Stoner atribuiu vitória de Valência a sorte e boa avaliação

Stoner atribuiu vitória de Valência a sorte e boa avaliação

Stoner atribuiu vitória de Valência a sorte e boa avaliação

A sorte em conjunto com uma afinação perfeita provou ser a receita correcta para a vitória de Casey Stoner em Valência.

Com pouco tempo de treinos no seco para preparação da que foi uma corrida solarenga em Valência, Casey Stoner estava, como todos os outros pilotos da grelha de MotoGP, à procura de uma afinação de corrida durante o warm up matinal. Vitorioso na última corrida do ano depois de liderar desde a primeira volta, o piloto da Ducati explicou depois que foi um pouco de sorte que o ajudou a ser o primeiro a ver a bandeira de xadrez.

— Creio que ninguém sabia como é que ia ser a corrida; cada uma das sessões molhadas foi diferente da anterior, pelo que não se podia entender como é que a moto estava a funcionar,– explicou Stoner depois de fechar o ano com um triunfo desde a pole.

— Lutámos um pouco no molhado e começámos a obter boas respostas quando ficou seco. Antes não sabíamos o que esperar: a qualificação é a qualificação e estivemos muito bem nessa matéria este ano, mas com pneus de corrida não sabíamos onde estávamos. As pessoas estavam à procura de soluções no warm up, mas os nossos pneus estavam a ser destruídos, pelo que estávamos um pouco preocupados. Tínhamos uma afinação que não sei se teríamos sido capazes de igualar se tivéssemos trabalho nele todo o fim-de-semana. Tivemos mesmo muita sorte em encontrá-lo.–

A corrida foi a última de Stoner com o número 1, conquistado no ano passado, e o australiano vê o assalto ao ceptro a partir da frente como a melhor estratégia para a campanha de 2009.

— Tirando o Qatar, não liderámos o campeonato este ano, fomos nós que estivemos sempre ao ataque. No próximo ano queremos dar os 100%, mas esta é claramente a melhor forma de acabar a época,– concluiu.