Sertões deixa de passar por Mato Grosso e Pará

O Rally Internacional dos Sertäes 2004, uma das maiores competi‡äes off road do mundo em n£mero de participantes, nÆo passar  mais por sete estados como previsto inicialmente, e agora cruzar  cinco deles.

Mato Grosso e Par  nÆo farÆo mais parte do trajeto, ficando apenas Goi s, de onde ser  dada a largada no dia 1o de julho, Tocantins, MaranhÆo, Piau¡ e Cear , ponto final da prova, 10 dias depois. A mudan‡a foi anunciada por Marcos Erm¡rio de Moraes, presidente da Dunas Race, empresa organizadora do evento. Ele est  percorrendo todo o trajeto da competi‡Æo, entre Goiƒnia e Fortaleza, para conferir o percurso, elaborado meses antes.

Segundo Erm¡rio, a mudan‡a no roteiro foi necess ria por uma questÆo de seguran‡a. O comboio dos ve¡culos dos competidores e tamb‚m das equipes de apoio poderiam enfrentar problemas para atravessar regiäes onde estÆo concentradas v rias tribos ind¡genas no Mato Grosso. Como nÆo era poss¡vel desviar a rota, deixando de passar apenas por aquela regiÆo, agora o Sertäes seguir  para Palmas, capital do Tocantins, que nÆo estava prevista no trajeto inicialmente.

Marcos Erm¡rio j  completou todo o roteiro dentro do estado de Goi s e agora enfrenta as trilhas e estradas do interior do Tocantins com destino a Palmas, cidade que oferece completa infra-estrutura hoteleira e conta com aeroporto capaz de receber aviäes de carreira grandes. Os dois primeiros dias de prova estÆo definidos e serÆo entre entre Goiƒnia-AruanÆ e AruanÆ-Porangatu, e terÆo 808 quil“metros no total, com 340 de etapas “especiais”, ou seja, cronometrados.

“Os dois primeiros dias do Sertäes estÆo bem legais, onde a velocidade predomina. Mas os competidores vÆo enfrentar todos os tipos de obst culos, com estradas sinuosas, poeira, pedras, al‚m da exigˆncia de muita habilidade de navega‡Æo”, contou Marcos Erm¡rio. O presidente da Dunas Race anunciou que a etapa AruanÆ-Porangatu vai ser “maratona”, quando no final do dia os pr¢prios participantes do rali terÆo que fazer a manuten‡Æo dos ve¡culos sem a ajuda de mecƒnicos e equipes de apoio.

O roteiro de uma prova longa como o Rally dos Sertäes ‚ estabelecido ap¢s uma s‚rie de fases, que incluem muitas viagens. A primeira delas ‚ abrir o mapa do Brasil em cima da mesa e tra‡ar uma rota desejada no papel. Depois a organiza‡Æo sobrevoa toda a regiÆo para saber se realmente aquelas estradas existem e em quais condi‡äes. Em seguida o trajeto ‚ feito de carro para elaborar a planilha (uma esp‚cie de mapa). “E finalmente vamos conferir tudo meses antes da largada. Se necess rio, fazemos as mudan‡as pertinentes. Nossa prioridade ‚ a seguran‡a dos competidores”, afirmou Marcos Erm¡rio de Moraes. Ainda nÆo ‚ poss¡vel concluir se a quilometragem total da prova ser  maior ou menor que os 4.500 quil“metros previstos inicialmente. O tamanho da prova s¢ ser  definido ap¢s a chegada a Fortaleza pela equipe da Dunas que est  conferindo o roteiro.