Foto: Campeão, Colatreli diz que título do SBK Series foi o mais importante da sua carreira

SBK Series promove festa de premiação e divulga novidades para 2011

Foto: Campeão, Colatreli diz que título do SBK Series foi o mais importante da sua carreira

Foto: Campeão, Colatreli diz que título do SBK Series foi o mais importante da sua carreira

Encerrada a temporada 2010, a organização do SBK Series tem muito o que comemorar. Em seu primeiro ano, a competição se consolidou como a maior do Brasil na Motovelocidade nacional e mostrou que, se dirigida com seriedade, a modalidade pode ter no Brasil o mesmo sucesso e status que tem no exterior.

Para homenagear todos os campeões da temporada, a organização da competição irá promover no dia 15 de dezembro, à partir das 19h30, no Leona Pizza Bar, a festa de premiação dos Campeões 2010. Todas as categorias – desde os amadores até os profissionais – serão premiados com troféu e certificado.

Além de premiar todos os pilotos e encerrar oficialmente a temporada 2010, a festa servirá para que a organização apresente oficialmente o calendário e as novidades para o próximo ano.

“Mais do que comemorar, temos que mostrar que já estamos trabalhando e planejando a próxima edição da competição. 2010 foi um bom ano e, se fizermos todo o nosso trabalho de forma correta, 2011 tem tudo para ser muito melhor”, destacou Bruno Corano, campeão do Pirelli SBK 2010.

Balanço de 2010

Com 12 etapas – oito válidas pelo TNT SBK e quatro pelo Pirelli SBK – a edição de 2010 do SBK Series trouxe mais de 150 mil amantes do esporte aos autódromos e recuperou o prestígio da modalidade, que volta a crescer e ganhar um número cada vez maior de adeptos.

Prova disso é o número de inscritos na competição, que cresce a cada etapa. Na Grande Final da competição, 53 motos se inscreveram para participar da prova apenas na categoria SBK, a principal da modalidade. Ao longo do ano, 210 pilotos diferentes fizeram parte do campeonato.

O público também tem crescido vertiginosamente. Se antigamente as corridas de motovelocidade não costumavam levar nem três mil pessoas ao autódromo, nas últimas etapas foi comum encontrar 10, 12 ou até 30 mil pessoas, número atingido na final da competição.

A própria direção do autódromo de Interlagos se impressionou com o sucesso da competição. “Estávamos conversando com os responsáveis pelo autódromo e eles disseram que o SBK Series hoje só fica atrás da Stock e da Truck, sendo a terceira maior competição do autódromo”, disse Aline Duda, gerente de evento da Brandworks, empresa responsável pela organização do evento.

Um dos integrantes da Comissão dos Pilotos que faz parte de todas as decisões que envolvem o evento, Bruno Corano mostra a virada que o esporte tem dado no país. “Até pouco tempo, motovelocidade era visto como esporte de vagabundo e hoje, todos tem percebido que os pilotos são um público de alto poder aquisitivo e de instrução e que o esporte tem um grande apelo”, declarou.

O sucesso do evento faz eco entre os pilotos, que apontam o ano de 2010 como o melhor da motovelocidade brasileira. Um dos mais experientes do grid, Doca compete há mais de dez anos e diz que finalmente o esporte está chegando no patamar que merece.

“Todos os meus patrocinadores já estão pensando em me ajudar ainda mais para o próximo ano e isto se deve, principalmente, a visibilidade do evento. Todos nós, pilotos, temos que agradecer e muito a criação do SBK Series”, comentou.

Campeão do TNT SBK e do SBK Series, Colatreli é mais um dos pilotos que é só elogios à competição. Competindo profissionalmente desde 2004, ele considera este ano como um marco na sua carreira e no esporte nacional.

“Nunca fiquei tão emocionado com a conquista de um título. Sonhava com isso todos os dias. Ser campeão do SBK Series é uma coisa inexplicável. Não só pelo título, mas por tudo o que a competição representa para todos nós pilotos”.

Com muito menos experiência, Maycon Zandavalli competiu profissionalmente pela primeira vez este ano mas, apesar disso, é mais um dos que só tem elogios à competição. “Não sei o que falar dos outros campeonatos mas este, com certeza, é um que anima a gente a investir e querer participar cada vez mais”, analisou.

Bruno Corano lembra os tempos antigos, em que os pilotos tinham muitas dificuldades para se organizar e pensar em patrocínio. “Todo fim de ano o patrocinador principal chegava e falava que não sabia se haveria a competição no ano que vem. Era impossível se planejar, correr atrás de um patrocinador. Graças a Deus aquele tempo acabou”, comemora o piloto.

O SBK Series já tem acordos firmados com os seus principais patrocinadores até 2015 e a certeza entre todos os pilotos é que a competição será, por muito tempo, referência na modalidade no país.

O SBK Series tem organização da Brandworks, realização da Motoschool, patrocínio de Pirelli, Kawasaki, Alemão Pneus, Alpinestars, L`acqua di Fiori, Brembo, Maxima Racing Oils e Shark, e apoio da Prefeitura da Cidade de São Paulo, São Paulo Turismo e ESPN Brasil.