Foto: Pista de Cachoeiro de Itapemirim (ES) é batizada de Wilson Kenji Yasuda, gerente de competições da Honda do Brasil

Team Honda está pronto para etapa decisiva do Brasileiro de Motocross

Foto: Pista de Cachoeiro de Itapemirim (ES) é batizada de Wilson Kenji Yasuda, gerente de competições da Honda do Brasil

Foto: Pista de Cachoeiro de Itapemirim (ES) é batizada de Wilson Kenji Yasuda, gerente de competições da Honda do Brasil

Corridas podem render títulos antecipados para Rodrigo -Lama- (85cc) e Thales Vilardi (MXJr); Complexo de Cachoeiro de Itapemirim (ES) é batizado de Soichiro Honda e o Motódromo, de Wilson Kenji Yasuda

O Team Honda está pronto para acelerar na penúltima etapa do Campeonato Brasileiro de Motocross, que terá um grande peso na decisão dos campeões nacionais da temporada. A equipe pode levar títulos de forma antecipada com o sergipano Rodrigo -Lama- (85cc) e o paulista Thales Vilardi (MXJr). As provas serão realizadas neste domingo em Cachoeiro de Itapemirim (ES) e serão marcadas por homenagens: o Motódromo ganhou o nome de Wilson Kenji Yasuda, gerente de competições da Honda do Brasil, sendo que o circuito fica em um complexo esportivo e sócio-ambiental que foi batizado de Soichiro Honda, fundador da empresa japonesa.

Marcada por um terreno extremamente acidentado e técnic o, a pista capixaba possui 1.900 metros. Outra característica é que o público consegue visualizar 90% do circuito, algo raro nas provas de motocross, acompanhando de perto todas as disputas. O ingresso para o evento custa três reais, sendo que o dinheiro arrecadado será revertido para obras assistenciais na região.

-Eu não esperava esta homenagem e estou extremamente feliz e emocionado. É uma grande satisfação ter uma pista com o meu nome, já que há muito tempo estou neste esporte-, comentou Yasuda. A iniciativa partiu de Clemente Sartorio, que é proprietário da pista e das concessionárias Honda da região.

Em maio de 2000, quando resolveu construir o circuito, recebeu a visita de Yasuda, que viabilizou uma etapa do Brasileiro de Motocross no local e transformou o espaço em uma das mais importantes pistas do país. -A etapa já foi realizada em o utubro daquele mesmo ano. O Yasuda bateu o martelo e colocou tempero do meu sonho, que era ter este complexo esportivo e sócio-ambiental-, disse Sartorio.

Forte disputa – Neste sábado, foram realizados os treinos cronometrados, que definiram as prioridades no gate. Lama fez o terceiro melhor tempo e pode ficar até em terceiro lugar na corrida para levar a taça. Thales Vilardi ficou na mesma posição nos treinos, e precisa contar com uma combinação de resultados antes de comemorar: além de ganhar a prova, o adversário Anderson Cidade deve ficar em quinto lugar.

-O Thales sofreu uma queda durante os treinos cronometrados e acredito que tanto ele quanto o Lama podem render muito mais nas corridas deste domingo. Estamos motivados e não vamos poupar esforços para conquistar os títulos-, comentou Yasuda.

Outro objetivo nesta etapa é que Leandro Silva, que também representa a equipe Honda, não deixe o atual líder da MX1, João Marronzinho, escapar na classificação geral. Leandro está em segundo lugar na tabela e fez o segundo melhor tempo dos treinos cronometrados, uma posição na frente do rival. -Ele conseguiu uma ligeira vantagem, mas os treinos foram mais importantes para que o piloto tivesse condições de testar a sua velocidade e o desempenho da moto da pista-, concluiu Yasuda.

Na MX2, a equipe da Honda também luta para subir na classificação geral. Marcello -Ratinho- está em segundo lugar, atrás de Rodrigo Selhorst. Jean Ramos, que conquistou recentemente o título de campeão latino-americano da classe, está na quarta colocação. O Team Honda será representado ainda por Dudu Lima (MX1 e MX2), Hector Assunção (MXJr) e Gustavo Takahashi (MXJr).

Confira a programação*:
Domingo (3/8) – 8h – Warm Up MX2
8h23 – Warm Up MX3
8h46 – Warm Up 85cc
9h08 – Warm Up 65 cc
9h31 – Warm Up MXJr
9h54 – Warm Up CRF230cc
10h17 – Warm Up MX1

11h – Bateria MX3 (20 minutos + 2 voltas)
11h40 – Bateria MX2 (30 minutos + 2 voltas)
12h30 – Bateria 85cc (20 minutos + 2 voltas)
13h10 – Bateria 65cc (15 minutos + 2 voltas)
14h25 – Bateria MXJr (20 minutos + 2 voltas)
15h05 – Bateria CRF230cc (15 minutos + 2 voltas)
15h45 – Bateria MX1 (30 minutos + 2 voltas)