Yamaha Fazer 150

Nove anos depois de sua principal concorrente, finalmente a Yamaha apresenta a sua moto de 150 cc, a Fazer 150 (nome oficial é YS150 Fazer), que chega em duas versões com diferenças apenas estéticas. Pelo discurso adotado pelos executivos da empresa no lançamento em Sauípe (BA), a Yamaha demonstra disposição para recuperar com esta moto um pouco do terreno e tempo perdidos. No test-drive que MOTONLINE realizou, ficou claro que a Fazer 150 está bem resolvida e tem grande potencial pode agradar a uma ampla fatia de consumidores. Como resultado disso, seus executivos esperam que a nova moto possa tirar a empresa da faixa dos 10% de participação no mercado brasileiro.

Duas versões, SED e ED: elas podem tirar a Yamaha dos 10% de mercado

Duas versões, SED e ED: elas podem tirar a Yamaha dos 10% de mercado

A pergunta que se faz é se esses consumidores vão deixar de comprar uma Honda street de 125 ou 150 cc, ou mesmo uma YBR 125 Factor ou ainda se a nova moto terá capacidade de trazer novos consumidores para o segmento mais importante e disputado do mercado brasileiro. Evidente que os executivos da Yamaha esperam que ela faça tudo, menos canibalizar a irmã YBR 125, mas acham que isso poderá acontecer. “A Fazer 150 está posicionada no mesmo patamar da principal concorrente e a diferença de preço para a YBR 125 é grande, mas isso não garante nada”, explica Marcio Hegenberg, diretor comercial da Yamaha Motor do Brasil.

No sentido horário, a partir do alto a esquerda: Hayakawa, Kobayashi, Hegenberg e Ichii; discurso afinado e promessa de uma nova Yamaha

No sentido horário, a partir do alto a esquerda: Hayakawa, Kobayashi, Hegenberg e Ichii; discurso afinado e promessa de uma nova Yamaha

O tom dado pela Yamaha a este lançamento é o de uma nova empresa, que vive um novo momento de maior agilidade em termos de decisões e lançamentos. O próprio slogan criado – Yamaha Revs Your Heart (Yamaha Acelera seu Coração) – remete a esta ideia e tenta evidenciar um valor que a Yamaha historicamente sempre deixou claro em seus produtos: paixão e emoção. “A Fazer 150 estabelece um novo patamar na categoria 150 e consideramos esta moto o divisor de águas para a Yamaha no Brasil”, reforçou o presidente da Yamaha, Shigeo Hayakawa, fazendo clara referência à lentidão da empresa nos últimos anos.

Se a promessa do presidente se concretizará o tempo dirá. Até porque noutras ocasiões, uma delas bem recente inclusive, a Yamaha já declarou a mesma coisa, e nada mudou. Desta vez a empresa promete novidades em ritmo mais acelerado. “Esta moto é a essência do que nós queremos mostrar com o slogan Revs Your Heart e isso balizará todas as novas ações e novas motocicletas que vamos apresentar daqui por diante”, prometeu Hayakawa.

 

Versão SED em três cores...

Versão SED em três cores...

O esforço da Yamaha recebeu ainda o incentivo do engenheiro líder do projeto da Factor 150, Yoshihide Ishii, que veio do Japão para dizer que a moto foi feita exclusivamente para o mercado brasileiro e que o trabalho foi conjunto da engenharia brasileira com a japonesa. “Nosso desafio foi fazer a melhor motocicleta da categoria para superar a líder do segmento”, falou Ishii. Se ela é melhor que a Honda Titan 150 ainda não se sabe e a resposta virá pelos consumidores que darão a resposta nos números de vendas da marca e na sua participação de mercado.

... e versão ED em duas cores

... e versão ED em duas cores

A expectativa do diretor comercial é que a Fazer 150 siga os passos de outras motos Yamaha em seus respectivos segmentos. “A YBR vende cerca de 30% do que vende a líder do segmento das street de 125 cc e queremos o mesmo pedaço para a Fazer 150 em relação à líder do segmento”, falou Hegenberg. Isso significa que a Yamaha projeta uma venda de aproximadamente 9 mil motos por mês do novo modelo. Se isso se concretizar e a Yamaha não perder vendas da YBR 125, a projeção é que a Yamaha aumentará sua participação total no mercado dos atuais 10% para cerca de 14% com a chegada da Fazer 150.

Conforto e muita agilidade com piloto...

Conforto e muita agilidade com piloto...

Futurologia à parte, a nova moto da Yamaha que estará nas lojas em outubro e terá seu grande momento no Salão Duas Rodas, foi pensada em partes e, claro, teve como inspiração a Honda Titan 150, veículo automotor mais vendido do Brasil. Segundo o engenheiro Hilário Kobayashi, design, potência, conforto e economia foram os itens que se procurou adequar às necessidades dos consumidores desta classe de moto. E a primeira impressão é muito boa e o resultado do conjunto agrada bastante. Só não dá pra dizer se ela consegue superar a concorrente, como foi o objetivo do projeto. Mas se não supera, chega bem perto disso.

... ou piloto e garupa

... ou piloto e garupa

O motor da Fazer 150 é de um cilindro, 4 tempos, com 149,3 cc, SOHC (Single Over Head Camshaft) , Blueflex (bicombustível), que desenvolve 12,2 cv a 7500 rpm e tem torque de 1,28 kgf.m a 5500 rpm. O câmbio é de cinco marchas e no test-drive realizado não foi possível chegar a velocidades maiores em quinta marcha, mas foi possível perceber que a arrancada é forte e a velocidade cresce rápido de forma linear e chega facilmente aos 100 km/h ainda em quarta marcha e bem perto do limite das rotações, na faixa vermelha do conta giros, a 9500 rpm. Como característica da marca, os engates são precisos e não se sente qualquer vibração do motor, fruto do eixo balanceiro.

Painel completo e funcional

Painel completo e funcional

A moto vem equipada com o sistema de alimentação bicombustível (álcool ou gasolina em qualquer proporção), que na Yamaha chama-se Blueflex. Na Fazer 150 o bico injetor está posicionado no tubo de admissão, o que otimiza a queima e diminui o consumo de combustível. Segundo dados de medições da Yamaha, a Fazer 150 foi 7,6% mais econômica que sua principal concorrente, com média de consumo superior a 40 km/litro, o que oferece autonomia além dos 600 km com um tanque de combustível. Outro destaque técnico é o catalisador do escapamento que coloca a nova moto já preparada para o Promot 4 (regulamentação para emissões) que entrará em vigor no ano que vem. Esse motor, aliás, deverá equipar outros produtos da marca e já se especula sobre uma Tenerezinha de 150cc.

Pequenas diferenças: lente cristal no pisca, mola do amortecedor vermelha; a lanterna traseira é igual nas duas versões

Pequenas diferenças: lente cristal no pisca, mola do amortecedor vermelha; a lanterna traseira é igual nas duas versões

O design da Fazer 150, como indica o próprio nome, segue as linhas de sua irmã maior de 250 cc e procura conferir alguma esportividade à moto, com as linhas do tanque sendo acompanhadas pelas linha da rabeta e do escapamento. O tanque, com capacidade total para 15,2 litros, permite bom encaixe das pernas da mesma forma que no banco o piloto fica encaixado. A posição do guidão e das pedaleiras estão bem ajustadas e o resultado é uma posição de dirigir natural e segura, dando ao conforto destaque positivo da nova Fazer 150, também em função do bom conjunto de suspensões, que traz dois amortecedores traseiros com ajuste na pré-carga das molas e garfo telescópico na dianteira.

Design remete à irmã mais forte de 250cc

Design remete à irmã mais forte de 250cc

O farol segue a tendência e tem formato trapezoidal. A lanterna traseira é bipartida e o perfil da rabeta mais alto coloca o garupa em posição para evitar aquelas incômodas “capacetadas”. O painel traz em uma única peça um mostrador digital que mostra a velocidade e o indicador de marcha com o conta-giros analógico redondo, além de todas as tradicionais luzes-espia indicadoras de pisca, farol alto, neutro e sistema de injeção. A Fazer 150 vem equipada com pneus TL – (tubeless – sem câmara) em aros de 18 polegadas e na traseira o pneu é um pouco mais largo (100/80).

As diferenças entre as duas versões da Fazer 150 – ED e SED – são o cavalete central, piscas com lente cristal, forração do banco com textura especial e molas amortecedoras traseiras na cor vermelha e carenagem do painel e paralama dianteiro na cor da moto, tudo isso presente na versão SED, além das cores e grafismos diferentes. Claro, o peso (2 kg) e o preço (R$460,00) ficaram um pouco maiores.

A Yamaha faz questão de destacar que esta nova moto estará contemplada pela Revisão com Preço Fixo Yamaha, onde o cliente sabe exatamente quanto vai pagar desde a primeira até a sétima revisão (até os 30.000 quilômetros), o consumidor terá também a linha de peças de reposição Y-TEQ, com preços econômicos. As duas versões da nova Yamaha YS150 Fazer estarão nas concessionárias a partir de outubro ao preço sugerido de R$ 7.390,00 (mais frete) e R$ 7.850,00 (mais frete) nas versões ED e SED respectivamente.

Se você tem uma Yamaha YS150 Fazer, opine sobre ela!
Acesse agora mesmo: Guia de Motos – Motonline
Ficha técnica Fazer 150: diferenças apenas estéticas entre as duas versões

Ficha técnica Fazer 150: diferenças apenas estéticas entre as duas versões

Comentários Imprimir

Destaques do Motonline


Comentários

Ao postar um comentário você concorda com as Regras para a postagem do Motonline