Tiroteio

Tiroteio

Tiroteio

Vira e mexe piloto superesportivas, motos capazes de acelerar de 0 at‚ 200 km/h em oito segundos, ou menos; motos que ultrapassam a barreira do 270 km/h. Depois de muitos anos de pilotagem nas rus e nas pistas, al‚m de cursos no Brasil e no exterior, sinto-me preparado para tirar dessas motos as informa‡äes necess rias para que todos sintam como ‚ pilotar uma m quina dessas. A curiosidade em tomo de uma superesportiva ou as sport-touring ‚ enorme e gira sempre em tomo de uma questÆo chave: “Quanto corre esta moto?”.

Normalmente o perguntador estica o pesco‡o por cima do tanque e se assusta diante de valores como 300, 320 ou 340 km/h indicados no veloc¡metro. A segunda pergunta ‚: “Vocˆ j  correu tudo isso?”. E aqui come‡a a minha tese.

Costumo comparar motos supervelozes com armas de fogo. Quem tem quer usar. NÆo adianta se revestir de conceitos hip¢critas, todo mundo que tem uma arma de fogo j  atirou, ou gostaria de atirar, seja em alvo fixo inanimado, seja em seres vivos (bichos, passarinhos, gente, etc). Se o dono de uma pistola autom tica nÆo tiver um profundo e s¢lido bom senso, adquirido com as experiˆncias pessoais, boas ou m s, ser  um forte candidato a entrar para as estat¡sticas de acidentes com armas de fogo.

O mesmo pode-se dizer das motos incrivelmente velozes. Presenciei uma cena chocante, numa agrad vel tarde de outono, numa das avenidas mais movimentadas de SÆo Paulo: cerca de 10 dessas motos, pilotadas por motociclistas aparentemente experientes, todos com mais de 30 anos. Assim que me viram chegar com uma Honda CBR 954RR novinha, os colegas – alguns sem capacete reagiram como crian‡as de jardim da infƒncia e come‡aram uma seqˆncia exibicionista grotesca de irresponsabilidades. Alguns aceleraram at‚ o motor chegar na faixa vermelha e a igni‡Æo cortar, fazendo o motor pipocar num barulho infernal. Outros sa¡ram empinando e teve ainda um e outro que “aproveitou” o farol amarelo a mais de 150 km/h.

Essa manifesta‡Æo poderia ser equiparada a um grupo de amigos, todos armados, brincando de atirar nas pessoas “s¢ para assustar”, ou outra idiotice belicosa qualquer. Se tivesse o poder de exercer a lei, faria com que todos perdessem as motos, a exemplo dos motoristas bˆbados em Nova Iorque. L , o motorista que for flagrado dirigindo embriagado perde o carro. Isso mesmo, tomam-lhe o carro e a carta. Numa ‚poca em que os motociclistas, sobretudo os motoboys, sÆo alvo de preconceitos por parte da m¡dia nÆo d  para tolerar mais esse tipo de atitude de puro exibicionismo.

Pilotar uma moto esportiva exige habilidade, conhecimento e responsabilidade. Tudo acontece muito r pido quando estamos a mais de 200 km/h e uma indecisÆo pode custar caro. Procure encarar sua esportiva como o m¡ssil bal¡stico que ‚. Saiba como aproveitar o imenso prazer que essas motos proporcionam, pilotando de forma segura e respons vel. Aqui – vÆo algumas dicas:

– Use a moto como se fosse uma extensÆo de seu corpo. Portanto, seu corpo deve ajudar a pilotar, e nÆo atrapalhar.

– Posicione-se como numa moto de corrida, com os bra‡os levemente inclinados e dobrados para aliviar a suspensÆo dianteira. Os bra‡os nÆo devem ficar esticados nem duros, porque os semiguidäes sÆo presos diretamente nas bengalas. Se vocˆ endurecer os bra‡os, estar  endurecendo tamb‚m a suspensÆo.

– Use muito as pernas. Quem cavalga sabe que o cavalo ‚ conduzido pelas pernas do cavaleiro. Fa‡a o mesmo: pressione os joelhos contra o tanque nas frenagens para aliviar o peso dos bra‡os e mÆos. Ao trafegar em ruas esburacadas, levante a bunda do banco e ap¢ie o peso nas pernas. Al‚m de aliviar a suspensÆo traseira, vocˆ estar  fazendo um excelente exerc¡cio para as pernas.

– Lembre-se que a maioria dos motoristas nÆo tˆm no‡Æo da velocidade de uma moto esportiva. Mantenha muita distƒncia dos carros e use tamb‚m as pernas para desviar a moto, empurrando o tanque com os joelhos. Fa‡a uma experiˆncia: numa reta de asfalto liso, tire as mÆos do guidÆo e force o tanque com os joelhos, alternando esquerdo e direito. Sinta como a moto vira sem vocˆ usar as mÆos.

–  muito comum o piloto dessas motos perderem a no‡Æo de velocidade, pois sÆo f ceis de pilotar a 100 – 120 km/h, por isso fique de olho no veloc¡metro.

– Os freios dessas motos sÆo muito potentes: use apenas dois dedos (indicador e m‚dio) da mÆo para frear e use o freio traseiro com muito cuidado.

– A maioria das esportivas nÆo foi idealizada para levar garupa. Quando o fizer, oriente a (o) companheira (o) para se segurar no piloto e acompanhar os movimentos. Se o (a) garupa tiver medo, respeite e rode muito devagar. S¢ quem andou na garupa dessas motos sabe o pavor que isso provoca.

– Seja respons vel.