Yamaha, Dafra, Pedágio

Yamaha, Dafra, Pedágio

Yamaha, Dafra, Pedágio

OLÁ, GOSTARIA DE APRESENTAR UMA QUEIXA COM RELAÇÃO A YAMAHA
XT660. TENHO UMA ANO 2006, E O FAROL ESTÁ DERRETENDO, E DE MUITAS OUTRAS,
CONFORME RELATOS DO CLUBE XT600. OUTRO AMIGO TAMBÉM ENVIOU MENSAGEM PARA ESTA REVISTA. ESTAMOS COM UM PROBLEMA SÉRIO NAS MÃOS. AGRADEÇO PELA ATENÇÃO. – Arnóbio Paulo – João Pessoa -PB

Eu sou o proprietario de uma XT660 azul ano 2005. A moto seria perfeita se nao fosse por alguns detalhes que não são divulgados. Voces sabiam que os faróis das XT´s derretem? existe uma deformação do bloco ótico da mesma que cria uma espécie de gora e acaba com o cromo do farol, este defeito é de fábrica, e só aparece depois de algum tempo de uso da moto. Gostaria de saber se este problema já foi abordado pela Redação e se não foi ainda, me coloco a disposição para provar com fotos, vídeos e relatos o problema, não só meu mas bem como de muitos outros proprietários de XT660. Como o problema geralmente se apresenta fora da garantia, a Yamaha do Brasil simplesmente faz os consumidores comprarem outro bloco ótico ao invés de fazer um recall para resolver o problema. Aguardando resposta com relacao a matéria. Grato. Pablo Bandeira – Brasília – DF

A respeito do Bloco óptico da XT-660R derreter, eu já presenciei vários com o mesmo problema, normalmente pessoas que usam muito a moto na
cidade, em baixa velocidade. O que faz derreter é a watagem da lâmpada de sinaleira do farol ser muito alta, neste caso é só trocar por uma mais fraca para não derreter novamente. – Edson – Cachoeirinha – RS

R: Srs. nós do Motonline estamos aguardando pronunciamento oficial da Yamaha, aguardemos mais um pouco.

Comprei uma dafra kansas para meu filho, e ele bateu o farol no portao da garagem, e qual nao foi a minha surpresa ao solicitar a troca e descobri que nao vende a carcaça do farol, que quebrou, so troca a peça inteira, o que nao tem necessidade, uma vez que o farol esta funcionado. Tenho alguma outra opção, ou devo ficar com dois farois. -Alcino Santos – Vinhedo – SP

R: Alcino isso pode configurar prática abusiva por parte do fabricante. Inicialmente, leve o caso ao PROCON. Infelizmente, se por uma lado a justiça não falha, tende a tardar demasiadamente, não cumprindo com sua função e não atendendo o cidadão na sua necessidade com a agilidade necessária. Portanto, leve o caso ao Poder Judiciário, se necessário em último caso, mas passe na General Osório no centro de São Paulo que, certamente, encontrará a carcaça do farol.Mas compre peça de origem com nota fiscal.

Olá pessoal do motonline. acabei de ler uma carta sobre a cobrança de pedágio para motos no Estado de São Paulo, e, pela resposta, parece-me que não é permitido, ainda. Mas gostaria de maiores esclarecimentos, pois na rodovia BR153, q passa pela minha cidade e foi recentemente concedida à iniciativa privada, estão em fase final de construção os PEDÁGIOS, e neles serão cobrados também
aqueles que passarem de motos. Como é então? Pode ou não pode? Ou nas rodovias federais sob concessão não se aplica a mesma regra – Eduardo – José Bonifácio/SP

R: Eduardo o Decreto 9812 de 1977 isenta motocicletas do pagamento de pedágio em rodovias estaduais, nos limites do Estado de São Paulo. A BR 153 é rodovia federal e portanto, se na licitação o Governo Federal permitiu a cobrança de motocicleta, não há o que fazer. Em todo caso, se cada leitor do motonline, mesmo não sendo do Estado de São Paulo, quiser se manifestar, envie um e-mail ( http://www.saopaulo.sp.gov.br/sis/conteudoporemail.php ) ao gabinete do Governador do Estado de São Paulo que pretende ser Presidente da República e se manifeste a favor ou contra a cobrança de pedágio. Mas antes, leia minha matéria sobre cobrança de pedágio no link http://www.motonline.com.br/colunistas/seguranca-legislacao/pedagio-17ago08.html

Grande abraço. Lembre-se: ande equipado, mas equipamento não é só capacete.