NC 750X - Um conceito que o mercado aceitou e que agora está mais refinado, o projeto amadureceu

Teste Honda NC 750X

Honda NC 750X

No mesmo dia do lançamento dela  tivemos a oportunidade de sair com uma unidade para teste. Do briefing e apresentação do modelo foram destaques a nova suspensão dianteira com o sistema SDBV (Showa Dual Bending Valve) que atua em diferentes situações: a primeira nos impactos maiores para oferecer mais resistência e estabilidade. Na segunda, sob impactos menores e de menor velocidade no movimento da roda, ela oferece menos resistência para maior conforto.

NC 750X - Um conceito que o mercado aceitou e que agora está mais refinado, o projeto amadureceu

NC 750X – Um conceito que o mercado aceitou e que agora está mais refinado, o projeto amadureceu

Outros destaques foram o sistema de iluminação em LEDs e novo compartimento de carga sob o banco, entre novidades menores mas que de fato deram nova vida para a moto.
Nova vida também dá os três anos de garantia que a fábrica agora oferece, pela primeira vez numa moto acima de 300cc. Além dos 3 anos de garantia, o modelo vem com um serviço exclusivo de assistência 24 horas, gratuito, válido para o mesmo período da garantia que pode ser utilizado no Brasil, Argentina, Uruguai, Paraguai e Chile.

Novidades

De roupa nova ela ficou mais atualizada no visual, com cores contrastantes. As rodas em tom claro deixam uma imagem mais limpa que contrasta com áreas em preto e as grandes laterais do “tanque”. Esse que funciona na verdade como um grande bagageiro, ainda mais que sobre ele há previsão para fixação de mochila que facilita muito nas viagens, podendo-se deixar o banco do garupa livre para os abastecimentos, porque sob ele fica o bocal do tanque.

Excelente farol em LED com facho duplo - à noite a viagem é mais segura

Excelente farol em LED com facho duplo – à noite a viagem é mais segura

Escapamento mais bonito e com som mais grave

Escapamento mais bonito e com som mais grave

Andando com ela percebemos o novo ronco que sai do escapamento agora triangular, dá mais emoção. Na verdade ela toda está mais emocionante. Acelera mais e anda melhor nas estradas de terra ou asfalto ruim, por causa dos pneus mais aptos a esse tipo de terreno e em velocidade se mantém com a mesma firmeza para o piloto.

Ela está mais estável nas retas mas um pouco mais limitada nas curvas, por causa justamente dos pneus. A vantagem é que em percursos ruins ele não transfere tantos impactos ao piloto. Seja por causa do sistema SDBV ou por causa dos pneus, o fato é que ficou bem melhor o seu uso nas estradas de terra e asfalto de má qualidade, tão comum nas nossas vias.

Motor

O motor, mesmo da versão 2015 aparenta ser mais potente, mas é impressão por causa do seu ronco que emociona mais. A economia permanece inusitada, mantém-se na faixa de 26 km/litro, média que você vai encontrar apenas em motos de potência e cilindrada muito menores.

 

Força e aceleração estão condizentes com a cilindrada, mas dentro do novo conceito, também descrito e observado no teste da nova Triumph Bonneville Street Twin, esse conceito permite uma “usabilidade” maior da moto, porque não há um pico grande de potência, localizada em uma faixa estreita de rotações. Essas condições forçam uma tocada mais estressante, onde você tem que manter o giro próximo daquele ponto em que o motor passa a responder com mais força. Na NC 750X, desde as rotações mais baixas você pode contar com o motor para qualquer coisa que ele responde prontamente e nas “altas” rotações ele cresce com constância até o ponto de corte, ao redor de 6.500 rpm. Quer dizer, você não “estica” o motor para ganhar velocidade, passa as marchas logo porque dessa forma a aceleração se torna maior e quando você se dá conta, já superou a velocidade “permitida” na via. 150 Km/hora é tranquilo, você toca a moto por longas horas sem se dar conta da velocidade alta, o motor está em regime de cruzeiro.

Novo para brisa está maior mas sem regulagem de altura

Novo para brisa está maior mas não tem regulagem de altura

O para-brisa maior também tem “culpa”. Há menos ruído no motor e também do vento, que passa limpo por ele, sem fazer tanta turbulência.

Freios

Nova pinça dianteira permite mais progressividade na atuação mas a sensibilidade ficou um pouco prejudicada, está mais difícil a modulação. Mesmo sendo disco único não se percebe nenhuma tendência à torção nas bengalas. Na traseira não há mudanças e o funcionamento é inquestionável, muito bom.

Chassi e suspensão

O chassi agora é feito com tubos de aço alto carbono, que aumenta a resistência mecânica. A regulagem em sete posições do amortecedor traseiro facilita ajustar a suspensão à carga da moto, mas é necessário ferramenta para fazer o ajuste.

Ajuste da pré carga da mola deve ser feito com ferramenta

Ajuste da pré carga da mola deve ser feito com ferramenta

Mesmo sem ajustar a pré carga a progressividade da suspensão traseira é suficiente para suportar um eventual garupa, em viagem curta. Nessa condição é possível rodar com ela, sem grandes exageros.

Mesma geometria mas a estabilidade está mais para retas por causa dos pneus e suspensão

Mesma geometria mas a estabilidade está mais para retas por causa dos pneus e suspensão

A geometria e distribuição de massas já estão consagrados desde o lançamento, com a motorização de 700cc. Agora as alterações mostram que a NC 750X se tornou um projeto maduro, já se pode dizer que é um sucesso. Também no motor com as alterações que fizeram dele um pouco menos radical nesse novo conceito. Desde o modelo de 2015 ele responde até uma rotação um pouco mais alta, com um pouco mais de potência que o motor de 700cc. O modelo 2016 continua nesse conceito onde se busca maior “usabilidade” da motocicleta. Prioridade ao torque, grande conforto e enorme economia.
Soma-se tudo isso à roupa mais atual, luzes em LED com marcante eficiência do farol: você tem ai uma moto muito racional que oferece bons resultados em qualquer aspecto analisado.

 

Ficha Técnica – Honda NC 750X
MOTOR
Tipo 745 cm³ OHC, dois cilindros em linha, quatro tempos, quatro válvulas por cilindro, arrefecido a líquido
Potência máxima 54,5 cv a 6.250 rpm
Torque máximo 6,94 Kgf.m a 4.750 rpm
Diâmetro x curso 77 mm x 80 mm
Alimentação Injeção eletrônica de combustível PGM-FI
Sistema de lubrificação Forçada por bomba trocoidal
Relação de compressão 10,7 : 1
Sistema de ignição Eletrônica
Sistema de partida Elétrica
TRANSMISSÃO
Embreagem Multiplos discos em banho de óleo, com acionamento mecânico
Câmbio Câmbio de seis velocidades constantemente engrenadas
Transmissão final Por corrente
SISTEMA ELÉTRICO
Bateria 12V – 11,2 Ah
Farol LED
CHASSI
Tipo Tubular, com barras periféricas, motor fazendo parte da estrutura
Suspensão dianteira Garfo telescópico com 153,5 mm de curso e sistema SDBV
Suspensão traseira Mono amortecida Pro-Link com 150mm de curso, ajustável na pré carga da mola
Freio dianteiro Disco simples com Ø320 mm e cáliper de dois pistões e ABS
Freio Traseiro Disco simples com Ø240 mm e cáliper de pistão simples e ABS
Pneu Dianteiro 120/70 – ZR 17 MC (58W)
Pneu Traseiro 160 / 60 – ZR 17 MC (69W)
DIMENSÕES e PESO
Comprimento 2.228 mm
Largura 844 mm
Altura 1.353 mm
Distância entre eixos 1.534 mm
Peso seco 210 Kg
Altura do assento 832mm
Altura mínima do solo 164mm
Capacidade do tanque 14,1 litros 2,9 litros para reserva)
óleo do motor 3,7 litros (3,1 litros para troca)
 Preço FIPE junho/2016  R$ 33.130,00

Separador_motos

 



Pioneiro no Motocross e no off-road com motos no Brasil, fundou em 1985 o TCP (Trail Clube Paulista). Desbravou trilhas em torno da capital paulista enquanto testava motos para revistas especializadas.



Comentários encerrados