Foto: Bitenca

Segredo do ar, Mais roda grande, Descompressor,

Foto: Bitenca

Foto: Bitenca

Oi, gostaria de saber se vcs podem me ajudar tenho uma yes, e ela tava dificil de partida fria mesmo com afogador, vou direto ao assunto…o isolante da vela ta branco, a agulha do pistonete ta ajustado para mistura rica e fiz o ajuste da mistura novamente e a vela continua branca…troquei a vela por uma mais fria e nao adianto, ela ta andando bem, nao da pipoco e nem falha em alta… vcs sabem o que pode estar acontecendo??? a 1 mes atras tava normal e a 2 semanas levei na revisao e essa semana resolvi ver a vela pq tva dificil a partida a frio. Jéferson 31 joinville, SC
R: Jeferson, O que me parece é que o parafuso de ar está desregulado e todo equilibrio da carburação da lenta se perdeu . Nas diversas condições de uso o melhor ajuste é o que vem da fábrica. Uma vela mais fria vai prejudicar a partida frio e teoricamente retirar mais calor da combustão em condições extremas de uso, isso é nas altas rotações e condições de carga extrema. No resto essa maior retirada de calor da combustão na verdade prejudica a partida a frio. Ponha a vela para uso normal e ajuste a agulha do pistonete no meio das canaletas, posição normal para um escapamento e filtro de ar também originais.
Para se ajustar o parafuso de ar aqui vai o maior segredo que só os melhores mecânicos sabem e praticam. Isso pode explicar como sua moto saiu da oficina pior do que entrou…
Se todo o resto foi providenciado como dito acima, comece a regulagem com 1+1/4 de volta na abertura do parafuso de ar. Com o motor bem quente e com a ferramenta adequada para não queimar as mãos, vire o parafuso de ar para mais ou para menos até que a rotação da marcha lenta fique no máximo. Retome a posição do parafuso da lenta para que esta fique na rotação especificada (entre 1000 e 1500rpm ou na rotação em que o farol não pisque mais com os pulsos do gerador) volte ao parafuso de ar e verifique novamente a posição em que este permita uma rotação máxima, sem falhas nas explosões. Ponha a mão na saida do escape e verifique no tato que os pulsos de gás são sempre iguais, sem falhas em nenhuma das explosões. Agora você tem o carburador regulado para uma perfeita mistura na lenta e melhor condição de partida. Se sua região for fria, pela manhã acione o afogador e (sempre) dê a partida sem mexer no acelerador. Ao esquentar vá voltando o afogador para a posição normal até que a lenta se estabilize na rpm usada na regulagem. Agora você pode andar normalmente.
Importante: No frio, ao dar a partida pela manhã, sem afogador a moto não funciona direito, principalmente as pequenas refrigeradas a ar como no seu caso.

Foto: Bitenca

Foto: Bitenca

Por gentileza é possível adaptar uma roda traseira mais larga como a hornet 600 em minha moto yamaha fazer 250? João, 27 Fortaleza,Ceará
R: Caro João, O limite é a largura da balança e a necessidade de se manter o alinhamento da corrente – pinhão e coroa. Esses alinhamentos devem se manter assim como a relação da transmissão final que deve ser compensada pelo aumento ou diminuição do diâmetro final da roda. A suspensão eventualmente terá que ser modificada para se colocar tudo no lugar. Soldagem e confecção de buchas e peças especiais para a fixação do freio na balança e adequação do eixo nos rolamentos da roda maior devem ser feitas também, coisa que vai lhe custar o serviço de um bom soldador e torneiro – ferramenteiro.
Essa adaptação deve ser feita por um mecânico de responsabilidade e com bom conhecimento da ciclística de uma moto pois com a roda maior todas as medidas da geometria da ciclística se alteram, como caster ou rake, trail e angulo máximo de inclinação, sem falar na mudança da distribuição de peso entre as rodas que essa modificação pode acarretar. Será que compensa? Eu sempre encaro essas modificações mais como uma experiência de aprendizado do que como uma alternativa para melhorar uma moto. As fábricas têm muito mais recursos para projetar e produzir uma máquina equilibrada e perfeita na aplicação a que se propõe. A nós resta a aventura de explorar as possibilidades desde que arcamos com os riscos (e custos).
abraços e boa sorte.

Gostaria de saber qual a função daqueles descompressores que tem nos manetes, como pode ser visto na crf 450, por exemplo. Pedro, 20 Itapira, SP
Pedro, Na verdade esse “descompressor” é um dispositivo desenhado para auxiliar na partida com o motor quente, ele aumenta a entrada de ar para a mistura de lenta que no momento da partida não deixa que o motor afogue. Diferente das antigas 2t que nesse tipo de alavanca próxima do manete de embreagem, abria uma válvula no cabeçote para que se pudesse dar umas pedaladas livres da compressão para limpar o excesso acumulado na camara de combustão. Nessas motos tambem se usava o descompressor para desligar o motor mas esse uso não era recomendado pois permitia entrada de ar sujo no cilindro que às vezes emperrava com a válvula aberta e o motor não pegava mais nem por decreto.
Nas quatro tempos antigas usava-se essa alavanquinha para abrir as válvulas para que se pudesse colocar o motor, em geral de grande cilindrada e curso longo no PMS (ponto morto superior, pintão no topo do curso) como rotina de partida no pedal. As Honda XR500 e posteriormente as 600 e 650 dos anos 90 tinham esse aparato que nas pequenas XL250, 350 era automatico, abraços.

Há três anos atrás o site motonline foi importantíssimo para que eu escolhesse minha primeira moto, uma intruder 125. Estou muito satisfeito com a moto, mas gostaria de melhorar a capacidade de frenagem dela, pois por melhor que estejam os pneus ela não tem um freio bom. O que é possível fazer? Colocar um pneu mais grosso (o que provavelmente
deixaria a moto mais bonita) ou um freio a disco atrás? Isso ajuda? Agradeço desde já pela resposta. Pedro, 31 Campo Limpo Paulista, SP
R: Pedro, Os pneus da moto são os elementos de contato com o solo e o freio sendo bom eles podem transmitir a força de uma forma eficiente para o solo, mas se o freio não segurar a roda eficientemente os pneus também não vão poder resolver a “parada”. De forma que o mais importante é que todo o sistema de freio esteja bem, com pastilhas e/ou patins bons e com o acionamento mecânico e/ou hidráulico eficiente. No caso de tambor a limpesa é mais crítica uma vez que a poeira dentro da panela prejudica o serviço dos patins de freio mas no disco também deve-se verificar que os pistões trabalham livremente tanto na compressão como no retorno, para soltar a mordida da pinça. Uma boa revisão no seu sistema deve recuperar a frenagem melhor possível para a sua moto e desde que os pneus não estajam excessivamente gastos e na pressão correta o controle das paradas deve ser suficientemente bom. A modificação para a colocação de freio a disco atrás pode melhorar, mas não muito porque o dianteiro é que faz a maior parte do serviço e a adaptação deve ser feita por um mecânico experiente e responsável, não acho que compensa.
Boa sorte