triumph-e-bajaj

Triumph faz parceria com Bajaj para ampliar mercado

Hoje pela manhã a Triumph anunciou à imprensa sua parceria com a Bajaj Auto India, o que levantou uma onda de hipóteses e suposições no mercado de motos. Inclusive nossa redação foi atingida por este êxtase. De um lado, a conhecida marca premium inglesa, responsável por nomes icônicos como a família Bonneville e também referência em motos trail e esportivas de alta cilindrada (que, inclusive, passará a oferecer motores ao mundial de Moto2, substituindo a Honda) e do outro a Bajaj Auto, uma grande marca indiana fabricante de motos pequenas. O que podemos esperar quando temos estas duas assinaturas no contrato?

Notícia quente sobre o mercado internacional de motos: Triumph e Bajaj estabelecem uma parceria. Duas gigantes do motociclismo, em polos extremos. Bajaj está entre as marcas de motos pequenas mais vendidas na Índia

Notícia quente sobre o mercado internacional de motos: Triumph e Bajaj estabelecem uma parceria. Duas gigantes do motociclismo, em polos extremos. Bajaj está entre as marcas de motos pequenas mais vendidas na Índia

Segundo as informações oficiais da Triumph, “o objetivo desta parceria, sem troca de ações, é o de entregar uma gama de motocicletas, beneficiando-se das forças coletivas de ambas as empresas”, bem como “permitir à Triumph expandir de forma significativa seu alcance global através da entrada da marca em novos segmentos de maior volume, especialmente nos mercados emergentes em todo o mundo. A Bajaj ganhará acesso à icônica marca Triumph e suas excelentes motocicletas, o que lhe permitirá oferecer uma gama mais ampla de motocicletas dentro do seu mercado doméstico e em outros mercados internacionais”. Além disso, as duas marcas “estão orgulhosas de anunciar a sua parceria global” e “entusiasmadas com as oportunidades desta parceria e a perspectiva de entrar em novos segmentos de mercado, atingindo um novo grupo de motociclistas em todo o mundo”. O material enviado à imprensa encerra com o trecho “detalhes adicionais a respeito desta nova e emocionante parceria serão compartilhados oportunamente”, antecedendo a assinatura do CEO, Nick Bloor.

Mercado em êxtase: parceria entre Triumph e Bajaj

Este tipo de transação, unindo marcas de esferas opostas em prol do bem de ambas, está efervescendo nos últimos anos… e rodando as ruas de vários países do mundo. De um lado a Bajaj terá acesso ao nome Triumph e seu mercado e seu mercado seletivo, e de outro a marca inglesa poderá lançar motos com preços mais acessíveis, especialmente em mercados emergentes. Este cenário está sendo vivido no mercado brasileiro hoje, por exemplo, com o lançamento da BMW G 310 R (e aguardando a chegada da irmã, a G 310 GS). Uma marca premium (BMW) firmou uma parceria com uma empresa especializada em motos de baixa cilindrada (TVS) e desenvolveu um produto com um pouco dos dois mundos que serve como entrada para a família BMW, diversificando seu produto e atingindo uma nova leva de usuários. Esta é a receita.

Este mesmo tipo de parceria gerou um fruto recentemente. A BMW G 310 R (e também a G 310 GS) nasceu do trabalho da BMW com a TVS (concorrente da Bajaj na Índia)

Este mesmo tipo de parceria gerou um fruto recentemente. A BMW G 310 R (e também a G 310 GS) nasceu do trabalho da BMW com a TVS (concorrente da Bajaj na Índia)

Esta não é a primeira vez que a Bajaj Auto estabelece uma parceria nestes moldes. Em 2007, o aperto de mãos entre a marca indiana e a austríaca KTM possibilitou a criação das pequenas DUKE’s. Na ocasião, a boa aceitação da 125 DUKE no mercado europeu (que vendeu mais de 10 mil motos em um ano) deu origem à diversificação da produção, com a chegada das 200 DUKE e 390 DUKE. Falamos mais sobre esta parceria aqui no Motonline em 2015, veja a reportagem. A expansão para o mercado de baixa cilindrada foi uma atitude essencial para a KTM atravessar a crise global que enfrentava naquela época.

Há dez anos, em 2007, KTM e Bajaj somaram forças para dar início à família de baixa cilindrada DUKE. Hoje motos com a 200 DUKE e 390 DUKE são um sucesso e vendidas em diversos países - incluindo o Brasil

Há dez anos, em 2007, KTM e Bajaj somaram forças para dar início à família de baixa cilindrada DUKE. Hoje motos com a 200 DUKE e 390 DUKE são um sucesso e vendidas em diversos países – incluindo o Brasil

Estaria então a Triumph planejando seguir os mesmos passos de outras marcas premium, com o objetivo de abocanhar parte do interessante mercado de motos em países emergentes (como é o caso do Brasil e da Índia)? Ao que tudo indica, sim, acendendo a luz de alerta à possibilidade de termos uma representante da marca na casa das 200 – 350 cilindradas em breve. Cabe também uma observação sobre as agressivas estratégias de mercado da Bajaj, que recentemente também foi cotada como uma das marcas interessadas em adquirir a Ducati.

Separador_motos



Jornalista gaúcho convicto de que um passeio de moto em um dia de sol é a cura para praticamente todos os males da vida. Fã de motoaventurismo, competições de moto, café, praia e de rock n roll.