xj6-2018-2

Saiba o preço e as novas cores da Yamaha XJ6 2018 ABS

Depois de novidades nas 321cc MT-03 e YZF R3, a Yamaha também está antecipando a linha 2018 para outro modelo consagrado de seu lineup: a XJ6. A naked passa a ser oferecida nas cores Racing Blue (azul metálico) e Matt Grey (cinza fosco metálico), também contando com novos grafismos, exclusivos para o mercado brasileiro.

XJ6 chega como modelo 2018 com novas cores e grafismos

XJ6 chega como modelo 2018 com novas cores e grafismos

Vendida com preço sugerido pela Yamaha de R$ 33.990,00, a naked XJ6N 2018 vem com freios a disco e ABS nas duas rodas de série, suspensão traseira tipo Monocross de 7 regulagens e carenagem do farol na cor da motocicleta. O ronco segue o mesmo que já é tradicional e uma marca do modelo, fruto de um motor de 600cc, com quatro cilindros em linha, de quatro tempos, 16v DOHC e escapamento 4-2-1.

Matt Grey é uma das cores da nova Yamaha XJ6N

Matt Grey é uma das cores da nova Yamaha XJ6N

Por falar em motor, neste quesito não foram divulgadas novidades para o modelo 2018 da XJ6N. Portanto, segue o mesmo propulsor refrigerado a líquido que gera 77,5cv de potência máxima, a 10.000 rpm, e 6,09 kgf.m de torque, a 8.500 rpm. O câmbio é de seis velocidades, enquanto a suspensão dianteira com garfo telescópio. Equipada com pneus Metzeler de 120/70 na dianteira e 160/60 na traseira, e com capacidade de 17 litros no tanque de combustível, a moto tem peso líquido de 210 kg.

O preço sugerido da XJ6 é de R$ 33.990,00

O preço sugerido da XJ6 é de R$ 33.990,00

Pequeno resgate histórico sobre a XJ6

Sob certa óptica, a Yamaha XJ6 (tanto a versão N quanto a carenada F) chegou ao mercado como uma moto a frente de seu tempo – e recebeu severas críticas por isso. Na época em que fora lançada no Brasil, em 2010, apresentava um conceito de moto naked média que primava pelo equilíbrio do conjunto, enquanto as rivais, tais quais Honda CB 600F Hornet e Yamaha FZ6N (ambas gerando números na casa dos 100cv, contra modestos 77cv da XJ), apostavam em potência bruta. O que a Yamaha buscou quando ‘trocou’ a FZ6 pela XJ6 fora um motor mais durável a mais fácil de guiar, mas recebeu toneladas de críticas por isso.

Acontece que o mercado das duas rodas girou e as concorrentes passaram a adotar o ‘esquema tático’ da XJ6N. Motores com mais torque em baixa e menos potência final. Centro de gravidade mais baixo para uma condução mais ágil e motos com dimensões mais curtas. A CB 650F, por exemplo, eterna concorrente na briga Honda x Yamaha, adotou a mesma receita, pondo motos mais dóceis nas concessionárias. Alguns motociclistas gostaram, outros espernearam.

Para uma naked de 600 cilindradas, potência bruta ou equilíbrio? O assunto já deu muito pano pra manga em grupos de motociclistas e no fórum do Motonline. E será que já não estaria no momento de mexer um pouco mais da XJ6 (que vendeu 1.016 unidades em 2016, contra 1.410 das CB 650F e 1.626 da MT-07), que não teve mudanças significativas em seu motor desde o lançamento, há sete anos? Isto só os números de venda dirão.

Separador_motos



Jornalista gaúcho convicto de que um passeio de moto em um dia de sol é a cura para praticamente todos os males da vida. Fã de motoaventurismo, competições de moto, café, praia e de rock n roll.