Semper Vivus

Semper Vivus

Semper Vivus

Cento e onze anos atrás, Ferdinand Porsche fez o primeiro carro híbrido, com dois motores a combustão interna carregando baterias que por sua vez alimentavam dois motores elétricos, um em cada roda dianteira. O Lohner Porsche Mixte, eis seu nome, andava muito bem, foi utilizado inclusive em competições e deixou tudo que havia até então (e por muitas décadas a vir) lá atrás.

A Porsche, nos últimos anos, colocou seu pessoal mais historicamente capaz e praticamente deixou zero km um Lohner Porsche de museu, passando a chamá-lo Semper Vivus – mas exagerou um pouquinho e passou à Imprensa um release dizendo que o hiper-renovado carro foi o primeiro veículo híbrido da história da humanidade.

Dizer que alguma coisa foi o primeiro da história humana sempre é problemático, já que os registros históricos são normalmente passíveis da erros de memória humana ou da falta de sorte de pesquisadores que ainda não acharam ou não tiveram acesso a registros escondidos nos mais inesperados lugares. O fato é que o Lohner Porsche é quase certamente o primeiro carro híbrido, mas não o primeiro veículo híbrido – privilégio aparentemente do navio de guerra blindado britânico HMS Warrior a velas e vapor, de cerca de 1860.

Ainda há muitas dúvidas a respeito de outros veículos, principalmente marítimos, cuja existência e desempenho poderão ser descobertos e verificados por mais pesquisas.


José Luiz Vieira, Diretor, engenheiro automotivo e jornalista. Foi editor do caderno de veículos do jornal O Estado de S. Paulo; dirigiu durante oito anos a revista Motor3, atuou como consultor de empresas como a Translor e Scania. É editor do site: www.techtalk.com.br e www.classiccars.com.br; diretor de redação da revista Carga & Transporte.