Kawasaki ZX6 R 636 - Todas as suas linhas colaboram na definição do seu espírito Ninja - Esportividade

Teste Kawasaki ZX6 636

Mais esportividade, mas com versatilidade. Esse é o foco que norteou a Kawasaki quando planejou as modificações na ZX6-R 636. E depois de tudo realizado, só de olhar para ela você já entende a que ela veio.

Não esqueça: ela é uma Ninja e exige experiência se a tocada for mais forte

Não esqueça: ela é uma Ninja e exige experiência se a tocada for mais forte

Esportividade estampada em todas as suas linhas, mas com alguns detalhes que a tornam dócil para algum passeio. Porém, definitivamente, esta não é uma moto para pilotos inexperientes. Ela é uma ninja de verdade, daquelas que dão respostas fortes e decisivas.

Kawasaki ZX6 R 636 - Todas as suas linhas colaboram na definição do seu espírito Ninja - Esportividade

Kawasaki ZX6 R 636 – Todas as suas linhas colaboram na definição do seu espírito Ninja – Esportividade

Novos pistões com revestimento anti-atrito

Novos pistões com revestimento anti-atrito

As Ninjas médias alternam essas duas cilindradas  599 (600) ou 636 na ZX6 há anos. Desde 2003 elas são de 600 cilindradas e em 2011 ela passou mais uma vez para 636. Mas dessa vez a mudança foi mais radical. Mudou o curso dos pistões, que aumentou de 42,5mm para 45,1mm. No motor da 2005/6 por exemplo, essas dimensões estavam no extremo do superquadrado, configurando um diâmetro e curso de 68 x 43,8mm que entregava 130 cv a 14.000 rpm. Hoje, com uma relação diâmetro x curso mais amena, o resultado é que a moto alcança 131 cv em 13.500 rpm, um desempenho incrível.

Motor 636 - Mais torque e potência em toda faixa de rotações

Motor 636 – Mais torque e potência em toda faixa de rotações

Mas o motor é apenas parte de um conjunto todo equilibrado. Desde as pinças monobloco Nissin de fixação radial até o chassi em alumínio estampado, formando duplas vigas periféricas. Essa moto registra uma marca importante no desenvolvimento das super esportivas peso médio.

O banco permite toda movimentação de um piloto de competição e as barras do guidão são fixadas nos tubos da suspensão

O banco permite toda movimentação de um piloto de competição e as barras do guidão são fixadas nos tubos da suspensão, para pouca área frontal e melhor aerodinâmica

O banco em dois níveis posiciona o piloto na melhor postura para um uso esportivo, mas o motor oferece respostas para dois usos. Como uma moto de passeio, para você fazer uma viagem sem compromisso ou num track-day radical, competindo de igual para igual com as melhores motos da categoria.

Uma esportiva tem que ter direção com respostas rápidas e precisas, nenhuma interferência das suspensões nas funções da geometria. Mas a ZX6 R, quase como uma incompatibilidade, consegue ser dócil em tocadas descompromissadas. E isso essa Ninja até que consegue ser, por causa dessa medida de trail algo generosa para uma super esportiva, 101 mm.

Ajustes de suspensão: práticos, fáceis e visíveis

Ajustes de suspensão: práticos, fáceis e visíveis

Mas o ângulo do rake, de 23,5 esse sim marca a esportividade para uma direção rápida e esportiva, ainda mais com a curta distância entre eixos. Você precebe boa estabilidade em retas e consegue mudanças rápidas e fáceis de direção, aplicando movimentos leves mas com muita precisão junto às barras do guidão.

Esportividade é o tom principal, mas cabe um passeio descompromissado

Esportividade é o tom principal, mas cabe um passeio descompromissado

Ela vai exatamente onde se aponta, quando se anda rápido mas andando devagar, sem compromisso, sua direção é bastante estável, não apresenta movimentos bruscos como reação ao terreno.

Medidas definitivas para uma esportiva, mas com um trail relativamente longo - Acalma reações que poderiam ser indesejáveis nas ruas, principalmente em piso ruim

Medidas definitivas para uma esportiva, mas com um trail relativamente longo – Acalma reações que poderiam ser indesejáveis nas ruas, principalmente em piso ruim

KIBS - Intervenções mais rápidas e menores estabilizam mais as frenagens

KIBS – Intervenções mais rápidas e menores estabilizam mais as frenagens

O sistema eletrônico de administração do motor oferece dois modos de condução. Um, 20% menos potente para essas situações onde não se exige tudo da moto e onde seja necessário mais controle no acelerador. O KTRC tem três modos de controlar a tração na roda traseira. Nível 1, 2, 3 ou totalmente desligado. Nessa moto ainda se inclui o sistema ABS inteligente, que mesmo em grande atuação você não percebe as intervenções que são mais rápidas e em menor intensidade. E ele também pode ser desligado.

Suspensão traseira com link e amortecedor único com reservatório remoto - totalmente ajustável

Suspensão traseira com link e amortecedor único com reservatório remoto – totalmente ajustável

Fechando esse conjunto equilibrado, os componentes da suspensão KYB na dianteira com funções distintas em cada bengala. Na direita se controla o amortecimento e há dois ajustes: um para a extensão e outro para o movimento de compressão. Esses ajustes são contínuos, sem clicks. Na traseira o sistema Uni-Trak tem balança de alumínio com braços duplos muito reforçados que comporta por baixo uma câmara adicional para o escapamento. O amortecedor único tem reservatório remoto para o gás em expansão. Assim há mais estabilidade térmica e o sistema não se degrada com o uso. Os ajustes são na pré carga da mola, compressão e retorno do amortecimento hidráulico.

Os freios, controlados pelo KIBS (ABS inteligente) tem na dianteira pinças Nissin de quatro pistões de alumínio e fixação radial com discos ondulados semi flutuantes de 310mm. Não dá para ser melhor do que isso. É o estado da arte em termos de freios para moto. Na traseira o freio também a disco tem pinça com pistão de alumínio e diâmetro de 220mm.

Embreagem assistida - deslizante. Ressaltos inclinados fazem a funçao de assistir ao acoplamento dos discos na aceleração e permitir deslizamento na desaceleração, para evitar derrapagens

Embreagem deslizante – assistida. Ressaltos inclinados fazem a funçao de assistir ao acoplamento dos discos na aceleração e permitir deslizamento na desaceleração, para evitar derrapagens

Mas ainda tem mais avanços em tecnologia. O sistema de embreagem deslizante-assistida. Ela promove um acionamento mais leve da embreagem em arrancadas e sob aceleração. É que há ressaltos entre as placas motora e movida que são inclinados, de forma que provocam uma força adicional de aproximação dos discos. Sob desaceleração, esses ressaltos, por outro lado, diminuem a ação das molas permitindo um deslizamento da embreagem que auxilia nas frenagens, evitando derrapagens. Simples e eficaz.

Com tudo isso a Kawasaki ZX6 R 636 se mostra pequena e leve. Motor potente e ao mesmo tempo elástico o suficiente para mudanças de marchas tranquilas num passeio ou num deslocamento descompromissado. E se for o caso, em um track day ou em competição ela dá conta do recado, com tudo que até um piloto profissional pode querer em termos de equipamento e performance.

Se você tem uma Kawasaki Ninja ZX6 R 636, opine sobre ela!
Acesse agora mesmo: Guia de Motos – Motonline