Foto: Bitenca

Sahara ou Falcon, Novas Kasinski, Rodas SM, Gasolina e aditivos.

Foto: Bitenca

Foto: Bitenca

Bitenca, preciso de uma dica sua, a situação é a seguinte: achei uma Honda Sahara ano 98 com 54000km. Mecânicamente a moto está impecavél levei pro meu amigo e mecânico analizar e ele aprovou a moto, e esta 100% original, salvo componentes de desgaste natural como pneus, freios e etc, e claro a pintura está um pouco desbotada por causa da idade e alguns riscos frutos dos anos de uso, não tem amassados ou arranhões profundos ou pontos de forte oxidação, nem sinais de que sofreu algum acidente. A duvida é: pretendo usa-la em viagens curtas, coisa de 300 a 500km, é viavel? Ou uma Falcon é mais negocio? Ou são motos equivalentes? Obrigado! Luis, 36, Rio Grande RS.

R: Luis, A Sahara foi uma evolução da XLX 350, que recebeu uma “roupa” mais estradeira, principalmente a carenagem estilo Dakar, hoje presente nas big trails. Mecanicamente recebeu a partida elétrica e por esse motivo seus
componentes são mais robustos.
Igualmente a Falcon é uma evolução da Sahara. Os engenheiros partiram da motorização dela, adicionando várias modificações no motor que
essencialmente, só permanece igual o cabeçote. O chassi foi totalmente redesenhado, assim como as suspensões e parte elétrica. O foco dessa moto saiu de uma aptidão estradeira, com proteção da carenagem para uma versão mais urbana, com uma distribuição de peso mais conveniente a manobras rápidas e um motor bem mais forte.
A Falcon, até por ser a evolução natural da série iniciada pelo grande sucesso da XL 250 R abriga toda evolução dessa linha tão importante da
Honda. As próximas versões deverão ter injeção eletrônica e refrigeração líquida.
Quanto a sua escolha Luis, para o uso que você tenciona dar à moto, o mais importante é procurar por uma unidade de bom estado geral, porque você não vai querer ter que levá-la na oficina toda hora. Escolha um modelo que esteja em melhor estado geral, dentro das suas possibilidades financeiras. Boa sorte

Foto: Oficina Kasinski - Motonac SP - Bitenca

Foto: Oficina Kasinski - Motonac SP - Bitenca

Gostaria de parabenizá-los pelo excelente site !!! Foi o único em que encontrei respostas precisas e claras a respeito de problemas técnicos no modelo Mirage 250 (2009/2010) da Kasinski. Estou muito inclinado a comprá-la, mas ainda tenho dúvidas sobre a qualidade dela. Ao vivo é muito bonita, tem presença. Mas, mecanicamente, tenho lido reclamações em excesso na internet. Me preocupa… Parabéns a todos vocês do Motonline !!! A partir de agora vou “visitá-los” e consultá-los sempre. Abraços. Breno, 26, São Luis, MA.

R: Pois é Breno, essa empresa está sofrendo um processo de grandes mudanças. A Kasinski foi recentemente comprada pelo grupo CR-Zongshen e passa por uma reestruturação completa. Prometem resolver todos os problemas, vamos ver se conseguem. Continuamos torcendo. Abraços e obrigado

Olá Bitenca! Possuo uma Lander e pretendo trocar os aros dela por uns de alumínio da mesma medida dos originais. O aro traseiro é fácil encontrar, mas o dianteiro é difícil pois a medida original é 1,60×21, acredito que isso é em polegada. O que se encontra nas lojas é 1,85×21. Fazendo cálculos e transformando essas medidas em milímetros, descobri se usasse esse aro de 1,85×21, eu teria um acréscimo de 7mm na largura do aro. Isso pode prejudicar de alguma forma a ciclística e o pneu da moto, já que o pneu utilizado é o de medida 80/90. Obrigado! Jonny, 35, Florianópolis, SC.

Jonny, o aro da sua Lander pode ser trocado por esse. Teoricamente o aumento da largura de uma roda dianteira vai retardar as reações em entradas de curva, favorecendo percursos em linha reta. Mas o aumento da largura em 7mm representa 3,5mm no raio da curvatura do pneu, que é na verdade o que conta. Essa variação é bem pequena e o resultado pode ser imperceptível na prática. Boa sorte,

Bitenca, no manual da BROS ESD 2009 aconselha o uso de gasolina comum, mas não condena o uso da aditivada. Na concessioná¡ria, os mecânicos são unânimes de que é melhor usar somente aditiviada. Algumas pessoas falam que a aditivada pode corroer alguns componentes internos do motor. Outras falam que usando sempre a aditivada o motor ficará sempre limpo e consequentemente longe das carbonizações. Afinal de contas, a gasolina aditivada pode ser usada sem problemas? Porque essas divergências de informações do manual para a concessionária? É verdade essa história de corrosão? Qual a verdadeira diferença da aditivada para a comum? Mais uma vez parabens pelo site e obrigado pela atenção. Franklin, 26, Itabaiana, SE

Franklin, a gasolina aditivada tem esse nome porque se adicionam a ela elementos que melhoram suas características. Não faria sentido aditivar uma gasolina se ela fosse mais corrosiva que a comum. De fato, elas têm esses aditivos porque com eles a ação corrosiva do álcool, presente no nosso combustível é menor. Porém, cada marca adiciona elementos diferentes ao seu
combustível portanto fique atento às respostas do seu motor a cada tipo de gasolina que usa. Fique com a que lhe convier, desde que conforme com o especificado pelo fabricante. Abraços,