Todas as avaliações do usuário

Avaliação de Vinicius em 19/09/2013

Avaliou moto Yamaha YS 250 Fazer 2008

Comentários:
Na minha opinião é o melhor custo beneficio da categoria para uso misto (cidade e estrada). Se for utilizar só em estrada, a ninja 250 tem mais vocação pra isso, porém sua resposta na cidade é bem fraca. Na estrada, ela mantem com tranquilidade a velocidade máxima permitida (110km-h) com garupa, consumindo faixa de 24 por litro nessa velocidade. Porém acima disso, o consumo cai consideravelmente, chegando a 18 por litro mantendo faixa de 140 ou mais quando possivel. Já pilotei quase todas as 250 do mercado nacional, com isso só gostei mais da minha fazer. Resposta em baixa mt melhor que twister, e do que as 250 bicilindricas. Pretendo troca-la por uma 500, só pela maior folga de motor na estrada. Porém se algum dia tiver que voltar pra uma 250, não teria nem dúvidas sobre qual escolher!
Pros:
Moto confortável, extremamente maleável. Gostosa de pilotar, macia e com pouca vibração, mt robusta. Ótimo desempenho para uma 250 mono. As peças na Yamaha apesar de caras, valem a pena, pois a durabilidade é bem maior. E o valor é pouco maior do que os dos paralelos de boa qualidade. A moto não da problema, mt menos dor de cabeça. Só oleo, pastilha, pneus e itens de desgaste comum...
Contras:
Consumo. Tem gente que consegue fazer até 30 por litro com ela. Porém geralmente o meu gira em torno de 20km-l

Condições do Teste

Tempo de Uso
Mais de um ano
Tipo de Uso
Transporte
Terreno Testado
Urbano, Terra, Estrada, Pista
Quilometragem
40000
Manutenção
Fácil de encontrar
Custo de Mantenção
Normal
5
5
5
4.5
5
4
5

Avaliação de Vinicius em 31/07/2014

Avaliou moto Honda CB 500 2001

Comentários:
Tive uma Fazer 250 antes da CB. Mts me chamaram de louco ao passar sair de uma moto 08 para uma 01. Não me arrependo da troca em momento algum. Os prós tornam os contras quase inexistentes. Sinto falta apenas do relógio, e dos hodômetros que haviam na Fazer, marcador de combustível nem tanto (depois que se acostuma com a moto, deixa de fazer falta). Em rodovias ela faz 20 km por litro, com facilidade, com garupa e mochila. Ponto importante dessa moto, é que vale a pena colocar uma gasolina mais cara, pois utilizando pódium, a média de consumo é mt melhor que utilizando gasolina aditivada comum (que na Fazer a diferença era mt menor), fazendo com que mesmo a gasolina sendo mais cara, no final ainda gera economia. Tem motor de sobra para ultrapassagens, chegando a 160 mt facil. Transmite mt segurança na hora de uma ultrapassagem, jogando o giro alto, ela vai embora. Hj infelizmente há o costume de compara-las as ninjas 250/300. A resposta ao acelerador, e o ganho de giro mostram que são motos de categorias diferentes. Pelo tamanho do motor, as ninjinhas fazem milagres. A 120km/h com o escape original, nem se ouve o barulho do motor, funcionando tranquilo a 6mil rpms, e quase não há vibração. E essas motos tem um ronco mt caracteristico, extremamente "macio" em marcha lenta. E apesar do elevado peso, quase não se sente ao pilotar a moto. Definiria a CB500 como um intermediário perfeito pra quem nao pode ter 2 motos, e pro motociclista emergente. Anda bem no transito (em dias mt quentes ou transito mt travado, chega a ligar a ventoinha), anda bem na estrada, com conforto e segurança. Sem custar tão caro nem na hora da aquisição, nem na hora da manutenção. Consumo eu acho mt bom. Claro que tem algumas 600 que fazem isso, mas com no minimo uma década a mais de tecnologia, mas mesmo assim ainda consegue ser mais econômica que a Fazer na estrada. Todos falam mau da suspensão traseira da moto. Porém eu a acho mt mais confiavel que uma gambiarra com monochoque de twister e solda no quadro. Ela apenas não mermite mt abuso, até pq, não é uma moto esportiva.
Pros:
É uma naked média, com manutenção de moto street. Pneus são baratos, da pra utilizar o traseiro da CB300, sem problema, mas o dianteiro altera mt a ciclistica da moto. É melhor algum de medida 110/80. Pastilhas de freio, são as mesmas que da XT660. Banco largo e macio, tanto para o piloto, quanto para o garupa. Posição de pilotagem mt agradável, banco baixo + guidão pequeno e posição perfeita das pedaleiras. Motor de dupla personalidade, mansinho em baixa, e bruto em alta (a partir dos 7mil rpms, a moto vira outra). Ótima estabilidade entre mts outros prós.
Contras:
Suspensão traseira, por ser macia de mais, quando se roda com garupa, chega ao fim de curso dependendo da situação. Estado de conservação na hora de compra, pois pela idade da moto, é dificil achar uma bem conservada hj em dia. Painel mt simples.

Condições do Teste

Tempo de Uso
Menos de um ano
Tipo de Uso
Utilitário
Terreno Testado
Urbano, Estrada
Quilometragem
42000
Manutenção
Custo de Mantenção
4.5
5
5
5
4.5
5
5