CBR 650 F se traduz em esportividade com conforto

Teste – Honda CBR 650F 2017 está mais refinada

A Honda CBR 650F 2017 está mais refinada. Chegou no final de 2014 e desde então pode comprovar qualidades importantes. Agora, passa a cumprir também a segunda fase do Promot 4, para isso conta com sistema  que reduz os efeitos de evaporação do tanque de combustível e maior atuação no sistema de limpeza dos gases do escapamento.

CBR 650 F se traduz em esportividade com conforto

CBR 650 F se traduz em esportividade com conforto, no mais puro espírito das Sport – Touring

No mais ela conta com novo grafismo e novas combinações de cores, vermelho e preto.

Novas cores do modelo 2017

Novas cores do modelo 2017

A moto confirma nesse teste as qualidades já demonstradas no teste do modelo anterior mas agora a esportividade está mais bem representada pelos gráficos aplicados na pintura.

Chassi de desenho que apresenta uma estruturação rígida, sem excesso de peso, mesmo sendo produzido em aço; Motor de quatro cilindros em linha com cabeçote DOHC, arrefecimento a líquido e câmbio de seis marchas;
Suspensão bem calibrada para o piso brasileiro e de boa esportividade, não reflete oscilações ao chassi em uso normal.

Dimensões

Dimensões

Geometria configurada para estabilidade

Motor

Motor

Motor arrefecido a líquido

Posição

Posição

Posição esportiva e confortável

Chassi

Chassi

Chassi em aço tem desenho bem atual, com dupla viga periférica "twin spar"

 

Na suspensão pode-se regular apenas a pré-carga da mola traseira. Então não espere performance de pista, em frenagens intensas a frente mergulha um pouco e a contrapartida é que o aproveitamento da moto pode ser maior na rua. Calibrada para oferecer conforto com alguma esportividade, em momentos onde se procura performance pura ela pode se mostrar um pouco macia demais, com movimentos secundários na suspensão. Mas no uso corriqueiro é bem mais adequada. A intenção da CBR 650F é oferecer conforto e facilidade na condução, com economia na sua construção e esportividade até para algumas incursões na pista, sem muito compromisso e por isso mesmo não conta com muita facilidade para levar bagagem.

Seu motor, na verdade toda mecânica veio da CB 650F e para quem gosta de maior esportividade não vai atender suas expectativas. Vai ter facilidade em pilotar em um preço mais amigável também, diferente das super esportivas “Racer Replica”. Aqui, mais torque em baixas rotações e potência suficientes (87cv a 11.000 rpm) por toda faixa útil de rotação facilita muito a pilotagem e assim acaba por oferecer mais diversão, com menos compromisso.

A aceleração é muito importante para esportividade e no caso, a leveza das peças móveis do motor ajudam nessa questão. O torque está presente em rotações baixas mas não é proveniente da massa do motor em rotação. (volante). Assim, há que se ter cuidado ao sair porque essa “falta” de massa em movimento no motor causa uma tendência ao piloto menos acostumado com ela, deixá-la morrer ao soltar a embreagem em uma rotação insuficiente para arrancar.

É para oferecer grande estilo e diferenciação. A proposta é oferecer uma experiência de pilotagem fácil, completa e divertida, combinando custo acessível, cilindrada e desempenho, buscando atender atuais consumidores de modelos de média cilindrada, que buscam upgrade. Concorre com Suzuki GSX 650F, Kawasaki Ninja 650 e Yamaha XJ6F principalmente. O preço FIPE em setembro de 2016 é de R$37.798,00

 Ficha técnica

Motor

Tipo DOHC, 4 cilindros, 4 tempos, arrefecimento a líquido
Cilindrada 649 cc
Diâmetro x curso 67,0 mm X 46,0 mm
Relação de compressão 11.4:1
Potência máxima 87 cv a 11.000 rpm
Lubrificação Forçada por bomba trocoidal
Torque máximo 6,4 kgf.m a 8.000 rpm
Alimentação Injeção eletrônica PGM-FI

Transmissão

Transmissão 6 velocidades
Embreagem Múltiplos discos em banho de óleo
Transmissão final Por corrente selada
Chassi Dupla viga periférica em tubos de aço
Suspensão dianteira Garfo Telescópico / curso de 120 mm (108 mm na roda)
Suspensão traseira Mono-Shock / curso de 43,5 mm (128 mm na roda)
Freio dianteiro Duplo disco c/ 320 mm de diâmetro e ABS
Freio traseiro Disco simples c/ 240 mm de diâmetro e ABS
Pneu dianteiro 120/70 ZR 17M/C (58W)
Pneu traseiro 180/55 ZR 17M/C (73W)

Dimensões e peso

Comprimento 2.110 mm
Largura 775 mm
Altura 1.145 mm
Peso seco 197 kg
Altura do assento 810 mm
Distância entre eixos 1.450 mm
Vão livre do solo 130 mm
Capacidade do tanque 17,3 litros (4,0 litros na reserva)
Capacidade do cárter 3,2 litros (2,6 litros para troca)

Sistema elétrico

Bateria 12 V – 8,6 Ah
Ignição Eletrônica, por descarga capacitiva
Farol (alto/baixo) 60/55W


Pioneiro no Motocross e no off-road com motocicletas no Brasil, fundou em 1985 o TCP (Trail Clube Paulista), que organizou a 1ª prova de enduro tipo FIM (Enduro da Mentira). Desbravou trilhas em torno da capital paulista enquanto testava motos para revistas especializadas. É editor técnico e consultor no Motonline.