Rodolpho Mattheis é o melhor brasileiro nas motos

Rodolpho Mattheis é o melhor brasileiro nas motos

Rodolpho Mattheis é o melhor brasileiro nas motos

Rodolpho Mattheis, piloto da Equipe Petrobras Lubrax, é o brasileiro melhor colocado entre as motos desta edição do Rally Dakar, que acontece até o dia 17 de janeiro na América do Sul.

O piloto obteve o 34º melhor tempo do dia, mantém a 25ª colocação no acumulado e é o líder na categoria Maratona até 450cc. “É cedo para falar que estou confiante para ganhar a categoria, tem muita coisa pela frente. Só sei que vou continuar rumando nessa direção, pois estou no caminho certo”, contou o piloto que compete com uma KTM 450.

Hoje o rali percorreu o maior trecho cronometrado da competição, num total de 600 quilômetros contra o relógio, foram mais de sete horas de prova. O francês Cyril Despres foi o vencedor do dia e lidera no acumula do.

Na categoria Carros, a dupla Jean Azevedo /Emerson “Bina” Cavassin também fez uma boa etapa. Tentando deixar para trás os dias em que sofreram diversos problemas mecânicos, a dupla ficou entre os 20 primeiros colocados – a 18ª posição do dia. Nasser Al-Attiyah/Timo Gottschalk venceram a etapa de hoje, mas seus companheiros de equipe, os espanhóis Carlos Sainz e Lucas Cruz continuam na liderança da competição.

Espírito de equipe – Na manhã de hoje o trio do caminhão Tatra André Azevedo/Maykel Justo/Mira Martinec não largou, portanto, não poderão continuar na briga por posições. Durante o trecho de ontem, a turbina do caminhão quebrou, e embora o trio conseguisse finalizar a etapa de madrugada, o problema mecânico continuou até o dia seguinte. “Fizemos um reparo provisório e chegamos até o final da etapa bem tarde. Nossos mecânicos vararam a noite, mas não foi o suficiente para estarmos com o caminhão pronto para a largada de hoje. De acordo com o regulamento do Dakar, como não largamos, não estamos mais na briga”, explicou o piloto André Azevedo.

A meta agora é ajudar os outros integrantes da Petrobras Lubrax. “Somos uma equipe e o rali ainda não acabou para nós. Iremos fazer o percurso dos veículos de apoio e prestaremos assistência à moto do Rodolpho e ao carro do Jean e do Bina (Emerson Cavassin)”, concluiu André.