Produção de motocicletas tem queda de 36% no trimestre

Venda de motos segue em queda livre

A ABRACICLO (Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares) divulgou os números do mercado de duas rodas no Brasil no primeiro trimestre deste ano. Diante do cenário de crise, houve queda considerável na produção e também no comércio de motos. Na contramão, estão as exportações, que no acumulado do primeiro trimestre registraram alta de 116,5%, com 13.749 unidades exportadas, ante 6.351 no mesmo período de 2015.

Segundo o levantamento, a fabricação de motocicletas registrou queda de 36,9% em comparação ao mesmo período do ano passado. Nos três primeiros meses de 2016 foram fabricadas 227.426 motos, contra 360.187 em 2015. O acumulado das vendas no atacado – das montadoras para suas concessionárias – apresentou queda de 37,4%, pois foram comercializadas 215.372 unidades em 2016 e 343.817 no ano anterior. Números negativos também no varejo, pois no primeiro trimestre do ano foram emplacadas 239.923 motocicletas junto ao Renavam, volume 26,6% inferior ao apresentado no mesmo período do ano anterior, que registrou 326.960 unidades.

Produção de motocicletas tem queda de 36% no trimestre

Produção e venda de motos no atacado tem quedas acima de 36% no trimestre

Para Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo, os números refletem a crise que o Brasil atravessa. “Assim como outros setores da economia, que registram resultados negativos no período, o segmento de motocicletas também se enquadra no contexto atual da crise político-econômica e a projeção de produção e vendas para o fechamento de 2016 é de uma retração de 9,7% e 10,1%”, disse.

Projeções

Com base nos números do primeiro trimestre, a Abraciclo reviu projeções para o setor em 2016. A entidade prevê queda de 9,7% na produção de motos, caindo de 1.262.708 para 1.140.00 motos, e de 10,01% nas vendas do atacado, indo de 1.189.933 para 1.070.000 unidades. Os números do varejo devem apresentar oscilação de – 12,2%, registrando 1.224.597 em 2015 e 1.075.000 veículos em 2016. A exportação, segundo a previsão, apresentará crescimento de 1,3% em relação ao ano passado, indo de 69.123 para 70.000 unidades.



Jornalista gaúcho convicto de que um passeio de moto em um dia de sol é a cura para praticamente todos os males da vida. Fã de motoaventurismo, competições de moto, café, praia e de rock n roll.