Reuniões técnicas definem mudanças nos regulamentos das competições 2010

Reuniões técnicas definem mudanças nos regulamentos das competições 2010

Reuniões técnicas definem mudanças nos regulamentos das competições 2010

Entre as primeiras ações promovidas em 2010, a diretoria da Federação Catarinense de Motociclismo (FCM) promoveu, nos dias 20 e 21 de janeiro, duas reuniões técnicas para aperfeiçoar o nível técnico de suas competições promovidas na temporada.

Pilotos, preparadores, chefes de equipes, diretores de trails clubes, representantes de pilotos e motoclubes tiveram representação significativa nos encontros comandados pelo presidente da FCM Onílio Cidade Filho.

“Dinamizar as competições, definir critérios, inclusive, aqueles relacionados à segurança dos pilotos, foram algumas das tratativas de enfoque nestas reuniões”, comentou Kiko.

A reunião técnica do dia 20 realizada no Hotel Lunes, em São José, foi reservada aos envolvidos diretamente nas provas do Velocross. O Campeonato começará no dia 21 de março com término nos dias 20 e 21 de novembro. A competição começa e termina em Witmansun. Entre as propostas apresentadas e aprovadas, destaque para a antecipação dos treinos das 10 para as 9 horas. As provas, que tradicionalmente aconteciam às 13 horas tiveram suas largadas antecipadas para às 12 horas. A temporada do Velocross será marcada pelo mínimo de cinco e máximo de 10 provas. “Com isso, vamos dar mais dinâmica à programação das etapas”, comenta Kiko. O calendário de provas, bem como os locais de disputas, serão confirmados nos próximos dias através do site da FCM.

Nessa reunião também ficou comunicado a extinção da categoria 180cc (2T). Mudanças também nos tempos de provas, que ficaram assim definidos: as classes 50cc e 65cc serão disputadas em baterias de 10 minutos mais duas voltas; as classes de motos nacionais e a VX3 serão de 14 minutos mais duas voltas, e por fim a VX1 e a VX2 passam agora a ter baterias de 16 minutos mais duas voltas

Um dos participantes da reunião, o piloto Leandro Matos Lemos, aprovou a iniciativa da FCM de discutir o regulamento em conjunto com os pilotos. “O que eu destaco de mais importante da reunião é a interação entre a FCM e os pilotos, a troca de informação, nós tivemos a chance de mostrar a nossa opinião e decidir o que é melhor para o campeonato em conjunto com a diretoria”, disse.

Outras alterações, só que para serem colocadas em prática na temporada de 2011, foram discutidas, porém elas ainda serão analisadas por uma comissão especial formada por cinco integrantes e que foi criada especialmente para discutir as mudanças. Entre as propostas destaque para a redução do número de categorias de forma a fazê-las em duas baterias. A categoria 250cc Nacional poderá ser incorporada à Força Livre Nacional ou ter limitação de 300cc, seguindo uma tendência de mercado. As categorias Júnior e 230cc poderão ter nova denominação: 230cc Estreante e 230cc Pro. A participação de pilotos nestas categorias ficará condicionada a critérios como o currículo e suas participações nas Copas e nos Campeonatos.

As modalidades de Todo Terreno – A reunião técnica mais concorrida aconteceu no dia 21 de janeiro no Hotel Brigmann, no bairro Estreito, em Florianópolis. Foi a que tratou do regulamento das provas de Todo Terreno: o Cross Country, Regularidade e de Enduro. Poucas mudanças foram sugeridas para as etapas. As discussões que pautaram o encontro foram comandadas pelos mediadores Marisérgio Francisco Kons (Enduro), Wolfgang Carlos Fischer (Regularidade) e Antônio Carlos Celva (Cross Country).

Cross Country – Ficou decidido que as provas do Cross Country serão realizadas no primeiro semestre. A abertura acontece nos dias 27 e 28 de fevereiro em São Bento do Sul, seguindo para Guabiruba (3 e 4 de março); Blumenau (27 e 28/03); Gaspar (10 e 11 de abril); Brusque (24 e 25 de abril); Itajaí (15 e 16 de maio) e Gaspar (5 e 6 de junho).

Regularidade – Em relação a Regularidade, foi reforçada a proibição à participação de pilotos menores de 18 anos de idade. A apuração será feita por GPS, constituindo-se na principal novidade da categoria. Provas com até 120 quilômetros serão disputadas num prazo de 4 horas. As disputas, obrigatoriamente, terão que ser cumpridas com o mínimo de 50 quilômetros por etapa. Serão incluídas zonas de radar adicionando três segundos de tolerância para os adiantados. As provas terão largada sempre às 10 horas e as inscrições poderão ser feitas até às 21 horas das sextas-feiras. Será obrigatória a apresentação da planilha através da internet.

Ficou deliberado também pelo descarte N-2 repete os dois melhores resultados do piloto. A bonificação será aplicada até quatro pilotos em uma única categoria. Para pontuar, o piloto terá que passar no primeiro Ponto de Controle (PC) da prova. Os participantes da reunião técnica aprovaram, também, a criação da categoria Over 50.

Enduro F.I.M. – As novidades da temporada para o Enduro ficaram por conta da criação de times com até cinco inscritos com pontuação para os três melhores desde que em categorias diferentes. Ficou aprovada a criação da categoria Over 45. Foi aceito também o descarte N-1 a ser aplicado, eventualmente, a pilotos domiciliados na cidade mais próxima ou na sede do evento. Os mediadores defenderam a adoção de uma maior atenção a infraestrutura das provas, com enfoque na segurança para a categoria especial. Um parque fechado e diferenciado do parque de trabalho também foi uma questão defendida pelos mediadores.

Motocross – Assim como nos anos anteriores o estadual de motocross terá como base o Regulamento da Confederação Brasileira de Motociclismo – CBM. A temporada terá início no mês de março, tendo como possíveis cidades para a abertura Indaial ou São José. A confirmação da data e de qual das duas cidades sediará a primeira etapa será feita nos próximos dias.

A categoria intermediária foi um dos destaques de competividade e equilíbrio durante toda a temporada 2009 do Riffel MX. Entretanto para a final em São Miguel do Oeste, Victor Feltz e Maicon Kraemer chegaram disputando o título, sendo que Feltz levou a melhor. E para manter esse mesmo equilíbrio, o campeão e o vice sobem agora para as classes “pró” e terão que correr agora na MX2 ou MX1.

Já para os pilotos mais experientes está aberta a possibilidade da criação de uma categoria MX4. Como o nome sugere, a categoria seria destinada a pilotos com mais de 40 ou 45 anos.

Calendário de Provas: Regularidade
1ª – Nova Trento – 06 e 07 de março
2ª – Caçador – 27 e 28 de março
3ª – Paulo Lopes – 10 e 11 de abril
4ª – São Bento do Sul – 15 e 16 de maio
5ª – São Ludgero – 05 e 06 de junho
6ª – Camboriú – 26 e 27 de junho

Enduro – 1ª – Biguaçu – 20 e 21 de março
2ª – Lontras – 17 e 18 de abril
3ª – Armazém – 22 e 23 de maio
4ª – São Bento do Sul – 12 e 13 de junho
5ª – Jaraguá do Sul – 03 e 04 de julho
6ª – Balneário Camboriú – 17 e 18 de julho

Cross Country – 1ª – São Bento do Sul – 27 e 28 de fevereiro
2ª – Guabiruba – 03 e 04 de março
3ª – Blumenau – 27 e 28 de março
4ª – Gaspar – 10 e 11 de abril
5ª – Brusque – 24 e 25 de abril
6ª – Itajaí – 15 e 16 de maio
7ª – Gaspar – 05 e 06 de junho