Foto: release grupo Izzo

Street ou Speed triple, FZ6 Nova, Filtro, Embreagem deslizante

Foto: release grupo Izzo

Foto: release grupo Izzo

Sobre a notícia: 28/10/2008 – Salão da Motocicleta 2008, assista no You Tube O nome da moto de 675cc da Triumph é a STreet Triple, já a SPeed Triple tem 1050cc se não me engano. Fiz a mesma confusão quando fui numa loja Triumph pra ver as motos e vi que o adesivo da rabeta é diferente! Tenho uma dúvida: Qual a diferença entre uma vela de moto e de carro? Já li coisas sobre este assunto no site, mas queria entender o porquê de uma vela de carro popular custar 8 reais em concessionária e durar 40mil kms e uma vela de moto custar em torno de 18 a 23 reais (Twister 250cc) e durar em torno de 6mil a 9 mil kms. Abs Rafael (23) São Paulo, SP
R: Rafael, de fato são dois modelos parecidos, a Street Triple 675 e a Speed Triple 1050, nota-se facilmente a diferença no visual corpulento do motor da Speed que é bem maior, a 675 Street tem 108 CV a 11700 rpm e 167 Kg. A 1050 Speed tem 132 CV a 9250 rpm e 189 Kg. Percebe-se a leveza e agilidade da proposta da Street ao contrário da Speed que tem motor mais musculoso em faixas de giro mais baixas permitindo uma tocada menos nervosa mas nem por isso mais lenta. Quanto às velas, as de automóveis levam uma vida mais tranqüila, sem muitas exigências digamos assim. Os motores de automóveis têm potência específica (relação HP/cm3) mais baixa que os de motos e portanto exigem menos de seus componentes. Por conta da potência específica mais alta, as velas das motos sofrem variações maiores de temperatura e pressão e portanto devem ter a sua construção mais cara. A durabilidade é também compatível com a do motor de moto que normalmente dura menos que o de um automóvel. Abraços

Foto: release grupo Izzo

Foto: release grupo Izzo

Olá! Fantástico o site. Você tem uma Fazer 600N? Tinha uma Falcon e mudei para Fazer. Estou amaciando o motor de acordo com as recomendações do manual(O 1.600 km demorado para chegar!). Agora as perguntas técnicas: 1-Dá para colocar um descanso central na FZ-6 2009? Aqui custa R$ 695,00 na concessionária (Ugh!!). Recomenda comprar aonde?; 2-Tenho a impressão que o motor da Fazer faz mais barulho de válvulas que a Hornet. Devo pedir para regula-las na revisão de 1.000 km ou é assim mesmo? 3-Tenho a impressão que a 5ª e a 6ª são praticamente iguais, ou seja, muito curtas. Por qual motivo? 4-Motor novo esquenta muito no período de amaciamento? Viagem longas só após os 1.600km, ou seja, após amaciar. Certo? Forte abraço! Obrigado pelo carinho com nós Motonliners. Júnior (39) Goiânia GO
R: Não tenho amigo, bem que gostaria pois é uma boa moto, acelera rápido até os 160Km/h e isso é mais que suficiente para ser capturado nas inúmeras armadilhas de radares das estradas, é preciso cuidado. O câmbio é na verdade bem parecido com o da a irmã esportiva R6, apenas o motor foi adaptado a um torque maior em baixa e médias rotações, facilitando o uso mas a frente ainda fica muito leve durante as acelerações iniciando às vezes um “head shake” como nas saudosas RD350, mas nada de assustar. Então o câmbio me parece na verdade bem acertado para o motor e a pequena queda de giro nas últimas marchas é comum na categoria. O motor pode parecer um pouco barulhento principalmente quando frio, mas é normal e pode gerar mais calor quando novo mas o sistema de arrefecimento controla isso para você. Pode fazer viagens longas sim, apenas procure variar bastante o uso, uma tocada um pouco mais nervosa dentro dos limites de rpm para aquecer e um período calmo de descanso para melhorar a lubrificação e deixá-lo esfriar. Após a segunda troca de óleo pode considerar pronto o amaciamento. O cavalete central é uma boa opção para facilitar a manutenção da moto: corrente, freios e pneus. Vale a pena se encontrar na concessionária porque é um item importante para a sua segurança. Abraços e bons passeios.

Caro amigo, vim te pergunta sobre eu vi uma reportagem sua neste site onde voce fala
de custo, da tornado mais eu nao quero sabe de custo por que sei que isso e naturalmente acontece, bom ai onde voce fala da troca de oleo que tem que ser a cada duas troca de oleo troca o filtro eu nao sabia disso tenho uma tornado e os mecanicos me disseram que nao precisa troca so quando digamos ela tive muito velha uns 10 km rodas explo sei la como funciona poderia me dizer isso Marcelo (23) Juara, MT
R: Olá Marcelo, Para maior durabilidade do seu motor a troca do filtro de óleo deve ser feita pelo menos uma vez a cada duas trocas de óleo. Se fizer menos que isso a durabilidade do motor vai ser prejudicada. Abraços

Olá amigos do Motonline, tenho uma dúvida que gostaria que vocês me ajudassem a esclarecer. As motos novas de motor mais potente estão começando a utilizar o sistema de embreagem “deslizante”, com esse novo sistema, não será mais necessário dar aquela “acelerada” nas reduções de marcha para adequar a rotação do motor para a nova marcha que irá entrar, já que, a embreagem evita o travamento da roda, motivo pelo qual aceleramos nas reduções? Obrigado e parabéns pelo trabalho. Fábio (25) São Paulo, SP
R: Obrigado Fábio, A embreagem deslizante neutraliza um pouco o freio motor ao se soltar a mão do acelerador, existem dois tipos básicos: a vácuo e mecânico. Na Buel 1125r e Aprilia RSV Mille a ação é a vácuo ou seja, se a pressão atmosférica for grande como no nível do mar a atuação é melhor do que se estiver no alto de uma montanha por exemplo. O tipo mecânico é utilizado nas motos de competição e conta com rampas e esferas para regular a ação ao contra-torque exercido pela transmissão na desaceleração. Esse sistema é mais confiável e nas corridas pode-se baixar duas marchas na entrada de uma curva que na hora de acelerar novamente o sistema encontra a rotação correta e o torque volta na ação positiva. Isso pode ser conseguido por um bom piloto com embreagem convencional que tenha um controle perfeito da embreagem na entrada e saída da curva, como no supercross. Só que na motovelocidade os erros podem ser fatais e então o sistema se torna mais conveniente. Nas motos de rua ele funciona mais como um backup contra esse tipo de erro, de forma que ao reduzir a marcha, se errar o giro o vácuo se encarrega de acionar a embreagem até que se abra novamente o acelerador. Ou seja: Numa moto de corrida é utilizado como uma ferramenta para aumentar a precisão na tração do pneu ao recuperar a aceleração na saída de uma curva, mas nas motos de passeio se torna um dispositivo a mais de segurança. Se errar naquela “acelerada” para casar o giro da marcha reduzida não tem problema, ela é a prova de idiotas… Abraços.