Umicore alerta: cuidado com óleo lubrificante é essencial para manter o bom funcionamento do catalisador

A falta de atenção com a manutenção preventiva periódica do veículo pode, muitas vezes, levar o consumidor a ter gastos inesperados com o reparo de alguns componentes. Dentro deste contexto, a Umicore, principal fabricante de catalisador automotivo do País, alerta para o cuidado especial com a utilização do óleo lubrificante. “A nossa orientação é para que o motorista fique atento aos prazos de troca do óleo e filtros, além de sempre utilizar apenas o óleo indicado pelo manual do fabricante para evitar problemas com o catalisador automotivo”, avalia Carlos Eduardo Moreira, gerente de Desenvolvimento de Negócios da Umicore.

Resultantes da queima do óleo lubrificante, substâncias como Fósforo (P), Zinco (Zn), Cálcio (Ca) e Magnésio (Mg), reduzem a eficiência do catalisador, dependo da concentração destes elementos. “Esses componentes se acumulam no interior da peça, prejudicando a conversão dos gases nocivos liberados no processo de combustão do motor em gases inofensivos ao meio ambiente”, explica Alan Arnhem, gerente de Aplicação do Produto da Umicore.

Esse tipo de contaminação do catalisador pelo óleo lubrificante é irreversível. “Quando a eficiência catalítica é afetada pela contaminação de P, Zn, Ca e Mg, o ideal é trocar o catalisador”, complementa Arnhem. Além da correta utilização de óleos lubrificantes, a Umicore orienta a realização de revisões periódicas do automóvel e a consulta ao manual do veículo, pois nele estão contidas as informações específicas para cada modelo. “Também é muito importante ficar atento a qualquer anormalidade no consumo do óleo lubrificante e, em caso de necessidade, procurar um profissional de confiança para corrigir a falha”, enfatiza Arnhem.

Sobre o catalisador
O catalisador é uma peça que integra o sistema de exaustão dos veículos. Formado por um núcleo cerâmico, o equipamento tem a função de converter até 98% dos gases nocivos do automóvel em gases inofensivos ao meio ambiente. Projetado para ter a mesma durabilidade que o automóvel, o catalisador pode ser danificado por impactos, o que pode comprometer permanentemente o seu funcionamento, sendo necessário efetuar a substituição da peça.

Em caso de necessidade de troca da peça, o consumidor deve exigir o certificado de garantia, a nota fiscal e a embalagem padronizada do produto, garantindo a originalidade do catalisador e o perfeito funcionamento do motor