Rapidez e facilidade nas curvas não impõem limites fáceis de se atingir - Ela pode muito nesse quesito

Teste Kawasaki Z800

Naked, Streetfighter, ou mesmo Standard. Seja qual for o nome que você der a esse tipo de moto, você sabe, ela provoca emoções. E considerando a imagem que esse design da Kawasaki Z800 passa, mais ainda.

O estilo “transformer” dessa moto te coloca dentro do arquétipo dos poderosos heróis japoneses como Jaspion e Changeman. A imagem representa bem as características dessa moto. Confira no vídeo oficial.

A releitura da Z750 conta agora com 806 cm3 e segue a honrosa tradição da série Z. A Z750 foi produzida inicialmente em 1973, como uma versão reduzida da Z1 ou Z900 que agora é identificada como Z1000. As duas versões contam com muitas características comuns.

Kawasaki Z800: Desenho futurista e cara de super herói japonês

Kawasaki Z800: Desenho futurista e cara de super herói japonês

Continua essa linhagem com a atual Z800. Motor quatro cilindros arrefecido a líquido, cabeçote DOHC com quatro válvulas por cilindro, chassi em tubos de aço com o motor fazendo parte da estrutura e suspensão KYB de 41mm na frente e link, com reservatório de óleo remoto na traseira. Só para ter uma ideia do conjunto que vamos testar.

Motor é literalmente abraçado pelo chassi, por essa barra com um V - Forma uma estrutura leve e rígida

Motor é literalmente abraçado pelo chassi, por essa barra com um V – Forma uma estrutura leve e rígida

São 113 cavalos a 10,2 mil rotações por minuto e de torque ela tem 8,5 kgf.m a 8 mil rotações. Progrediu bastante em relação ao motor 750cc anterior, mas ainda não se pode dizer que é um motor dócil. Está melhor em baixas e médias rotações, mas na verdade, o que ele gosta mesmo é de rotações altas e se você quiser aproveitar mais do que ele é capaz, vai querer usar a faixa acima dos 7000 rpm, onde ele começa a falar mais alto.

Posição levemente de ataque é bem confortável

Posição levemente de ataque é bem confortável

Tudo ajuda e convida a essa tocada agressiva. A posição levemente abaixada ganha agilidade com o guidão largo e por isso mesmo você se abaixa ainda um pouco mais. Continua numa posição bastante confortável para as manobras no trânsito, inclusive pesado. Ajuda também o limite da direção, que deixa virar um pouco mais. Ela vira mais do que as mais esportivas da classe, mas ainda é mais restrita do que seria ideal no trânsito ou nas manobras fechadas.

Rapidez e facilidade nas curvas com limites dificeis de se atingir; ela pode muito nesse quesito

Rapidez e facilidade nas curvas com limites dificeis de se atingir; ela pode muito nesse quesito

Nas estradas a ausência da carenagem e a frente baixa traz a contrapartida do belo design. O vento ganha força contra o piloto, conforme a velocidade aumenta e por isso ele não vai querer manter essa situação por muito tempo. Numa viagem de cruzeiro, as médias podem ficar bem abaixo do que ela é capaz por causa disso. Também o banco pouco macio traduz bem o comportamento da moto, mas acaba por exigir mais do piloto. Então, aquele que tem boa forma e vontade de andar, pode levar essa condição até bem mais longe porque essa moto foi feita para ele e ambos vão se divertir muito.

Muito fácil é fazer curvas com ela. Parece que não há limites quanto à inclinação disponível e as qualidades da suspensão e a ciclística são compatíveis. Ela tem fome de “track day” mesmo com os ajustes standard de suspensão e pneus.

Geometria de valores equilibrados proporciona um resultado equilibrado também

Geometria de valores equilibrados proporciona um resultado equilibrado também

A facilidade e naturalidade nos movimentos das entradas e saídas de curvas é resultado do bom equilíbrio nas dimensões da geometria. Nos contornos e retas a boa estrutura do chassi tubular colabora em muito e também com o acionamento equilibrado da suspensão. O resultado é uma moto de características esportivas, mas ainda com boa facilidade de pilotar e ela proporciona boa estabilidade mesmo em piso irregular.

Freios com pinças de quatro pistões e discos duplos de 310mm param muito rápido a moto

Freios com pinças de quatro pistões e discos duplos de 310mm param muito rápido a moto

Para somar um bom equilíbrio ao conjunto as partes devem ter um mínimo de qualidade acima da média. Para uma moto desse preço, os componentes são compatíveis com o resultado obtido.

Na suspensão, as bengalas invertidas KYB de pistões grandes oferecem ajustes na pré carga da mola e retorno do sistema hidráulico. Uma fina calibração é possível para ajustar o peso do piloto às condições da pista e pneus.

Suspensão traseira monoshock em balança de braços duplos absorve bem as irregularidades e mantém a roda em contato com o piso

Suspensão traseira monoshock em balança de braços duplos absorve bem as irregularidades e mantém a roda em contato com o piso

Ainda, fazendo uma boa atuação na frente da moto, os freios duplos tem pinças de quatro pistões mordendo grandes discos de 310mm. Eles fazem ficar fácil e controlada a ação de frenagem, sem perda de sensibilidade, mesmo com o ABS.

Na suspensão traseira o sistema é com link e o amortecedor KYB tem reservatório remoto, estilo “piggyback”. Esse sistema mantém o gás separado do óleo que permanece em menor temperatura e assim não perde as boas qualidades no funcionamento, mesmo depois de longas horas de trabalho.

Belo painel digital bastante completo e vem com computador de bordo; tem dois odômetros parciais, informa a média e o consumo instantâneo; o guidão é largo e os espelhos focam boa parte do ombro do piloto; o botão vermelho no punho esquerdo é um pisca alerta, bem conveniente

Belo painel digital bastante completo e vem com computador de bordo; tem dois odômetros parciais, informa a média e o consumo instantâneo; o guidão é largo e os espelhos focam boa parte do ombro do piloto; o botão vermelho no punho esquerdo é um pisca alerta, bem conveniente

Então no conjunto, a Z800 se registra como sendo uma moto esportiva, mas naked, pouco confortável, mas instigante para um piloto arrojado, com um motor potente, mas pouco econômico. Nossa média ficou em 16,4 km/litro e ela exige qualidade na gasolina (Premium apenas) e o mais importante é que você não precisa ter o máximo em termos de componentes e assim, o preço de R$ 37.845,00 (tabela Fipe 4/2014) acaba por ser bastante razoável, pelo tanto que ela oferece para um motociclista que sabe o que quer.

Se você tem uma Kawasaki Z800, opine sobre ela!
Acesse agora mesmo: Guia de Motos – Motonline