Foto: Wellington Garcia, piloto do Team Honda, representa o Brasil na categoria MX1 do Motocross das Nações 2009

Seleção brasileira treina com as motocicletas oficiais para o Motocross das Nações

Foto: Wellington Garcia, piloto do Team Honda, representa o Brasil na categoria MX1 do Motocross das Nações 2009

Foto: Wellington Garcia, piloto do Team Honda, representa o Brasil na categoria MX1 do Motocross das Nações 2009

Equipamento preparado pela equipe italiana Martin Racing traz o que há de melhor no mundo feito para as motos de cross da Honda

A seleção brasileira teve o primeiro contato com as motocicletas Honda CRF 450R e CRF 250R que irá utilizar na disputa do Motocross das Nações, marcado para este final de semana no autódromo de Franciacorta “Daniel Bonara”, Itália. A equipe treinou nesta quarta-feira na pista de Dorno, a 130 quilômetros de Brescia, onde está hospedada. O equipamento, preparado pela italiana Martin Racing, é 100% de fábrica e reúne o que há que melhor no mundo para as motocicletas de cross da marca Honda. Nesta quinta-feira, haverá nova sessão de treinos e o local está sendo definido.

As máquinas são as que disputaram o Campeonato Mundial de Motocross com os pilotos Kevin Strijbos e Marc de Reuver. Agora, estão nas mãos dos brasileiros do Team Honda Antônio Jorge Balbi Júnior , da categoria Open (450cc), Wellington Garcia, da MX1 (450cc), e Swian Zanoni, da MX2 (250cc). Este é o segundo ano consecutivo que a Martin Racing presta suporte técnico para o elenco nacional no evento considerado a Copa do Mundo da modalidade.

“Com relação à temporada passada, as motos de 450 cilindradas são completamente diferentes”, afirmou Marcus Freitas, goiano que é chefe mecânico da Martin Racing. “As suspensões Showa são de magnésio, o motor tem mais torque e a engrenagem de câmbio é mais longa. A 250cc também passou por uma grande evolução: o carburador é de magnésio e os comandos são diferentes, os mesmos que usamos no Mundial”, continuou.

Outro ponto que chama bastante atenção é que, apesar de agressivas, as máquinas são extremamente leves. “Todos os parafusos do motor e da ciclística são de titânio. Não há nenhum parafuso de ferro, e isto deixa a moto mais leve entre seis e oito quilos”, concluiu Freitas.

Os pilotos ficaram impressionados com as máquinas. “Sem dúvidas é o melhor equipamento que já tivemos para o Motocross das Nações”, garantiu o goiano Wellington Garcia, que participa pela terceira vez do evento. “A primeira impressão foi ótima e agora estamos acertando os detalhes para ganhar cada vez mais confiança na pista.”

Swian Zanoni, mineiro que mora em Nova Friburgo (RJ), também está se adaptando. “A moto é muito forte e eu estou acertando mais a suspensão. O trabalho está bem intenso e espero que a gente consiga um ótima resultado no final de semana.”

Balbi destacou a sintonia com a equipe de apoio. “Já foi uma parceria de suce sso no ano passado e o fato do Marcus Freitas ser brasileiro facilita a comunicação com os pilotos. Temos em mãos o melhor equipamento que a Honda possui no mundo. Agora só depende de nós”, concluiu o mineiro.

Formato de disputa – A principal característica do Motocross das Nações é o formato de disputa por equipes, ou seja, a soma dos resultados dos três pilotos é o que define a classificação de cada país participante. Em 2009, o evento tem recorde de inscritos, com 108 pilotos de 36 nacionalidades. Esta é a terceira temporada seguida que o Team Honda irá representar o Brasil no evento. A equipe, anteriormente formada por Balbi, Wellington e Leandro Silva, conquistou as melhores classificações da história (14º lugar em 2008, na Inglaterra, após o 16º lugar de 2007, nos Estados Unidos). O atual campeão do Motocross das Nações é o time norte-americano.

Programação* – Motocross das Nações 2009
(horário locais – cinco horas a mais com relação a Brasília)
3/10 – Sábado
10h às 10h40 – Treino livre MX1
11h às 11h40 – Treino livre MX2
12h às 12h40 – Treino livre Open
14h30 – Bateria qualificatória MX1 (20 minutos + duas voltas)
15h30 – Bateria qualificatória MX2 (20 minutos + duas voltas)
16h30 – Bateria qualificatória Open (20 minutos + duas voltas)

4/10 – Domingo
8h40 às 9h – Aquecimento Bateria B
9h10 às 9h30 – Aquecimento finalistas MX das Nações – Grupo 1
9h40 às 10h – Aquecimento finalistas MX das Nações – Grupo 2
11h – Bateria B (30 minutos + duas voltas)
13h08 – Final 1 MX das Nações – MX1 + MX2 (30 minutos + duas voltas)
14h38 – Final 2 MX das Nações – M X2 + Open (30 minutos + duas voltas)
16h08 – Final 3 MX das Nações – MX1 + Open (30 minutos + duas voltas)

* a programação é fornecida pela organização do evento e está sujeita a alterações.

O Team Honda tem apoio da Mobil, Pirelli, Showa, ASW, Polisport, Riffel, Oakley, Orbital, D.I.D., NGK, Master Freios, Pro Taper, Reebok, Griffe Correa, Yoshimura e Mega Energy.