Foto: Rodrigo "Lama", piloto do Team Honda na categoria 85cc

Rodrigo “Lama” é campeão brasileiro de motocross

Foto: Rodrigo "Lama", piloto do Team Honda na categoria 85cc

Foto: Rodrigo "Lama", piloto do Team Honda na categoria 85cc

Piloto do Team Honda levou o título nacional por antecipação na categoria 85cc; Na MXJr, Thales Vilardi fica muito perto da taça em Cachoeiro do Itapemirim (ES)

O sergipano Rodrigo “Lama” é o primeiro campeão nacional da temporada no Team Honda. O piloto faturou o título inédito do Campeonato Brasileiro de Motocross da categoria 85cc com uma rodada de antecipação, durante a sétima etapa, realizada neste domingo no circuito Wilson Yasuda, em Cachoeiro do Itapemirim (ES). Outro desempenho positivo da equipe foi a vitória do paulista Thales Vilardi, que ficou muito próximo da taça na categoria MXJr. A grande decisão do campeonato será realizada nos dias 30 e 31 de agosto, em Rio das Ostras (RJ).

Enquanto comemorou bons resultados, a equipe também enfrentou contratempos. Depois de estar em primeiro lugar na corrida da MX1 com um forte ritmo, Leandro Silva sofreu uma queda e terminou em quinto na bateria. Agora, o paranaense precisa vencer na final e contar com uma combinação de resultados envolvendo o atual líder João Marronzinho para assegurar o título. Na MX2, o Team Honda teve de adiar o objetivo de conquistar a taça. O paulista Marcello “Ratinho” saiu na frente na largada, mas caiu na primeira curva e teve de abandonar a prova. O fato abriu caminho para Rodrigo Selhorst conquistar o titulo antecipado.

85cc – A corrida da 85cc foi praticamente toda ditada pelo ritmo dos pilotos do Team Honda Cézar Zamboni, do Mato Grosso, e Lama. Os dois se revezaram na liderança, sendo que o sergipano precisava a penas de um terceiro lugar. Na última volta, Lama foi ultrapassado por Endrews Armstrong e confirmou o título – apenas um ponto na classificação eliminou as chances de título dos concorrentes. Rodrigo “Lama” está com 146 pontos, contra 119 de Cezar Zamboni, que assume a vice-liderança da categoria. Everaldo Filho, que também representa a equipe, está machucado e não participou da etapa, caindo para a terceira posição com 105 pontos.

“Tenho trabalhado bastante e estou muito feliz. Fiz uma corrida tranqüila, pois o meu objetivo maior era conquistar o título, e infelizmente o Everaldo não está aqui. Só tenho a agradecer a todos que me apóiam. Esse resultado vai para toda a região Nordeste”, dedicou Lama. Gerente de competições da Honda do Brasil, Wilson Yasuda comentou a conquista. “Sempre trabalhamos essa categoria de base e o desempenho vem melhorando a cada temporada. Tivemos três pilotos Honda brigando pelo título.”

MXJr – O início da bateria da MXJr foi eletrizante. Hector Assunção (Team Honda), largou na frente, mas caiu logo no início, enquanto Thales Vilardi estava em nono lugar. Gustavo Takahashi (Team Honda) assumiu a ponta, que passou pelas mãos de outros pilotos, como Gabriel Gentil e Anderson Cidade, atual vice-líder. Determinado, Thales foi ganhando posições e, cada vez mais, subindo degraus para a conquista do título. Na metade da prova, conseguiu assumir a ponta e teve de mostrar habilidade para suportar a pressão de Cidade. Minutos depois, o piloto do Team Honda conseguiu respirar com mais tranqüilidade: impôs um forte ritmo, abriu vantagem e levou a bandeira quadriculada. Com a vitória, Thales soma 150 pontos, contra 131 de Cidade.

“Não fiz uma boa largada, mas consegui andar forte. O Anderson Cidade fez muita pressão e chegamos a nos tocar durante a corrida, mas foi uma disputa limpa, com bastante respeito. Vou trabalhar muito para conquistar o campeonato, que é o mais importante na última etapa”, explicou Thales Vilardi.

MX2 – O desfecho da categoria MX2 foi totalmente inesperado. Marcello “Ratinho” seguia vivo na briga pelo título, saiu na frente na largada, mas caiu logo na primeira curva. O piloto mordeu a língua, machucou o queixo, demorou muito tempo para fazer a moto pegar e se viu na última colocação (27o lugar). Ele ainda voltou para a prova, mas acabou abandonando e abrindo caminho para que Rodrigo Selhorst confirmasse o título inédito. O piloto rondoniense venceu a prova e fez 145 pontos na tabela, contra 117 de Ratinho, adiando o objetivo do Team Honda na categoria.

“Infelizmente caí na primeira curva, depois de uma ót ima largada, e não consegui voltar para brigar pela vitória. Mas prometo não baixar a cabeça e treinar bastante, já que tenho mais dois campeonatos pela frente na temporada”, avaliou Ratinho, referindo-se aos Campeonatos Brasileiros de Arena Cross e de Supercross, cujo início será em setembro. “Queria muito este título e vou trabalhar dobrado no ano que vem para conquistar a taça”, prometeu o piloto.

MX1 – Leandro Silva teve uma largada impressionante na MX1: fez uma ultrapassagem entre Pipo Castro e Marronzinho e disparou na frente. Impôs um ritmo extremamente forte, não dando chance aos adversários. Porém, aos seis minutos de prova, o paranaense caiu em uma íngreme subida, que ainda exigiu que o piloto descesse alguns metros para fazer a motocicleta pegar para retornar à prova.

O revés foi suficiente para que Marronzinho as sumisse a liderança, enquanto Leandro Silva caiu para a décima colocação. O piloto se esforçou para retomar posições, conquistando o quinto lugar, mas não havia mais tempo para brigar pela vitória. O resultado afastou Leandro do líder, já que ele tem 117 pontos e Marronzinho, 137.

“Não acredito que o campeonato está terminado. A temporada está sendo marcada por muitas surpresas e a disputa só será definida com a bandeirada final”, lembrou o paranaense, contando o que ocasionou a queda. “Eu vinha num ritmo muito forte e tentei fazer um traçado sem buracos. O terreno na pista é bem duro e as duas rodas da motocicleta acabaram escapando. Só Deus sabe o que teria acontecido nessa corrida se eu não tivesse caído justamente na subida, que dificultou a minha volta à prova”, continuou.

7a Etapa do Brasileiro de Motocross – circuito Wilson Yasu da, Cachoeiro do Itapemirim (ES)
Resultados das corridas

MX1 – 1. João Paulino “Marronzinho”
2. Roosevelt de Freitas Assunção
3. Cristopher Castro
4. Swian Zanoni
5. Leandro Silva (Honda CRF 450R)

MX2 – 1. Swian Zanoni
2. Rodrigo Selhorst
3. Dudu Lima (Honda CRF 250R)
4. Rafael Zenni
5. Carlos Franco

MXJr – 1. Thales Vilardi (Honda CRF 250R)
2. Anderson Cidade
3. Gabriel Gentil
4. Rodrigo Rodrigues
5. Higor Passos
7. Gustavo Takahashi (Honda CRF 250R)
9. Hector Assunção (Honda CRF 250R)

85cc – 1. Cézar Zamboni (Honda CRF 150RB)
2. Endrews Amstrong
3. Rodrigo Lama (Honda CRF 150RB)
4. Eduardo Rudnick
5. Leonardo Lizott

Honda CRF 230 – 1. Carlos Mendes Franco
2. Marcos Roza de Moraes
3. Nivaldo Viana
4. Leandro de Lima
5. Thiago Melo