Foto: Divulgação Yamaha

Tuning, capacetes, moto nova, ajustes, moto boa mecânico ruim

Foto: Divulgação Yamaha

Foto: Divulgação Yamaha

Prezados: Acompanho o motonline ha bastante tempo, sou assíduo e os parabenizo pela qualidade do site, assim segue minha dúvida. Sei que a alteração de componentes do motor de forma isolada acaba nao servindo pra nada, não melhora performance e ao contrario, até prejudica. Tenho uma Yamaha mt-03 e pegunto: 1)Conseguirei melhora em seu desempenho trocando velas, filtro de ar e escapamentos originais pelas velas Iridium, filtro K&N e Escape Esportivo + regulagem da injeção? 2) Será que tal alteração pode ser considerada leve e que nao ocasionará grande redução de vida útil do motor? 3) Quantos cvs acham que posso ganhar com isso? Grato!! Ricardo, 30, Itumbiara, GO

R: Ricardo, essas alterações a que você se refere são as mais indicadas para uma melhora no rendimento. As velas de iridium proporcionam uma faísca um pouco mais eficiente e a condição térmica da vela é mais estável, isso melhora o resultado. O filtro menos restritivo combinado com o escapamento projetado para maior fluxo e menos pressão contrária proporciona uma maior velocidade dos gases em seu percurso completo. Desde a entrada de ar até a saída do escapamento, o fluxo fica mais rápido e a injeção faz automaticamente os ajustes necessários, porém pode-se aumentar a alimentação para um pequeno aumento de potência mas que prejudica as emissões e economia de combustível. Difícil dizer o quanto melhora, 3, 5 ou 10 por cento? Só fazendo as medições mas com certeza você vai perceber o resultado, principalmente a aceleração mais rápida, um pouco mais de velocidade final e melhor resposta aos comandos do acelerador. Os cuidados com a manutenção devem ser os mesmos, assim não há prejuízo significativo na durabilidade. Abraços.

Tuning, capacetes, moto nova, ajustes, moto boa mecânico ruimOi pessoal do motonline. Estou procurando capacete pra comprar. Estou em dúvida entre dois modelos. Em um o casco é feito de fibras compostas (?), e em ouro de resina termoplástica injetada (isopor, certo?). Há alguma diferença de segurança entre esses materiais?obs: Os capacetes são da Zeus: modelos 1200 e 810, respectivamente. Obrigado e parabéns pelo ótimo site. Vitor, 23, Rio de Janeiro, RJ

R: Victor, na verdade existem dois processos de fabricação de capacetes, o mais popular é o de casco em ABS injetado que proporciona um nível de segurança razoável, mas que pela característica do material não promove uma absorção dos impactos de forma tão eficiente, ele tem um leve efeito de mola (resiliência)quando submetido aos impactos. O ABS bate e volta oferecendo uma aceleração no sentido contrário ao movimento da absorção dos impactos, como se fosse uma bola de futebol.
Melhor condição oferece os capacetes laminados em fibra de vidro, kevlar e/ou fibra de carbono. Esses são bem mais caros mas não sofrem do efeito mola que o ABS tem. Ao receber um impacto a fibra se rompe progressivamente até absorver toda energia, sem devolver o movimento, maior segurança portanto.
Internamente os dois tipos compartilham o mesmo sistema de proteção, de espuma de poliestireno expandido, que é um plástico celular e rígido, bom para absorver a energia dos impactos. A forração de tecido e espuma é o que vai proporcionar o conforto e o encaixe perfeito sobre o crânio, de forma que não haja folga entre ele e o capacete, pois isso também prejudica na segurança. Assim, coloque o capacete e balance a cabeça, ele deve acompanhar o seu movimento sem balançar em sentido contrário. Um pouco apertado é normal, eles costumam amaciar com o tempo de uso. Verifique o sistema de fixação, há uma tradição entre os pilotos profissionais pela preferência no sistema de dois “d” que dá uma segurança maior, mas é mais complicado de fixar. Boa sorte,

Comprei uma Suzuki Intruder 125 0km, é minha primeira moto, gostaria de saber o que devo olhar na hora de retirar a moto da loja, quais itens devem acompanhá-la, por exemplo manual, chave reserva e etc. Obrigado pela ajuda. Miguel(19), São Paulo, SP

R: Miguel, Os itens são esses mesmos, além da nota fiscal para fazer o documento de propriedade. Porém o mais importante é a sua atitude para aprender a pilotar a moto. Cuidado para não adquirir vícios prejudiciais, procure
resolvê-los antes que apareçam. Faça todos os ajustes dos comandos para a sua estatura, posição dos manetes de freio e embreagem, pedais de câmbio e freio que devem oferecer um posicionamento normal dos pés e das mãos sobre eles. O pé esquerdo deve se acomodar abaixo do pedal do câmbio, no ângulo mais confortável para você. O do freio deve ficar sob o pé direito sem provocar ângulo desconfortável do calcanhar. As mãos devem acessar os comandos (manetes) com os dois dedos, indicador e médio de forma natural. Os dedos mínimo e anular fazem pressão contra o polegar e palma das mãos para melhor prender as manoplas dando controle no guidão. Essa postura é fundamental para sua pilotagem, ande sempre com os melhores equipamentos de
segurança que puder, não vacile. Treine bastante sua habilidade. Boa sorte.

Boa tarde,eu tenho uma moto twister,ela era boa para andar,mais precisou trocar a corrente do comando e o tensor da corrente,depois disso ela ficou ruin para andar,agora ela nao passa de 120 e apos chegar essa velocidade,parece que ela nao tem mais força rotação,ficou ruim,muito ruim,tem alguma copisa a ver com a troca da corrente do comando….o que eu faço,ela esta andando quase como se fosse uma cg. Everton, 26, Bariri, SP.

R: Everton, Volte ao mecânico que fez o serviço, ele deve ter deixado a moto com algum problema e deve resolver. Comando fora de ponto? Quem sabe. Abraços,