Setor de duas rodas- trabalhadores ameaçam com greve

Diante da recusa das empresas do segmento de duas rodas do PIM- P¢lo Industrial de Manaus em conceder a reposi‡Æo integral de 18,34% de uma £nica vez, vigorando a partir de 1§ de agosto para a classe trabalhadora, o Sindicato dos Metal£rgicos resolveu partir para a‡äes mais en‚rgicas como o impedimento das atividades de produ‡Æo.

A data-base da categoria ‚ 1§ de agosto. Ontem a empresa Metalfino da Amaz“nia teve suas atividades parcialmente paralisadas diante da presen‡a de l¡deres da entidade na porta da f brica. O presidente do Sindicato dos Metal£rgicos no Amazonas, Agostinho Corrˆa, disse que no £ltimo dia 30 o segundo turno da Metalfino, que produz para a Moto Honda e a Yamaha, j  nÆo havia funcionado e ontem pela manhÆ tamb‚m ficou paralisado.

Corrˆa mencionou que o segmento de duas rodas prop“s reposi‡Æo de 10% vigorando a partir de amanhÆ e 8% em 2004, com um limite de R$ 2,5 mil. A proposta nÆo foi acatada pelo sindicato pelo fato do segmento ser considerado um dos que mais fatura no PIM. “Est  muito bem, inclusive a Moto Honda ‚ campeÆ em produ‡Æo e exporta‡Æo de motocicletas”, citou Corrˆa, acrescentando que sÆo em torno de 20 empresas japonesas que compäem o segmento, entre as quais a Yamaha, Kasinski, Showa, Metalfino, Nissin, al‚m da Gillette e a BIC.

O £nico segmento que na opiniÆo de Agostinho Corrˆa, d  para negociar de duas vezes a reposi‡Æo salarial ‚ o de bicicletas, formado pelas empresas Caloi, Monark e CBB, porque nÆo tiveram uma boa atua‡Æo no primeiro semestre deste ano. Quanto ao segmento eletroeletr“nico, Corrˆa disse que seria definido ontem, a partir de uma reuniÆo com os empres rios do setor.

Ontem foi considerado o dia “D” para as empresas chegarem a um acordo com o sindicato. A partir de hoje a entidade informou que vai assinar o termo de finaliza‡Æo das negocia‡äes. “NÆo havendo consenso entre as partes vamos partir para a mobiliza‡Æo geral porque a categoria est  sacrificada, trabalhando com excesso de horas-extras, al‚m dos sal rios estarem defasados”, assinalou o sindicalista.