Jan Messias

Santana do Cariri(CE), a Chapada dos Dinossauros

 

Um dia inesquecível na companhia de Jan Messias (125cc) e Luís Cristiano (1250cc) em ritmo de 125cc, devagar, sim; na velocidade que permitia curtia a estrada e a paisagem

Um dia inesquecível na companhia de Jan Messias (125cc) e Luís Cristiano (1250cc) em ritmo de 125cc, devagar, sim; na velocidade que permitia curtia a estrada e a paisagem

A meteorologia anunciava chuva leve e se tem uma coisa que funciona no Nordeste é previsão de chuva e de seca. Como era uma chuva leve seria divertido. E foi uma das mais interessantes viagens que fizemos.

Nossa missão era ir à busca da história da Chapada dos Dinossauros – um lugar que fica encravado na Chapada do Araripe, Ceará, distante cerca de 160 km de Iguatu em estrada asfaltada em boas condições.

Chegamos à Santana do Cariri e de cara descobrimos que a Chapada dos Dinossauros é muito mais que apenas isso – além de linda e exuberante tem muitos caminhos desconhecidos da grande maioria e isso atiçou ainda mais a nossa curiosidade.

Leia o texto e veja as fotos. Nossa viagem está apenas começando.

A Chapada dos Dinossauros

 

Santana do Cariri(CE) - A Guia Gabriela (abaixo esq.) nos apresentou o acervo

Santana do Cariri(CE) - A Guia Gabriela (abaixo esq.) nos apresentou o acervo

Os fósseis da Bacia Sedimentar do Araripe são conhecidos e estudados desde a época do Brasil Colônia, quando em 1800, João da Silva Feijó, naturalista brasileiro, descreveu em relatório ao governador da Capitania do Ceará, a ocorrência de petrificações de peixes (ictiólitos), provenientes da região do Cariri.

A região é motivo de grande estudo desde o século XIX onde inúmeras expedições de naturalistas europeus vieram para estudar o material fossilífero da Bacia Sedimentar do Araripe. Mas foi durante o século XX que os estudos de paleontologia na região foram intensificados e somente nas últimas décadas do século XX e início do século XXI foi que cientistas confirmaram a importância desse patrimônio de relevância internacional. Hoje é a juventude do lugar que promove movimentos para proteção dos principais sítios de interesse paleontológico. Um deles é o jovem Leonardo Barbosa Araújo.

 

A parte mais importante da rica coleção está nas mãos de cientistas que levaram e ainda não devolveram as peças

A parte mais importante da rica coleção está nas mãos de cientistas que levaram e ainda não devolveram as peças

Fundado em 1985 o Museu passou a operar com todas as peças em 1991, data na qual foi incorporado à Universidade Regional do Cariri – URCA, passando a integrar o núcleo de pesquisa e extensão passando a ser o principal equipamento do Geopark Araripe. Em 2010 deu-se a última reforma que culminou na atual estrutura.

O material fossilífero exposto no Museu registram milhões de anos de valiosas informações sobre a formação do planeta e a evolução da vida na Terra. A Bacia Sedimentar do Araripe tem as maiores jazidas fossilíferas do período Cretáceo do Brasil e do mundo. A qualidade de preservação de seus fósseis é devido às condições singulares de evolução a que foi submetida essa bacia que produziu um vasto e rico afloramento fossilífero a céu aberto nos arredores da Chapada do Araripe. É fácil ver pisos e paredes revestidos com pedra fossilizada, a chamada Pedra Cariri.

A coleção é composta por grupos da fauna e flora ricamente representados por vegetais (troncos silicificados, flores, raízes, talos, impressões de folhas e sementes); invertebrados (foraminíferos, gastropades, ostracódios, aranhas, escorpiões, baratas, libélulas, cigarras, mosquitos, cupins entre outros); vertebrados (peixes cartilaginosos, peixes ósseos, anuros, tartarugas, lagartos, crocodilos, pterossauros e dinossauros).

O maior sítio de Pterossauros do Mundo

Forma como os fósseis são garimpados: abaixo à esquerda um fóssil de pterossauro; o contrabando continua e não tem fiscalização

Forma como os fósseis são garimpados: abaixo à esquerda um fóssil de pterossauro; o contrabando continua e não tem fiscalização

Capital Cearense da Paleontologia, Santana do Cariri possui o sítio paleontológico onde se encontram mais Pterossauros no mundo (o maior já encontrado em Santana tinha asas com 8 metros de envergadura) – conhecido como o ‘dinossauro voador’ viveram numa época em que África e a América do Sul ainda não tinham se separado. Mas a ciência não trouxe progresso para a região. A divulgação das descobertas de novas espécies via imprensa e comunidade científica, apenas reforçou e engrandeceu a imagem do pesquisador que na maioria das vezes omite informações cruciais como o local onde foi encontrado e dessa forma Santana do Cariri não aparece no mapa.

Descobrindo fósseis no meio do cascalho descartado

Descobrindo fósseis no meio do cascalho descartado

Para o povo de Santana, a origem do fóssil e, principalmente, a devolução do mesmo para o Museu é ponto inegociável e motivo de grande insatisfação. A população da cidade, principalmente a juventude, é revoltada com o descaso para com o patrimônio do município que poderia ser usado para atrair mais visitantes que querem conhecer tais preciosidades Pré-Históricas.

Infelizmente, no Museu está apenas uma quantidade mínima de exemplares. Os fósseis de valor relevante para o meio científico e para a visitação encontram-se em outros estados levados por cientistas para estudo e de lá não retornaram, apesar de várias promessas dos cientistas que as levaram de ‘trazê-las de volta’, mesmo com os estudos já concluídos a respeito das peças.

O mato cobre a os tótens dos sítios

O mato cobre a os tótens dos sítios

Infelizmente os políticos locais não se interessam em defender um patrimônio histórico de valor incalculável que está exposto a céu aberto e sendo dilapidado por contrabandistas já que não existe proteção do município e nem polícia ambiental. Há avisos e até placas informando sobre os sítios e do crime que é extrair e comercializar estas peças, mas não há a preservação e em alguns sítios o mato toma conta até das placas de sinalização e dos mapas do geopark.

 

 

Benigna – A milagreira Serva de Deus.

 

Benigna, a Serva de Deus, que morreu defendendo sua pureza está em processo de canonização (acima esq.); Capela da Serva de Deus, região da Chapada próxima a cachoeira do sítio Latão (dir)

Benigna, a Serva de Deus, que morreu defendendo sua pureza está em processo de canonização (acima esq.); Capela da Serva de Deus, região da Chapada próxima a cachoeira do sítio Latão (dir)

E no meio do almoço descobrimos outra incrível história. Benigna Cardoso da Silva tornou-se a Mártir da Pureza numa pequena vila hoje batizada de distrito de Inhumas, a dois quilômetros da sede de Santana do Cariri. Aos 13 anos, a menina órfã foi assassinada pelos golpes de facão por Raul Alves Ribeiro. Setenta e um anos depois a menina Benigna, como é chamada pela maioria dos moradores de Santana, tornou-se “Serva de Deus”, uma designação da Igreja Católica dada em reconhecimento dos milagres e dada antes do processo de canonização.

Recentemente a Santa Sé autorizou a abertura do processo de beatificação de Benigna Cardoso da Silva o que foi motivo de comemoração na cidade, onde a maioria das pessoas, pelas centenas de graças alcançadas e milagres, já a consideram uma santa.

A EUROVILLE uma réplica da Europa em plena Chapada do Araripe

 

Não é Gramado e nem Canela e muito menos Campos do Jordão - é no interior do Ceará, na Chapada do Araripe

Não é Gramado e nem Canela e muito menos Campos do Jordão - é no interior do Ceará, na Chapada do Araripe

Santana do Cariri tem também outras curiosidades: A Euroville (A Europa no Sul do Ceará), e a cachoeira no sítio Latão, ainda sem nome, e pouco visitada.

A Euroville nasceu do sonho de um tio já falecido, Francimar Pereira, urbanista, que morou durante 40 anos na França e sonhava construir um pedacinho da Europa quando voltasse à sua terra natal.

O Palácio de Óbidos(Portugal) fica logo no inicio do Boulevard, seguida pela Casa Grega, projeto escolhido por outro tio, por conta da sua ligação com o mar. As casas francesa, italiana e inglesa, delineiam o eixo do Boulevard. O prédio espanhol é o mais rico em detalhes e tem uma arte inspirada no artista Antoni Gaudí. Na colina uma réplica da Torre Eiffel com mais de 30 metros (10% do tamanho da original) é totalmente iluminada à noite e uma temperatura de 15 graus, deixam dúvidas: será Paris?

Outras construções compõem o entorno do lugar, como a Ponte de Madeira (feita em angico) em homenagem a existente na cidade de Lucerna na Suíça, além de um Anfiteatro Grego. A Igreja de estilo Barroco-Colonial fica na parte mais alta da colina, onde repousam seus avós e o idealizador de tudo.

Nós vamos voltar a Santana do Cariri. Há ainda muitas outras coisas a descobrir, quase esquecido onde os restaurantes fecham domingo e a vida ainda corre preguiçosa e cheia de fé.

SERVIÇO:

Onde Comer

Onde Comer

Onde Comer – Na cidade aos domingos o restaurante da Regina é o único aberto no domingo. Comida farta para três esfomeados, mais refrigerante dois litros saiu por 23 reais. No alto existe o restaurante do Mirante do Cruzeiro. Tem uma bela vista da Chapada do Araripe e a comida também é excelente e um pouco mais cara. O acesso de moto dá certo em dias secos. Choveu? Só suba se estiver em uma moto apropriada. Esportivas até que sobem. O problema é a descida na lama – fica complicado frear – e o barro gruda na roda.

EUROVILLE – Fazenda Angico -Santana do Cariri-CE – 5 quilômetros de Santana do Cariri.

Hotéis e Pousadas – Não existem, mas falem com o Leonardo que ele pode ver a possibilidade de alugar um sítio. Importante ir para passar pelo menos dois dias. Tem muita coisa pra visitar e Leonardo conhece muita gente. Ele já foi um dos guias do Museu de Paleontologia e conhece muito bem o lugar.

GuiaLeonardo Barbosa Araújo – Email – leonardobat@yahoo.com.br

APOIO CULTURAL – Make Safe – alarmes presenciais, Icamotos, Motonline, Revista Motoboy e Posto Icavel.

Esta é a 6a. da série de 24 matérias redescobrindo o Centro-Sul do Ceará.

 

Nós vamos voltar à Santana do Cariri; há ainda muitas outras coisas a descobrir

Nós vamos voltar à Santana do Cariri; há ainda muitas outras coisas a descobrir

 



Motociclista desde os 18 anos. Jornalista e apaixonado por motos desde que nasceu.