Volvo Salvou Minha Vida

Volvo Salvou Minha Vida

Volvo Salvou Minha Vida

Referência mundial em segurança veicular, a Volvo Cars criou em 1990, no Salão de Nova York (EUA), a “Volvo Saved My Life Club” (Volvo Salvou Minha Vida), organização formada por pessoas que sobreviveram após graves acidentes automobilísticos a bordo de veículos da marca sueca.

No aniversário de 20 anos de fundação, a organização, que conta atualmente com cerca de 1.500 integrantes, ganhou um novo membro. Trata-se de Marcus Mendoza, de 17 anos, morador de Camarillo, na região de Los Angeles, Califórnia. No dia 1º de setembro do ano passado, o Volvo S70 de Marcus foi atingido na traseira por um veículo desgovernado em altíssima velocidade, que o projetou contra uma árvore.

Após um período de oito semanas internado no hospital, os médicos revelaram aos pais do rapaz, Fernando e Diane Mendoza, que o filho deles só estava vivo porque ocupava um Volvo.

Comovido, Fernando escreveu uma carta a Volvo Car Corporation para agradecer todos os esforços dedicados pela marca e por seus engenheiros em prol da segurança veicular. Em retribuição aos agradecimentos, Doug Speck, presidente e CEO da Volvo Cars da América do Norte formalizou o convite para que Marcus integrasse o programa Volvo Saved My Life.

A história de Marcus Mendoza e de outras pessoas que sobreviveram a acidentes graves podem ser verificadas no site www.volvocars.com/us/top/community/volvosavedmylife

Meta: eliminar acidentes de trânsito até 2020
Desenvolver um carro à prova de acidentes. Esta é a missão da Volvo Car Corporation, que pretende alcançar até 2020 a meta de reduzir a zero o número de vítimas fatais e de lesões corporais resultantes de colisões a bordo de um veículo da marca. “Nós não aceitamos que as pessoas percam suas vidas em acidentes aéreos, portanto não há razões para considerarmos inevitáveis os acidentes de carro”, explica Jan Ivarsson, chefe de Estratégia de Segurança da Volvo Car Corporation.

A Organização Mundial da Saúde calcula que os acidentes de trânsito sejam responsáveis em média por 1,2 milhão de mortes ao redor do mundo, além de provocar lesões em mais de 50 milhões de pessoas. A fadiga do motorista é o maior problema de segurança no trânsito no mundo todo. De acordo com a norte-americana NHTSA (National Traffic Safety Administration), cerca de 100 mil acidentes são causados a cada ano nas estradas dos Estados Unidos por pessoas que dormiram quando estavam ao volante. Cerca de 1.500 resultam em mortes e 71 mil em ferimentos. Na Europa a situação também não é muito diferente. A Associação das Seguradoras Alemãs (GDV – Gesamtverband der Deutschen Versicherungswirtschaft) estima que cerca de 25% de todos os acidentes fatais nas estradas alemãs são causadas pelo cansaço.

Pesquisas realizadas pelo Centro de Pesquisas de Acidentes de Trânsito da Volvo Cars (Volvo Cars Traffic Accident Research Team) junto a seguradoras das América do Norte e da Europa indicam que 75% dos registros de acidentes de trânsito acontecem em velocidade de até 30 km/h. Em 50% das colisões traseiras, o motorista não freou completamente antes do choque, geralmente devido à distração.

“Com a utilização de tecnologias cada vez mais avançadas, nós desenvolvemos carros que ajudam o motorista a evitar acidentes e, conseqüentemente, a reduzir a sua exposição a situações perigosas”, explica Ivarsson.