Saldo das carteiras de financiamento de veículos bate recorde e encerra 2010 em R$ 188,6 bilhões

Levantamento da Anef (Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras) aponta recorde no saldo total das carteiras de CDC (Crédito Direto ao Consumidor) e Leasing para aquisição de veículos pelas pessoas físicas que atingiu R$ 188,6 bilhões no ano passado. “2010 foi excepcional para todo o setor. O crescimento foi de 19,9% nas carteiras de financiamento em relação a 2009, superando nossa projeção inicial de encerrar o ano com R$ 185 bilhões”, avalia Décio Carbonari de Almeida, presidente da Anef.

Deste valor, R$ 140,3 bilhões correspondem à carteira de CDC, que registrou acréscimo de 49,1% sobre 2009 (R$ 94,1 bilhões). Já o Leasing fechou em queda de 23,5%, passando de R$ 63,2 bilhões em dezembro de 2009 para R$ 48,3 bilhões em dezembro de 2010.

Vendas no mercado interno
As vendas a prazo de veículos e comerciais leves representaram 63% do total comercializado em 2010, sendo 46% financiados por meio de CDC, 11% por Leasing e 6% por entregas de Consórcio. No segmento de veículos comerciais (caminhões e ônibus), o Finame liderou com 69% das negociações. Na sequência vieram o CDC com 12%, o Leasing (incluso Finame Leasing) com 7% e, por último, o Consórcio, responsável por 2% das vendas.

Em relação às vendas de motocicletas, 51% foram financiadas por meio de CDC, 26% por Consórcio e 1% ocorreram por meio de Leasing.

Juros e inadimplência
A taxa média de juros praticada pelas associadas à Anef em dezembro de 2010 foi de 1,42% ao mês (18,44% ao ano), mantendo-se estável em comparação ao mesmo período de 2009. Já a inadimplência acima de 90 dias para as operações de CDC fechou 2010 em 2,6% ante 4,4% em 2009. “Esse é o menor índice desde 2006 quando estava 3,3%”, complementa Almeida.

Os planos médios de financiamento ficaram em 44 meses em 2010, frente a 42 meses observados em 2009.

Perfil da frota
Outro dado do balanço anual da Anef mostra que 57,3% da frota estimada de 29,3 milhões de veículos e comerciais leves em circulação no Brasil possui financiamento ativo, um volume correspondente a 16,8 milhões de unidades financiadas. Desse total, 69,7% têm alienação fiduciária gerada por operações de CDC ou Consórcio; 25,1% possuem arrendamento mercantil e 5,2% contam com algum outro tipo de financiamento (penhor mercantil, reserva de domínio, etc).

No segmento de veículos comerciais (caminhões e ônibus), da frota estimada de 1,5 milhão, 66,7% (1 milhão) são financiados, dos quais 74,3% possuem alienação fiduciária (CDC ou Consórcio); 19,5% possuem arrendamento mercantil e 6,2% têm algum outro tipo de financiamento (penhor mercantil, reserva de domínio, etc). Já em relação às motocicletas, da frota estimada de 14,7 milhões, 65,3% (9,6 milhões) estão financiadas. A divisão ocorre da seguinte forma: 82,7% possuem alienação fiduciária (CDC ou Consórcio), 4,7% arrendamento mercantil e 12,6% possuem algum outro tipo de financiamento (penhor mercantil, reserva de domínio, etc).