Rodovia entre Ponta Grossa e Curitiba está entre as melhores do Brasil

Rodovia entre Ponta Grossa e Curitiba está entre as melhores do Brasil

Rodovia entre Ponta Grossa e Curitiba está entre as melhores do Brasil

Um dos mais importantes guias rodoviários do Brasil, o Guia Quatro Rodas, apontou a rodovia que liga Ponta Grossa a Curitiba como uma das dez melhores do Brasil.

O ranking foi divulgado neste mês e comprova que os trechos da BR-376 e BR277, administrados pela RodoNorte, estão entre os mais seguros e confortáveis para se trafegar. O trecho entre Curitiba e Paranaguá, administrado pela concessionária Ecovias, também foi apontado com um dos melhores.

Repórteres e editores do Guia Quatro Rodas passaram a metade do ano percorrendo 250 mil quilômetros de rodovias pelo Brasil. Entre os principais itens levados em consideração na pesquisa estão a qualidade asfáltica, sinalização horizontal e vertical e infra-estrutura, como postos de combustível, serviço de atendimento ao usuário e postos de polícia ao longo do percurso.

A concessionária RodoNorte oferece, especificamente no trecho apontado pelo Guia Quatro Rodas, duas bases do Serviço SOS Usuário e um Centro de Atendimento ao Usuário. Nos 567 quilômetros de rodovias administrados pela concessionária são sete bases SAUs e quatro CAUs. Todos os trechos contam com monitoramento 24 horas, realizado por viaturas de inspeção, guinchos pesados e leves, ambulâncias e carros de apoio.

Além disso, a rodovia recebeu uma série de melhorias nos últimos dez anos. O pavimento foi restaurado, a sinalização totalmente renovada, com pintura de faixas e implantação de novas placas; foram construídos novos sistemas de drenagem, além da recuperação de acostamentos e dos serviços freqüentes de limpeza da rodovia e seus arredores. Na Serra de São Luiz do Purunã, por exemplo, foram realizadas correções geométricas que alteram o traçado das curvas e as superelevações, que mudam a inclinação da rodovia, tornando o trecho mais seguro. Graças a esses investimentos, o número de acidentes e a gravidade deles têm caído ano após ano.

Duas rodovias do Paraná entre os melhores
Entre as dez melhores estradas do Brasil, apenas duas estão no estado do Paraná, são elas a BR-376 e BR-277, administrados pelas concessionárias RodoNorte e Ecovias. As demais estão localizadas em São Paulo e no Rio Grande do Sul. Segundo o levantamento do Guia Quatro Rodas, as regiões Sul e Sudeste do Brasil concentram as melhores pistas, todas administradas por concessionárias.
O presidente da RodoNorte, Silvio Marchiori, ressalta o trabalho permanente que a empresa realiza para garantir a satisfação dos usuários que utilizam as rodovias. Ele lembra que nos últimos dez anos foram investimentos mais de R$ 1 bilhão em melhorias em todo o trecho administrado pela concessionária. “São investimentos importantes e que ajudam a garantir uma boa infra-estrututra para o desenvolvimento do Estado”, disse. Ainda segundo Marchiori, a concessionária deve investir mais R$ 1,5 bilhão nos próximos anos.

As 10 melhores estradas do Brasil
1ª) SP-348 (Bandeirantes) – São Paulo-Cordeirópolis (SP) – Administrada pela AutoBAn, foi eleita pelo Guia Quatro Rodas a melhor rodovia do país (foto) pelo terceiro ano consecutivo. Alternativa para a movimentada Via Anhangüera, é exemplo de rodovia moderna e segura, com amplo canteiro central, telefone de emergência a cada quilômetro; os poucos postos de combustível são muito bem estruturados.
2ª) SP-160 (Imigrantes) – São Paulo-São Vicente (SP) – Para construir uma rodovia praticamente sem curvas, a concessionária Ecovias abusou da arrojada engenharia ao abrir túneis para preservar a Mata Atlântica e viadutos ao longo da serra do Mar. É a mais rápida e curta ligação entre a capital e o litoral, porém nos feriados prolongados formam-se grandes congestionamentos na praça de pedágio – um dos mais caros do país – e na chegada às cidades praianas.
3ª) SP-280 (Castello Branco) – São Paulo-Espírito Santo do Turvo (SP) – O movimento é tão intenso até Barueri (km 25) que foi preciso fazer pistas laterais, mas com pedágio na ida e na volta. Cuidado com a neblina freqüente em todo o percurso e vento lateral a partir de Boituva (km116). Domingos e feriados fica proibido o tráfego de caminhões entre Tatuí (km129) e a capital. É administrada por três concessionárias: Viaoeste, Colinas e SPVias.
4ª) SP-070 (Ayrton Senna/Carvalho Pinto) – São Paulo-Taubaté (SP) – Administrada pelo Dersa, concessionária controlada pelo Governo do Estado, serve de alternativa à sobrecarregada Via Dutra, sendo o melhor acesso da capital para o litoral norte, Vale do Paraíba e Campos do Jordão. Apresenta traçado moderno e seguro, mas poucos e estruturados postos de combustível..
5ª) SP-310 (Washington Luís) – Limeira-São José do Rio Preto (SP) – As concessionárias Centrovias e Triângulo do Sol administram a estrada que liga o final da Rodovia dos Bandeirantes com o norte do estado, atravessando importante região agropecuária. Cuidado com os fortes ventos laterais em todo o roteiro, sobretudo entre Araraquara (km 273) e Catanduva (km 382).
6ª) SP-330 (Anhangüera) – São Paulo-divisa SP/MG (SP) – O traçado antigo até Limeira é o mais movimentado. Nos 170 quilômetros seguintes, cuidado com freqüentes queimadas nos canaviais às margens da rodovia, até Ribeirão Preto. Faz parte do sistema Anhangüera-Bandeirantes, administrado pela AutoBAn.
7ª) BR-290 (Freeway) – Osório-Porto Alegre-Eldorado do Sul (RS) – Principal acesso da Capital ao litoral gaúcho, foi a primeira rodovia de pista dupla e pioneira administração por concessionária no estado. É a única no país com emissora de rádio exclusiva, basta sintonizar a FM 88,3.
8ª) BR-040 (Washington Luís) – Rio de Janeiro-divisa RJ/MG (RJ) – Administrada pela concessionária Concer, tem traçado sinuoso e sujeito a neblina em todo o percurso. Redobre a atenção nos 20 quilômetros da serra de Petrópolis, onde pode ocorrer queda de barreira.
9ª) SP-225 (Com. João Ribeiro de Barros/Engº. Paulo Nilo Romano) – Bauru-Itirapina (SP) – Com duplicação recém-concluída pela concessionária Centrovias, a moderna estrada bem no meio do estado passa por Jaú, capital do calçado feminino, e Brotas, capital do turismo aventura.
10ª) BR-277/BR-376 (Rodovia do Café) – Paranaguá-Curitiba-Ponta Grossa (PR) – Administrados pelas concessionárias RodoNorte e Ecovias. De março a setembro o tráfego de caminhões transportando soja para o porto de Paranaguá é tão intenso que chega a formar longas filas na rodovia. O tempo ganho na segura pista dupla compensa uma visita ao Parque Estadual de Vila Velha, à beira da estrada. Fonte: Guia Quatro Rodas