Foto: Yamaha XT 660R

Yamaha XT 660R reina absoluta no segmento trail de média cilindrada

Foto: Yamaha XT 660R

Foto: Yamaha XT 660R

Modelo 2009 traz como novidade a cor vermelha e a sonda Lambda, sistema que analisa os gases do escapamento. Versatilidade e o excelente custo-benefício são os trunfos perante a concorrência.

A Yamaha XT 660R reina absoluta no segmento trail. Em 2008 foram vendidas 2.569 unidades da ‘topa-tudo’ da marca nipônica. O número representa que a on/off-road da Yamaha detêm 48,24% de seu nicho de mercado, deixando para trás pesos-pesados como a Suzuki DL 1000 V-Strom, as BMW R 1200 GS e F 800/650 GS e a Honda XL 1000V Varadero. Para se manter no topo, a versão 2009 da XT 660R apresenta várias novidades. Adotou nova cor – vermelha – e grafismos, além de protetores de escape. No tanque foram aplicados adesivos mais modernos e arrojados. Para uma maior harmonia, a barra externa dos amortecedores dianteiros, a balança da suspensão traseira, os protetor dos escapamentos e aros em alumínio estão pintados em preto.

O vermelho “Ferrari”, causou certa estranheza entre os fãs da marca. Alguns alegam que a moto perdeu sua identidade, ou melhor, a cor azul, que sempre foi uma referência da Yamaha nas pistas. Polêmicas a parte, a trail XT 660R tem outro fator que conta, e muito, a seu favor: o preço de R$ 27.273,00. Só para comparar, a BMW F 650 GS Standard custa R$ 44.900,00. Com o “troco” – R$ 17.627,00 – o motociclista pode fazer o seguro da moto e ainda investir em equipamentos de segurança.

Yamaha XT 660R reina absoluta no segmento trail de média cilindradaMotor
A XT 660R apresenta um leve e compacto motor monocilíndrico. Equipado com sistema de injeção eletrônica e arrefecimento líquido, o propulsor é capaz de gerar 48 cv de potência máxima e 5,95 kgf.m de torque. O cabeçote da XT 660R traz quatro válvulas e o cilindro tem revestimento cerâmico. Além disso, o pistão é forjado. Itens herdados dos modelos de competição da Yamaha. Já o câmbio de cinco velocidades oferece engates precisos.
Na prática, o motor impressiona pela resposta rápida desde as baixas rotações e também por sua força, seja para retomadas de velocidade em saídas de curvas, para uma ultrapassagem segura ou até para encarar uma bela subida. Ou seja, quando o motociclista precisa “dar motor”, a moto está pronta para responder. Na terra, a XT 660R é um “trator”. Com o auxílio dos pneus Metzeler Tourance – de uso misto – a trail oferece boa dirigibilidade em estradas não-asfaltadas. No asfalto, a velocidade máxima chegar a 170 km/h. Porém, a 100 km/h o consumo é de 20 km/l.

Para se adequar à terceira fase do Promot (Programa de Controle da Poluição do Ar por Motociclos e Veículos Similares), a Yamaha instalou uma sonda Lambda na XT 660R 2009. O dispositivo analisa os gases do escapamento e corrige eventuais falhas por meio da central eletrônica que monitora o sistema de injeção de combustível.

Ciclística
Se o motor é robusto e confiável, a ciclística oferece também conforto e segurança ao piloto. Com 165 quilos de peso a seco , a XT 660R é montada sobre um chassi tubular em aço. Equilibrada e bastante versátil, a trail da Yamaha é uma guerreira que enfrenta qualquer tipo de terreno, seja no fora de estrada ou na “selva de pedra”, rodando entre os carros, enfrentando enchentes etc.

Na dianteira, roda de alumínio de 21 polegadas. O sistema de freio tem disco flutuante com 298 mm de diâmetro, além da suspensão dianteira Paioli, com 225 mm de curso. Na traseira, roda de aro 17 polegadas, disco de freio de 245 mm de diâmetro, com pinça simples com o pistão da grife Brembo e suspensão monocross, com um curso de 200 mm, ajustável em cinco posições. O sistema de freios é eficiente e o conjunto de suspensões cumpre bem seu papel: absorve imperfeições como buracos e lombadas na cidade, e amntém a tração na roda traseira em estradas de terra.

Outro diferencial é o painel de cristal líquido, multifuncional. É possível visualizar rapidamente várias informações para uma boa pilotagem: velocidade, hodômetro total ou parcial. Também estão disponíveis dados sobre temperatura e estado do motor, piscas, combustível na reserva, luz alta, ponto morto e luz espia para indicar a ativação do sistema de imobilização. Em uma viagem noturna, o farol oferece boa iluminação. O ponto negativo é a ausência de conta-giros no painel.

História
A família XT, que começou na década de 70 com as XT 500 e chegou até a XT 600E, sempre teve como proposta um modelo para os motociclistas que querem ir a qualquer lugar e não dispensam a imagem forte e robusta que essas motos transmitem. Com a XT 660R não foi diferente. Lançada em 2004 na Europa, a 660R chegou aqui no ano seguinte e foi a primeira motocicleta fabricada no Brasil a ser equipada com o sistema eletrônico de alimentação.

FICHA TÉCNICA
Yamaha XT660R
Motor Monocilíndrico, OHC, 4 tempos, 4 válvulas por cilindro,
Refrigeração Líquida
Capacidade cúbica 660 cm³
Potência máxima 48 cv a 6.000 rpm
Torque máximo 5,95 kgf.m a 5.250 rpm
Câmbio Cinco velocidades
Transmissão final Corrente
Alimentação Injeção eletrônica
Partida Elétrica
QUADRO Berço semiduplo
SUSPENSÃO
Dianteira Garfo telescópico com 225 mm de curso
Traseira Balança monoamortecida, monocross, com 200 mm de curso
FREIOS
Dianteiro Disco de 298 mm de diâmetro
Traseiro Disco de 245 mm de diâmetro
PNEUS
Dianteiro 90/90-21 m/c 54 s
Traseiro 130/80-17 m/c 65 s
MEDIDAS E CAPACIDADES
Comprimento 2.240 mm
Largura 845 mm
Altura 1.230 mm
Distância entre-eixos 1.505 mm
Distância do solo 210 mm
Altura do assento 865 mm
Tanque de combustível 15 litros
Peso seco 165 kg
CORES vermelha e preta
PREÇO R$ 27.273,00