Serra do Rio do Rastro, Santa Catarina

Serra do Rio do Rastro, Santa Catarina

Tínhamos um problema, era junho,inverno, frio, principalmente aqui no sul, mas guerreiro não se assusta com isso. Moro em Porto Alegre (RS) e o caminho até a serra não é tão longo, o programado era percorrer 550 km entre ida e volta no final de semana, tranqüilo para executar em três dias (1º dia, Porto Alegre – Torres; 2º dia, Torres – Serra -Caxias do Sul; 3º dia, Caxias do Sul – Porto Alegre). Tudo programado, na sexta feira amanhece chovendo muito, mas muito mesmo. Vir até o trabalho com a bagagem e com roupa de chuva já preocupou, mas durante o dia o tempo melhorou, parou de chover e ESFRIOU.

Às 18 horas de sexta-feira (dia 20/07/08) saímos da empresa para encontrar o 3º elemento que iria participar da `trip’, o Duda.

Ninguém gosta de viajar de moto na noite, mas era a única maneira de percorrer todo o cronograma no final de semana. Motos abastecidas e calibradas, (GS 500, Twister e Fazer), motociclistas alimentados, pegamos a estrada, 200 km entre Porto Alegre e Torres.

A noite estava linda, a lua e o frio acompanharam a gente durante a viagem, paramos em Atlântida Sul para esticar as pernas onde os termômetros marcavam 10ºC. Seguimos até Torres para dormir cedo, pois tínhamos que também acordar cedo.

Sábado pela manhã estava incrível, sol, nenhuma nuvem no céu; vejam as fotos tiradas na Praia da Guarita em Torres.

Pegamos a BR101 até Criciúma SC, um trecho complicado, muitas obras e caminhões na pista, atenção redobrada, mas o dia estava perfeito, nada podia dar errado.

Foram 130 km até Orleans em Santa Catarina, no pé da serra; parada para o almoço e continuamos a subida de 22 km espetaculares com muitas paradas para se aproveitar a paisagem. Só quem já passou pela serra sabe, parece que estamos num filme.

Muito bom se chegar ao topo da serra … foi clássico. Aproveitamos o sol e seguimos até São Joaquim, que era nossa idéia inicial, pegar a SC 430 descendo até Bom Jesus (75km) já no Rio Grande do Sul, continuar pela Rota do Sol até Caxias do Sul (+120 km), onde seria nossa parada … ao todo 200 km, mas a falta de conhecimento da estrada nos pegou. A SC430 é estrada de terra batida.

Já que ninguém conhecia o caminho, preferimos seguir pelo caminho conhecido, São Joaquim até Lages ( + 84 km), e de Lages até Vacaria ( + 100 km) e de Vacaria até Caxias do Sul (130 km). Depois desse primeiro susto parece que tudo começou a dar errado, no caminho entre São Joaquim e Lages o tempo começou a fechar e esfriar, o termômetro marcava 4ºC, isso ainda com sol.

Paramos, colocamos mais roupas quentes e continuamos. Depois de Lages começou a chuviscar, muitos caminhões na estrada … momentos críticos … paramos para jantar já quase em Vacaria por volta das 18:30 horas num café colonial para aquecer Nessa hora de parada e veio a dúvida, seguimos ou paramos aqui??? Bom, só faltam 130km, vamos tocar…. colocamos as roupas de chuva e partimos. A Serra da BR 116 entre São Marcos e Caxias é linda, mas não para se fazer durante a noite e com chuva … apesar que o asfalto está bom e não tem trânsito de caminhões, seguimos sem desistir, bem devagar para não ter problema.

Levamos 3 horas para fazer os últimos 150 km … depois de 13 horas e 535 km de estrada chegamos em Caxias, molhados, cansados e gelados, porem muito felizes.

No domingo os 140 km entre Caxias do Sul e Porto Alegre foram tão tranqüilos que nem tenho o que comentar … ao todo foram 835 km rodados de sexta a domingo.

Não vejo a hora da próxima, mas quem sabe agora pesquisar um pouco mais sobre a estrada … abaixo a indicação de dois vídeos da subida feitos com a câmera amarrada no pisca direito da minha moto:

http://br.youtube.com/watch?v=A7CVMo-VVtI e http://br.youtube.com/watch?v=ALTi9pvAU8M