XT660Z_destaque

Teste Yamaha XT660Z Ténéré

Uma é pouco. Duas é bom. Três é muito melhor. Uma família completa de motocicletas “iguais” nos tamanhos P / M / G. O consumidor escolhe o tamanho que cabe no seu bolso e na sua habilidade. Esta que faltava para completar a família Ténéré chegou no último Salão Duas Rodas e reúne as boas características da irmã maior e da irmã menor. A Yamaha conta agora com toda gama para a linha das trail nesta sub-divisão que se pode chamar de esporte – aventura. A pequena (grande) XTZ 250 Ténéré, a que é apresentada neste teste – XT 660Z Ténéré – e a grande  XT1200Z Super Ténéré (clique para ver os outros testes).

XT 660 Z Ténéré a Sport Adventure média da Yamaha

XT 660Z Ténéré: uma autêntica Sport Adventure da Yamaha no tamanho médio

Ainda no Salão Duas Rodas os consumidores se perguntavam se a trail XT 660R iria ser descontinuada em função da chegada da nova moto da Yamaha. A fábrica não confirma, mas o mercado acabará por definir que a XT 660R deverá ceder seu espaço para a nova XT 660Z Ténéré. Essa 660 pode ser considerada uma Big Trail que fica hoje em dia espremida entre as outras duas, a 250 (uma trail) e a 1200 (maxi trail) que vão aos extremos em termos de potencial aventureiro.

A 250, mais leve e econômica, é mais limitada. A XT 1200Z Super Ténéré, como o nome diz, é “super” em tudo. Então, a 660 ficou com a levesa e agilidade da pequena, com a força e o desempenho da maior, para ser uma espécie de receita equilibrada do segmento. E ela é exatamente isso.

A XT 660Z Ténéré tem a vantagem de oferecer um meio termo em quase todos os quesitos que as outras duas são mais radicais. Com ela, a Yamaha conseguiu cobrir todas as possibilidades e interesses dos motociclistas dessa categoria de moto. Para essa autêntica esporte – aventura o percurso de teste foi definido para que cobrisse esses três ambientes por onde ela se habilita com total facilidade. Cidade, estrada e trilhas leves de longo percurso.

Andando na cidade

Andando na cidade já se observa o grande conforto que ela oferece

Andando na cidade já se observa o grande conforto que ela oferece

Andando com ela na cidade o motociclista se encontra logo de início em um ambiente em que ele e a moto se adaptam perfeitamente quanto a ciclística. A altura do banco é grande, mas oferece muito conforto para longos percursos urbanos e demanda um piloto com estatura que se adapte à ergonomia da moto. O guidão é largo, expandido pelos excelentes protetores de mãos e pesos nas suas pontas e por isso ela necessita de bom espaço no trânsito para trafegar com segurança. Lembre-se que estes protetores podem ser retirados.

As manobras são fáceis de executar, podendo o condutor manter equilíbrio em baixas velocidades e executar manobras complexas por causa da grande dimensão do guidão, desde que haja espaço. Mas é preciso habilidade porque, pode ser complicado apoiar o pé no chão em algumas situações com um piloto de estatura menor.

Saindo da imobilidade já se percebe a grande elasticidade do motor, o mesmo da consagrada XT 660R. Ele empurra os 21Kg adicionais da Ténéré sem maiores dificuldades e graças ao novo lay-out e ciclística, permite rodar em percursos que favoreçam mais a linha reta. Essa característica permite maior estabilidade em terreno arenoso ou esburacado. Literalmente, é possível ignorar a maioria das imperfeições do péssimo asfalto urbano de boa parte das cidades brasileiras.

Apesar do seu tamanho, a altura do guidão e o torque sempre disponível compensam no uso no trânsito travado. Os espelhos e o guidão passam acima dos espelhos da maioria dos carros e é preciso atenção apenas com SUV’s e furgões. Ultrapassar é simples e basta abrir um pouco o acelerador e ir, sem medo e com segurança pelo grande equilíbrio que a moto oferece. A sensação de segurança é total e fica reforçada pelo bom par de freios a disco nas duas rodas com ABS opcional. Outro detalhe que “abre caminho” para a XT 660Z Ténéré no meio dos carros é seu porte e o excelente farol, muito claramente visto por qualquer espelho retrovisor dos carros.

Andando nas estradas

Na estrada você pode andar o dia inteiro sem se cansar

Na estrada você pode andar o dia inteiro sem se cansar

Também nas estradas o ponto máximo é o conforto. Boa velocidade e controle se consegue por causa do grande guidão e pára-brisa alto, que abre caminho no vento. Dessa forma médias de velocidade altas são conseguidas sem que a fadiga assuma um papel muito importante. O grande tanque de 23 litros vem colaborar com a possibilidade de viajar por longas horas sem que sejam necessárias paradas freqüentes para abastecer.

As suspensões macias e a ajuda da aerodinâmica colaboram para uma tocada confortável e prazerosa por longas horas e se houver necessidade de mudar algum ajuste da suspensão para uma tocada mais radical é possível aumentar a pré carga das molas nas duas rodas, mas para mudar a ação hidráulica vai precisar recalibrar a suspensão, serviço realizado somente por um especialista. Nas curvas e para uma tocada mais esportiva mais recursos de ajuste na suspensão fariam diferença. No entanto, isso não invalida a grande vocação para grandes viagens com conforto. O bom conjunto acessório de malas laterais e o bauleto traseiro são muito úteis. Mas o bagageiro é de bom tamanho e permite fácil amarração de qualquer tipo de bolsa para viagem.

Andando na terra

Daqui para frente começa a ficar mais divertido

Daqui para frente começa a ficar mais divertido

Vindo da terra das Ténéré, as trilhas do deserto do norte da África, a Yamaha não poderia deixar de lado boas qualidades “off-road” para essa moto manter a tradição do nome. Em particular nos espaços abertos, em velocidade, a moto média das Ténéré faz por merecer os louros da tradição.
Entretanto, uma moto de uso misto não dá para ser excelente em tudo, ainda mais focando em grande conforto para trafegar em qualquer ambiente. Há que se assumir certos compromissos. Apesar disso, o resultado é muito bom em todas as propostas da moto.

Específicamente, na terra, ela está apta a grandes deslocamentos em percursos precários mas pouco radicais. Os pneus de uso misto e a suspensão macia são os principais limitantes para um uso mais esportivo, seja no barro, areia, pedras ou terra batida. As suspensões de longo curso absorvem toda irregularidade e para velocidades até razoáveis ela dá conta do recado e nas trilhas mais espaçosas não faz transparecer o peso da moto. A maior diferença de desempenho desta para a XT 660R, é que a R tem ciclística e suspensões mais adaptadas a um off-road mais esportivo e menos aventureiro.

Análise Técnica

XT 660 Z Ténéré a Sport Adventure média da Yamaha

A XT 660Z Ténéré segue a receita tradicional para uma big-trail, mas com características de Sport Adventure

Ciclística

Ciclística bem comportada, em terreno quanto pior melhor

Ciclística bem comportada para todo tipo de terreno: quanto pior melhor

Uma big trail deve ter características de boa estabilidade em terrenos acidentados. Para isso elas costumam ter uma geometria que favoreça essas condições: grande distância entre eixos (1.500mm), um ângulo de ataque mais aberto (rake = 28º) e uma medida de trail proporcionalmente grande (113mm). As suspensões também são de curso longo para oferecer mais absorção dos impactos. Essas medidas deixam a moto alta e a ciclística lenta para menor influência das irregularidades do terreno, mas em contrapartida a rapidez de respostas em dirigibilidade ficam comprometidas. Não é sem propósito o grande peso e altura do banco, são características inerentes a esse tipo de moto.
Dessa forma a Yamaha XT660Z Ténéré permite um trafegar relaxado e confortável nas piores condições de terreno possíveis. Seu chassi estilo “Diamond” em tubos de aço oferece boa estrutura para o motor e suspensões.

Suspensão
Com curso de 210 mm na dianteira e 200 mm na traseira a ação de absorção dos impactos é bem aproveitada. Na posição para maior conforto (menos pré-carga) há um pouco de movimento parasita, mas se desejável, ao endurecer a suspensão, esses movimentos diminuem e comprometem apenas um pouco a grande virtude da Ténéré 660 que é o conforto.

Em mudanças rápidas de direção, com frenagens perto do limite, o guidão largo, a roda aro 21″ aliada às longas barras do garfo dianteiro quando sob tensão das forças do movimento (grande efeito giroscópico da roda 21″), acabam oferecendo certa torção, que tira a precisão das manobras. Uma barra estabilizadora junto ao para-lama dianteiro resolveria isso. Se houvesse regulagens na compressão e retorno do acionamento hidráulico ajudaria também nos casos em que se procura uma pilotagem mais esportiva.

Motor

O conjunto mecânico é muito compacto e focado na utilidade

O conjunto mecânico é muito compacto e focado na utilidade

Ponto alto dessa moto, o monocilindrico de 660cc oferece características bem desejáveis. Compacto, leve e potente, consegue boa aceleração e velocidade com consumo bom. O dimensionamento super-quadrado (100mm x 84mm de diâmetro e curso) provê respostas rápidas ajudado pela injeção eletrônica que permite uma relativa alta taxa de compressão. Com essas boas características ele dá conta dos 20 Kg a mais dessa moto (aproximadamente) em relação à XT 660R com facilidade, apesar de oferecer os mesmos números de potência (48 cv a 6000 rpm) e praticamente o mesmo torque (5,92 Kgf.m a 5500 rpm da Ténéré contra 5,95 Kgf.m a 5250 rpm da XT660 R).

Na Yamaha XT 660R ele consegue mais aceleração, mas a ciclística e a aerodinâmica da Ténéré permitem maior estabilidade em velocidades altas, com média melhor de velocidade nas rodovias.

Transmissão
Outro item importante, bem resolvido nas XT 660 é o câmbio. Engates rápidos e precisos são fáceis de conseguir e os movimentos na alavanca são leves. Dificilmente se erra uma troca e o escalonamento também é muito bem resolvido na Ténéré. A nova curva de torque deixa o motor mais elástico e apenas nas grandes diminuições de velocidade é necessário baixar as marchas para evitar os soquinhos inerentes ao grande monocilindrico. Na maioria das outras ocasiões as variações de velocidade pedem poucas trocas de marcha. A transmissão final é por corrente.

Freios

Freios duplos dianteiros equilibram a frente

Freios duplos dianteiros equilibram a frente

Os freios são duplos na frente, com 298  mm de diâmetro e são potentes o bastante para imobilizar rapidamente a moto. Por serem duplos esses freios equilibram melhor as forças no garfo e não provocam torções excessivas nas frenagens.
O freio simples da traseira tem 245 mm de diâmetro do disco, faz bem seu papel, mantendo boa sensibilidade e força sem tendência a travar a roda.

Acabamento
O estilo da moto, grande e alta, faz com que a  XT 660Z Ténéré tenha um aspecto robusto e o alto pára-brisa cobrindo inclusive o farol aumenta a proteção desse item. É fácil perceber o cuidado no acabamento e encaixes das peças com boa precisão. A pintura é excelente, assim como os outros tratamentos de superfície.

Equipamentos
Bom e moderno, o painel em LCD é complementado pelo conta-giros analógico de ótima visibilidade. Várias luzes espia controlam  as principais funções do funcionamento da moto. No visor de cristal há barras indicadoras do nível de gasolina, um velocímetro de dígitos grandes, um hodômetro total, dois parciais que podem ser zerados a qualquer momento e um contador de percurso em reserva. Relógio digital e um dispositivo auto-diagnóstico da injeção eletrônica e do ABS (se instalado) completam o painel. Este conjunto ocupa pouco espaço na carenagem e, se quiser, dá até para colocar um GPS com tela tamanho 7″ ali por perto.

Tecnologia
Bem atualizada, a XT 660Z Ténéré dispõe do que há de mais atual em termos de desenvolvimento tecnológico. Talvez coubesse um ABS como opcional, mas seria um luxo que poderia tirar da moto a sua competitividade de preço no mercado, Apesar de ter sido lançada primeiramente em 2008, permanece atualizada para a maioria dos mercados onde atua.

Acessórios
Estão disponíveis o sistema ABS, malas laterais, mala central para o bagageiro, protetor de motor em alumínio e piscas em LEDs. O preço sugerido da Yamaha XT 660Z Ténéré é a partir de R$30.500,00 sem frete.

Obs:Para facilitar a discussão sobre esse assunto criamos um espaço no final da página ou no fórum para os motonliners.