ronaldinho-gaucho-traxx-motos-1

Ronaldinho Gaúcho e seu role de moto (com a TRAXX)

Que o ex-jogador Ronaldinho Gaúcho é o rei dos roles aleatórios ninguém duvida, principalmente depois que o boa praça surgiu tocando atabaque na cerimônia de encerramento da Copa do Mundo de futebol, na Rússia. O, digamos, ‘samba russo’ lembrou os momentos musicais da Seleção Brasileira de 2002 e precisou de poucos instantes para viralizar na internet, com criativa produção de memes. Logo, surgiram imagens de R10 nos mais diferentes cenários e companhias, de festa na piscina à bloco hospitalar, e foi impossível não lembrar momentos curiosos da carreira do gaúcho… como quando ele foi garoto propaganda da Traxx.

Ronaldinho Gaúcho, o rei dos roles, também já se aventurou nas motos. Ex-craque foi garoto propaganda da Traxx em 2011, substituindo Ivete Sangalo

Ronaldinho Gaúcho, o rei dos roles, também já se aventurou nas motos. Ex-craque foi garoto propaganda da Traxx em 2011, substituindo Ivete Sangalo

O fato aconteceu em 2011, quando a chinesa Traxx oficializou o então meio-campista do Flamengo como seu novo embaixador. Na época, a empresa afirmou que a escolha se deu pela trajetória de sucesso profissional e também pelas características da personalidade do atleta. Na ocasião, o coordenador de Comunicação marca, Dennis Renner, explicou que a alegria do craque corresponde ao conceito utilizado pela montadora: ‘é fácil ser feliz’. “O futebol do Ronaldinho sempre foi muito leve, bem humorado. É o velho futebol-arte que traz alegria a todos”, explicou Renner, em 2011. Se você acha que a história já é curiosa até aqui, é interessante lembrar que Ronaldinho Gaúcho chegou para substituir Ivete Sangalo, então garota propaganda da empresa. Sair uma cantora e entrar um jogador de futebol? Pode isso, Arnaldo?

Ronaldinho Gaúcho e seu ‘role aleatório’ de moto

Ronaldinho Gaúcho durante encerramento da Copa do Mundo 2018

Ronaldinho Gaúcho durante encerramento da Copa do Mundo 2018

Com o contrato assinado e câmeras ligadas era hora do jogador mostrar seu futebol alegre contracenando com modelos da marca, como a trail Fly 135, a cub Sky 125 e até mesmo ciclomotores de 50 cc, como a Star. O roteiro era, no mínimo, inusitado. Em um comercial de 30 segundos, enquanto a locução dizia “A Traxx Motos apresenta Ronaldinho Gaúcho, a maior fera dos gramados, e a nova Fly 135, a maior fera fora deles” o craque driblava cones ao mesmo tempo em que a moto contornava os objetos, lado a lado, como num duelo. No final da disputa, a motociclista tirava o capacete e mostrava seus belos traços de modelo, surpreendendo – e arrancando o tradicional sorriso – do jogador.

O comercial não era exatamente engraçado, mas tinha o tom leve que a proposta ‘é fácil ser feliz’ buscava. Em outra peça, o ‘ator’ brincava com o bagageiro interno da Sky 125, que nos pés nas mãos do craque deixava de ser um porta-capacete para se tornar o lugar perfeito para guardar uma bola de futebol (chutada do meio do campo, claro). Em um terceiro material, Ronaldinho dizia ‘Confiança a gente não adquire da noite pro dia. Precisa de um tempo de estrada – e a Star tem. Há oito anos é a cinquentinha mais vendida do Brasil… ou você acha que a gente faz sucesso só porque é bonitinho?”.

Traxx Motos no Brasil

A chinesa Traxx passou a operar sua fábrica no Brasil em 2007. Com grande estratégia de marketing e logística, com concessionárias também no Norte e Nordeste, marca se consolidou principalmente no segmento de ciclomotores... e ruiu junto dele

A chinesa Traxx passou a operar sua fábrica no Brasil em 2007. Com grande estratégia de marketing e logística, com concessionárias também no Norte e Nordeste, marca se consolidou principalmente no segmento de ciclomotores… e ruiu junto dele

logo_traxx

Se ter Ronaldinho Gaúcho como garoto propaganda fez as vendas da Traxx decolarem é impossível garantir, mas certamente custou alguns milhares (ou milhões?) de reais à empresa e contribuiu à sua agressiva campanha de marketing. A marca chinesa com fábrica no Brasil (inaugurada em 2007) possuía densas campanhas publicitárias e estratégias de gestão, além de disponibilizar ampla gama de modelos no País – anexando à lista até mesmo a bigtrail monocilíndrica Dunna 600.

Traxx Motos vendia cub's, ciclomotores, trails, nakeds, streets e até mesmo uma big trail, a Dunna 600 (foto). Aliás, se pensarmos bem, a chinesa montava até quadriciclos por aqui. Porém, operações da empresa encerraram entre 2015 e 2016

Traxx Motos vendia cub’s, ciclomotores, trails, nakeds, streets e até mesmo uma big trail, a Dunna 600 (foto). Aliás, se pensarmos bem, a chinesa montava até quadriciclos por aqui. Porém, operações da empresa encerraram entre 2015 e 2016

Com isto, tinha metas audaciosas para o nosso mercado (como crescer 100% em um ano), mas que aos poucos foram sucumbindo à realidade. Dentre os principais fatores que levaram a marca a encerrar suas atividades por aqui (o que aconteceu entre 2015 e 2016) está o maior rigor na regularização dos ciclomotores, medida que também afetou – e dificultou a vida – de outras marcas, como a Dafra. Sem a venda de ciclomotores, carro-chefe da marca (ainda mais como os mercados do Norte e Nordeste), as operações da Traxx se tornaram inviáveis.

Separador_motos



Jornalista gaúcho convicto de que um passeio de moto em um dia de sol é a cura para praticamente todos os males da vida. Fã de motoaventurismo, competições de moto, café, praia e de rock n roll.