Você sabe frear? Parte II

Em um teste realizado em Interlagos foi poss¡vel desmistificar na pr tica os preconceitos com rela‡Æo … frenagem. A moto escolhida foi uma Yamaha YBR 125, gentilmente cedida pela concession ria Feltrin Motorsport, de SÆo Paulo. A id‚ia era usar uma moto pequena, que compäe a frota dos motofretistas e maioria dos usu rios iniciantes.

Com ajuda dos instrutores do Centro Pilotagem Roberto Manzini, fui para um trecho plano e livre do aut¢dromo de Interlagos, em busca de respostas para a pergunta mais elementar da maioria dos usu rios de moto: como se faz a frenagem correta? Alguns acreditam que s¢ se deve usar o freio traseiro, com medo de ver a moto capotar de frente. Outros usam s¢ o dianteiro, acreditando que a roda traseira trava com facilidade.

Com a trena esticada no asfalto, l  fui eu, com meus 1,70m e 70 kg fazer as medi‡äes, todas realizadas a 50 km/h. Primeiro fiz a frenagem usando apenas o freio traseiro. O resultado assustou: 23,11 metros! Em seguida repeti a dose, mas usando apenas o freio dianteiro e o resultado foi bem melhor: 11,3 metros. Finalmente, fiz a frenagem de forma correta, usando de forma equilibrada os freios dianteiro e traseiro e a distƒncia percorrida foi de 7,0 metros!

Ap¢s as medi‡äes, os instrutores do Manzini sugeriram fazer a frenagem de emergˆncia. Eles iriam me pegar de surpresa para analisar o tempo de rea‡Æo.  um teste muito interessante, porque a frenagem nÆo ‚ programada, como na minha avalia‡Æo anterior. Desta vez, usando os dois freios, a moto percorreu cerca de 12 metros at‚ imobilizar-se. Isso significa que existe um tempo de rea‡Æo entre perceber o objeto e acionar os freios, dado que nÆo havia na medi‡Æo da frenagem porque eu j  sabia onde deveria come‡ar a aplicar os freios. Esta diferen‡a de 5 metros corresponde ao tempo de rea‡Æo.

No curso de pilotagem segura para motoristas, realizado pelo Centro Pilotagem Roberto Manzini, alguns alunos conseguem se condicionar de tal forma que o tempo de rea‡Æo reduz em at‚ 1,5 segundo.  uma redu‡Æo significativa que pode chegar a 24 metros se o carro estiver a 60 km/h.

Eu j  previa um resultado semelhante porque nos anos 80 fiz esta experiˆncia para a revista Duas Rodas. Na ‚poca escolhemos 10 instrutores de moto-escolas e pedimos que fizessem o teste da forma como ensinavam seus alunos. O resultado foi assustador: todos os 10 foram reprovados! NÆo sabiam frear! E ainda ensinavam a pilotar motos!!!

Este teste atual foi um balÆo de ensaio para uma novidade que s¢ poderei contar dentro de alguns dias. Espero que mais breve do que vocˆ imagina.