Suzuki Burgman 650 Executive (parte 2)

Ciclística – Para atingir velocidades altas, o Burgman 650 é equipado com pneus radiais sem câmara – 120/70 aro 15, na dianteira, e 160/60 aro 14, na traseira. Calçados em rodas de liga leve até que absorvem bem as imperfeições do piso em conjunto com o garfo telescópico na dianteira e a balança de alumínio com sistema de amortecimento bichoque na traseira.

Outro destaque da ciclística são os freios a disco nas duas rodas – duplo na frente e simples atrás – equipados com sistema ABS (antitravamento). Estancam o veículo em situações de emergência com bastante segurança. Sustentando todo o peso e esses aparatos está um quadro tubular de aço. Assim como seu irmão menor, o Burgman 400, o 650 tem um útil freio de “mão”, ou de estacionamento, bem-vindo ao estacionar esse maxi-scooter em ladeiras.

Conforto para viajar – Além de todas as qualidades já citadas, o maior ponto positivo do Burgman 650 Executive é o conforto oferecido ao piloto e garupa. Seja em trajetos urbanos ou em uma longa viagem, ambos vão muito bem acomodados e contam com apoio das costas. A garupa tem um verdadeiro encosto de fazer inveja a muita cadeira de escritório e o piloto tem um apoio lombar ajustável.

Outro item que faz do Burgman 650 ideal para se viajar é a excelente proteção aerodinâmica do pára-brisa, que pode ser regulado eletricamente por meio de um botão no punho direito. Além disso, sob o banco há um grande compartimento de 56 litros (o suficiente para colocar dois capacetes integrais) iluminado por uma luz de cortesia.

Vale dizer que o verdadeiro lugar desse maxi-scooter é a estrada. Na cidade em função de seu enorme comprimento ele às vezes fica enroscado na hora de mudar de direção, além de apresentar um consumo elevado para o uso diário. Com seus espelhos retrovisores retráteis – recolhidos apertando-se um botão no punho esquerdo – o Burgman 650 até que vai bem nos corredores do trânsito cada vez pior de São Paulo, mas a curtição mesmo desse Burgman 650 é pegar a estrada e curtir o conforto.

O painel é outro caso a parte. Mais informativo e claro que de muito carro 1.0, o do Burgman 650 é totalmente digital. Traz velocímetro, conta-giros, hodômetros, computador de bordo com consumo instantâneo, marcados de combustível, de temperatura, relógio… etc. Ah, e ainda tem luzes de advertência e indicadores da marcha engatada. Ufa!

Ponto negativo – Se há algo que possamos criticar nesse Suzuki Burgman 650 é seu preço. Aqui no Brasil, o preço sugerido (sem frete) é de R$ 52.235,00. De acordo com a tabela divulgada pela J.Toledo Suzuki nesta semana, o Burgman 650 só não é mais caro que as superesportivas da marca.
Não se pode “culpar” a J.Toledo/Suzuki, representante da marca no País, por esse preço exorbitante. Afinal, o alto custo do Burgman 650 é alvo de críticas em todo o mundo, inclusive na Europa. Pois mesmo com toda a tecnologia embarcada, o conforto e a exclusividade o valor é realmente muito alto. Assim como viajar de classe executiva, por isso mesmo continuo indo na econômica.

FICHA TÉCNICA – Suzuki Burgman 650 Executive
Motor DOHC, 4 tempos, 2 cilindros, refrigeração líquida
Cilindrada 638cc
Diâmetro x Curso 75,5 X 71,3 mm
Taxa de Compressão 11,2:1
Transmissão Automática / 6 velocidades
Transmissão SECVT
Lubrificação Caráter úmido
Alimentação Injeção eletrônica de combustível
Tipo de Ignição Eletrônica (CDI)
Partida Elétrica
Comprimento Total 2.260 mm
Largura Total 810 mm
Altura Total 1.435 mm
Entre-Eixos 1.595 mm
Vão Livre 130 mm
Altura do Assento 750 mm
Peso Seco 245 kg
Suspensões
Dianteira Telescópica, mola helicoidal, amortecida a óleo
Traseira Braço oscilante, mola helicoidal, amortecida a óleo
Freios
Dianteiro Disco duplo com sistema ABS
Traseiro Disco simples com sistema ABS
Rodas e Pneus
Dianteiro 120/70R15M/C56H sem câmara
Traseiro 160/60R14M/C65H sem câmara
Tanque 15 litros
Potência Máxima 55 cv a 7.000 rpm
Torque Máximo 6,32kgf.m a 5.000 rpm
Cores Preto e prata
Preço R$ 52.235,00