Posição bem confortável para as pernas e o escudo não fica perto demais do piloto

Teste Dafra Cityclass 200i

O Scooter está se tornando cada vez mais uma boa opção de transporte individual para as grandes cidades, porque ficam cada vez mais congestionadas, limitando os espaços disponíveis para os veículos. Vendo essa situação a Dafra coloca no mercado boas opções para esse tipo de transporte e você pode encontrar um para você. O Cityclass 200i vem preencher o espaço logo abaixo do Citycom 300i que já se consagrou como um bom produto. Então, agora é a vez dessa opção menor ser avaliada pelo Motonline.

Cityclass200i - para o transporte de todo dia, com estilo e praticidade

Cityclass200i – para o transporte de todo dia, com estilo e praticidade

Um dos grandes problemas dos Scooters é decorrente do tamanho de suas rodas e a Dafra equipou o Cityclass 200i com rodas maiores, de 16 polegadas para rodar melhor pelas ruas esburacadas do nosso país. Nessa categoria também, entra a nova proposta de um veículo mais descolado, diferente, com uma imagem que remete ser mais eficiente e amigável nas grandes cidades.

Posição bem confortável para as pernas e o escudo não fica perto demais do piloto

Posição bem confortável para as pernas e o escudo não fica perto demais do piloto

O Cityclass 200i tem a proposta de ser um veículo essencialmente urbano e com características que lhe permita trafegar com boa desenvoltura em estradas e rodovias. Sua velocidade de cruzeiro é bastante compatível com esse tipo de via pública, por causa do seu motor de 199,1 cm³ que produz 13,8 cv em 7.500 rpm e torque de 1,41 Kgf.m em 6.000 rpm.

Design indiscutivelmente italiano

Design indiscutivelmente italiano

A vida de um engenheiro de motocicleta, quando decide construir um scooter é um tanto complicada. A colocação dos componentes é dificultada pelo pouco espaço disponível, agravado pela necessidade de oferecer algum espaço sob o banco para os objetos do condutor. Há um comprometimento de um elemento em função do outro e o objetivo de oferecer o máximo em todos os quesitos se torna impossível. Cada projeto, se analisarmos com atenção, escolhe fazer algum compromisso entre conveniência, conforto e performance. Não dá para se ter o melhor, sob todos os aspectos em tudo num Scooter.

Motor de scooter se move junto com a roda

Motor de scooter se move junto com a roda

A Dafra (o projeto original é da Garelli italiana) optou por oferecer rodas grandes, para facilitar a ciclística, o lado ruim dessa opção é que isso diminuiu o espaço sob o banco para o combustível e porta objetos, mas ainda assim é possível colocar um capacete pequeno nesse espaço. Optou pelo chassi em plataforma para oferecer conforto para o piloto colocar os pés em um único plano e ainda adicionou um gancho muito útil para sacolas e bolsas atrás do escudo, mas isso pode enfraquecer a estrutura que pode sofrer flexões. Colocou o motor junto à roda para deixar espaço para os outros elementos, mas essa disposição de motor, que participa até da própria definição de um scooter, aumenta a massa não suportada pela suspensão, dificultando-lhe o trabalho de aliviar os choques. Essas observações servem para nortear nosso teste e ver como o CityClass 200i se saiu na nossa avaliação.

Boa distância entre eixos e rodas grandes dazem diferença

Boa distância entre eixos e rodas grandes fazem diferença

O que mais chama atenção na concepção desse Scooter é a boa distância entre eixos, associada ao chassi em plataforma, sem uma estrutura central.

O que se esperava é alguma flexão do chassi, que em nenhuma ocasião se observou, mesmo nas mais intensas tocadas em piso ruim. As rodas grandes cumprem bem o seu papel de oferecer uma ciclística muito intuitiva. Pelos números seria de se esperar alguma lentidão nas respostas mas que pelo baixo centro de gravidade elas se tornam previsíveis e mais rápidas, quase como numa motocicleta. O chassi se mostra bastante bem estruturado para oferecer o piso em plataforma (sem corpo central) e ainda ser bastante livre de flexões na região do escudo/direção.

Painel com design atual tem um grande velocímetro central, medidor de combustível à direita e várias outras informações no cristal líquido à esquerda

Painel com design atual tem um grande velocímetro central, medidor de combustível à direita, contagiros de gráfico de barras e várias outras informações no cristal líquido à esquerda

Por outro lado, os resultados alcançados pela suspensão se mostraram um pouco limitados. A grande massa do motor, associada ao pouco curso na traseira faz com que seja necessário manter bem regulada a pré-carga das molas e mesmo assim os choques são transmitidos em boa conta para o piloto e garupa.

Baú sob o banco leva um capacete pequeno ou uma boa mochila - O tanque de gasolina poderia ser maior mas não dá para se ter de tudo num Scooter

Baú sob o banco leva um capacete pequeno ou uma boa mochila – O tanque de gasolina poderia ser maior mas não dá para se ter de tudo num Scooter

A consequência em não se fazer o ajuste da pré-carga para o que, são necessárias ferramentas, é o frequente “fim de curso”, porque são apenas 60 mm o curso da suspensão traseira. A frente consegue superar melhor os obstáculos por causa do curso maior com 100 mm. Além disso, a boa estrutura na parte dianteira permite atacar um pouco mais a buraqueira das nossas ruas. Se estiver sem garupa pode-se usar aquela técnica do off-road de levantar do banco evitando os choques maiores sobre o corpo. Porém, comparando com os outros scooters da mesma categoria as rodas grandes do CityClass 200i fazem de fato grande diferença.

Freios combinados - Ao acionar o traseiro o pistão central da pinça dianteira também é acionado

Freios combinados – Ao acionar o traseiro o pistão central da pinça dianteira também é acionado

Economia poderia ser melhor e também a autonomia. A opção foi dar boa velocidade para trafegar em rodovias, chegando a manter 100 Km/h reais com facilidade e alcançar uma velocidade máxima de 113 Km/h quando o motor alcança o limitador de rotação. (130Km/h no velocímetro). O Cityclass.200i sai na frente da maioria das motos, arrancando rápido nos semáforos, por causa do cambio CVT e dos 13,8 cv. Outro comprometimento assumido foi colocar mais espaço no porta trecos e menos para o tanque de gasolina, que tem apenas 6 litros. Assim, você vai conseguir um máximo de 150Km entre abastecimentos e se andar forte menos do que isso.

O Cityclass 200i resulta de um compromisso interessante, diferente da maioria dos outros Scooters pequenos. Ele está no limite, entre o pequeno e o médio. Responde com competência nas estradas e é leve e esguio o suficiente para ter boa agilidade no trânsito. Comporta boa bagagem sob o banco mas em contrapartida deixa a desejar em autonomia. Também não é seu forte a economia de combustível comparando-se aos outros. Mas enfim, não se pode ter o melhor dos mundos num pequeno scooter e levando-se tudo em conta ainda parece ser uma proposta bem interessante.

ficha-tecnica

dafra-cityclass-200i



Pioneiro no Motocross e no off-road com motos no Brasil, fundou em 1985 o TCP (Trail Clube Paulista). Desbravou trilhas em torno da capital paulista enquanto testava motos para revistas especializadas.