasileiro. Tenho feito uma pilotagem segura, consciente. Infelizmente tivemos duas baixas na equipe e isso mexe de certa forma conosco. Preciso manter o meu ritmo, sem sustos”, afirma o catarinense de Rio Negrinho Ike Klaumann.

Ike Klaumann continua sendo o brasileiro melhor colocado, com a 7ª posição geral - Crédito: Dfotos/VipComm

Ike Klaumann continua sendo o brasileiro melhor colocado, com a 7ª posição geral - Crédito: Dfotos/VipComm

Dário Júlio e Jean Azevedo, companheiros de Ike na Equipe Honda Mobil de Rali, puderam tirar toda a potência da Honda CRF 450X nas retas e completaram a especial na oitava e nona colocações, respectivamente. “Foi uma especial muito rápida. Longas retas e velocidade alta em fazendas e lavouras”, relata Dário. “Achei uma prova traiçoeira, com erosões e lombas. Apesar do trecho rápido, qualquer descuido poderia me levar a um tombo”, conta Jean, pentacampeão da prova.

A 21ª edição do Rally dos Sertões completa sua metade nesta segunda-feira (29) e chega ao estado do Tocantins com a primeira parte da etapa maratona, na qual os pilotos não podem ter ajuda externa das equipes de apoio na manutenção das motos. Após largada em Porangatu (GO), os competidores percorrerão 487 quilômetros de trajeto total, sendo 295 de trechos cronometrados (especiais), até chegarem em Natividade (TO).

Os companheiros de escuderia Nielsen Bueno e Guto Klaumann estão fora do Rally do Sertões 2013 - fotos de divulgação

Os companheiros de escuderia Nielsen Bueno e Guto Klaumann estão fora do Rally do Sertões 2013 - fotos de divulgação

Nielsen Bueno e Guto Klaumann, que abandonaram a prova no sábado em razão de dois acidentes, comentaram o fim de suas participações. “Larguei com o intuito de dar o meu melhor e correr sem erros. Sabia que tinha condições para isso. Durante a especial, tirei uma boa diferença para o Metge (Michael), que estava na minha frente. Sinalizei várias vezes para que ele me deixasse passar. Continuei andando na poeira dele e, na saída de uma zona de radar, colidi com uma pedra. Na queda, fraturei o pulso direito. Estou muito triste com o que ocorreu, pois estava bem na prova e confiante. Se ele (Michael) tivesse me deixado ultrapassar nada disso teria acontecido”, revela Nielsen. “Após o reabastecimento fiz uma curva para a esquerda e não vi uma pedra. Acabei me chocando com ela e tive uma queda. É uma pena sair da prova. O importante é que estou bem”, comenta Guto. Durante o dia, a Equipe Honda Mobil de Rali teve uma boa notícia: Nielsen Bueno e Guto Klaumann irão acompanhar seus companheiros no restante da competição.

Resultado 4ª etapa Motos (extra-oficial):
1º CYRIL DESPRES 02:38:14
2º MARC COMA 02:38:38
3º PAULO GONCALVES 02:40:08
4º RUBEN FARIA 02:41:56
5º DENI DO NASCIMENTO 02:44:02
6º MICHAEL METGE 02:44:20
7º JAKUB PRZYGONSKI 02:45:00
8º DARIO JULIO 02:45:51
9º JEAN AZEVEDO 02:46:24
10º IKE KLAUMANN 02:47:06

Resultado acumulado Motos (extra-oficial):
1º MARC COMA 07:39:51
2º CYRIL DESPRES 07:41:32 +00:01:40.6
3º PAULO GONCALVES 07:43:17 +00:03:26.1
4º RUBEN FARIA 07:53:07 +00:13:15.4
5º JAKUB PRZYGONSKI 07:59:17 +00:19:25.3
6º MICHAEL METGE 07:59:47 +00:19:55.3
7º IKE KLAUMANN 08:01:40 +00:21:48.1
8º DARIO JULIO 08:05:01 +00:25:09.9
9º DENI DO NASCIMENTO 08:06:24 +00:26:32.6
10º JEAN AZEVEDO 08:13:47 +00:33:56.2

CRONOGRAMA E DISTÂNCIAS DO RALLY DOS SERTÕES 2013:

COMO SERÁ A 5ª ETAPA – SEGUNDA-FEIRA 29/07
Percurso: PORANGATU (GO) – NATIVIDADE (TO)
Deslocamento inicial: 82 km
Trecho de Especial: 295 km
Deslocamento final: 110 km
TOTAL: 487 km

Terreno: Mais um dia completo. A especial começa por estradas menores com muitas erosões e depressões em uma região montanhosa. Depois segue por um pequeno trecho de trial, e logo à frente começam estradas de piso bom e sinuoso, seguindo por partes de alta velocidade até o abastecimento de motos, quadriciclos e UTVs. Depois disso a especial volta a ter trechos bem travados e segue por vários quilômetros alternando estradas de pedra, areia e muita piçarra. No trecho final, ela fica bem rápida e sinuosa.

 

Confira os resumos anteriores:

1ª e 2ª etapas

3ª etapa