consorcios-ganham-forca-1

Setor de motos deve cair 8,6% em 2013

Ranking de venda 2013 por marca

Ranking de venda 2013 por marca

A Fenabrave – Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores, entidade que representa os mais de 7,2 mil concessionários de veículos de todo o Brasil, apresentou os números de emplacamentos de veículos automotores relativos ao mês de setembro.

O segmento de motocicletas apresentou nova queda de 8,78% em relação ao mês anterior. Foram emplacadas 117.766 unidades, contra 129.095 motos em agosto. O resultado em relação ao mesmo mês do ano anterior mostra pequeno aumento de 2,17%, mas quando analisados os números acumulados de janeiro a setembro de 2013 contra o mesmo período de 2012, a retração chega a 9,14%.

Com base nos números apresentados pelo setor nos três primeiros trimestres de 2013, a entidade projeta para o segmento de motocicletas em 2013 um volume pouco menor que 1,5 milhão de unidades, o que será o pior resultado dos últimos sete anos. No entanto, o presidente da Fenabrave, Flávio Meneghetti, explicou que o setor financeiro não voltará a conceder crédito como antes, sem entrada e em até 60 meses. “Não se trata de taxa de juros, mas de critério do setor financeiro, que exige entrada mínima de 30% e financia o restante em até 24 meses”, explicou Meneghetti.

Nesta nova condição, o cidadão que compra uma moto básica precisa ter no mínimo R$ 3.000,00, que é essa entrada mais o dinheiro para o primeiro licenciamento, um capacete e outras despesas iniciais”, complementou. Meneghetti enfatizou ainda o fato de que aquela condição mais fácil não voltará a ocorrer e aponta que a melhor solução está no sistema de Consórcio para que o setor volte a crescer. “Só que a reação pelo Consórcio demora mais a provocar resultado no mercado”, finalizou.