Sistema de troca rápida de marchas

Com o lançamento das BMW, inicialmente na K 1300 e depois nas S 1000 RR o sistema de troca rápida de marchas ganhou

BMW K1300 S Foi a primeira moto a ser equipada com o quick shift de série

BMW K1300 S Foi a primeira moto a ser equipada com o quick shift de série

muita notoriedade. Esse sistema foi criado inicialmente por preparadores norte americanos para otimizar a aceleração das motos dragsters.

Sistema opcional da K1300 foi precursor nas motos de série

Sistema opcional da K1300 corta o motor para fazer a troca rápidamente

Começou com sistemas simples de chaves elétricas, válvulas solenóides e cilindros pneumáticos servidos por um tanque de ar comprimido para fazer as mudanças de marchas. Ao atingir a rotação ideal, o piloto apertava um botão e um circuito elétrico temporizado cortava o motor por uma fração de segundo. Enquanto o motor está desligado, logo após o corte, uma válvula solenóide abre passagem do ar para o cilindro pneumático que aciona a troca da marcha, tudo com comando manual do piloto. Para isso, se usava contadores de tempo de automação industrial para fazer o atraso entre o corte do motor e o acionamento da válvula que trocava as marchas.

Uma grande evolução desse sistema é o kit fabricado pela empresa Canadense, Biperformance. Esse kit permite instalar em qualquer motocicleta com alavanca de marchas normal ou invertida a troca rápida de marchas, como nas motos de competição. Usando o próprio movimento da alavanca, feito pelo piloto, para cortar o motor por alguns microssegundos e fazer a troca, sempre para cima.

O motonline recebeu esse kit dessa empresa, para instalação numa Hornet, então fomos ao centro de preparação da Honda fazer um teste completo. Com a ajuda do engenheiro da Honda José Luis Terwak fizemos a montagem do conjunto numa moto da empresa. Depois de feitos os ajustes de tempos de corte partimos para os testes.

O kit consiste em uma central de processamento, um sensor de pressão para colocar no pedal do câmbio e o chicote apropriado a cada moto

O kit consiste em uma central de processamento, um sensor de pressão para colocar no pedal do câmbio e o chicote apropriado a cada moto

As mudanças ficaram muito mais rápidas e precisas e a afirmação do José Luis foi que o piloto fica mal acostumado, é só acelerar, não precisa cortar o acelerador, apertar a embreagem e fazer a troca da marcha. Toda vez que o conta-giros estiver na faixa de troca de marcha é só puxar a alavanca de câmbio que a troca se dá, com tanta rapidez que passa quase despercebido. Sempre que fôr passar para uma marcha acima, é só fazer o toque na alavanca que a troca se dá sem nenhum problema.

 

 

 

Obs.: Para facilitar a discussão sobre esse assunto, criamos um tópico no fórum para os motonliners. Clique aqui para acessar o tópico ou comente logo mais abaixo.

Comentários Imprimir

Destaques do Motonline


Comentários

Ao postar um comentário você concorda com as Regras para a postagem do Motonline