Yamaha Neo

Yamaha Neo
Recomendação:
Satisfação Geral:
Dirigibilidade:
Visual:
Consumo:
Conforto:
Custo X Benefício:
Performance:
Leia as Avaliações Deixe sua Avaliações
Sobre a Yamaha Neo
A Yamaha Neo AT115 foi lançada no Brasil no final de 2004 e em 2008 seu desenho foi renovado quando recebeu dois faróis no escudo frontal que lembram a Yamaha R1. A Neo AT115 ainda reúne uma vantagem adicional em relação às suas concorrentes: as rodas maiores, como das motocicletas Cub.

Ficha Técnica

Cilindrada: 115
Tipo de Motor: 4 tempos
Arrefecimento: Ar
Combustível: Gasolina
Potência Máxima: 8.30 cv a 8000 rpm
Torque Máximo: 0.80 kgf a 7000 rpm
Transmissão: CVT
Injeção: Carburada
Suspensão dianteira: Garfo telescópico
Partida: Elétrica
Chassi: Aço
Suspensão traseira: Braço oscilante, bi-choque
Peso (seco): 103
Comprimento: 1935
Largura: 685
Altura: 1090
Altura do Banco: 770
Distância entre Eixos: 1280
Pneu Dianteiro: 70/90 - 16 36 P
Pneu Traseiro: 80/90 - 16 43 P
Capacidade do tanque: 4
Balança: Convencional

Outras Versões

Neo AT (115cc):   2012 / 2011 / 2010 / 2008 / 2007 / 2006 / 2005 / 2004
Neo Automatic (115cc):   2012 / 2011 / 2010 / 2009 / 2008 / 2007
Neo CVT 115:   2012 / 2011 / 2010 / 2009 / 2008 / 2007
mais opções

Todas as Avaliações da Yamaha Neo

Recomendo
Classificação
Prós:
Conforto, durabilidade. Cub/scooter muito valente, nunca me deixou na mão, mesmo eu sendo relapso na manutenção. Manutenção barata. Onde eu morava não há meio de transporte melhor.
Contras:
Consumo, suspensão,
Condições do Teste:
Tempo de uso:
Mais de um ano
Tipo de Uso:
Meio de Transporte
Terreno Testado:
Urbano
Quilometragem:
11000
Manutenção:
Dentro do esperado
Custo de Mantenção:
Normal
Satisfação Geral
Dirigibilidade
Visual
Consumo
Conforto
Custo X Benefício
Perfomance
Enviada em 26/04/2023
SIM
Esta análise foi útil para você?
4 pessoas gostaram
Recomendo
Classificação
Comentários:
Fui um feliz proprietário de uma Neo 2008 tirada 0km. Vendi a moto com 5 mil km e nunca tive qualquer problema mecânico. O valor das manutenções foram baratas e nunca precisei trocar peças.

A Neo me introduziu no mundo de scooter e adorei a praticidade e versatilidade na cidade desse tipo de moto. Só não permaneci na categoria pois não achei nenhuma scooter interessante para fazer um bom upgrade.

Rodei quase que exclusivamente na cidade e sem garupa, nessa situação a moto fez média de 32km/l... sempre rodando na "maciota". Fiz apenas duas pequenas viagens, e nessa situação a falta de potência requer cuidados e paciência. Nessa condição o consumo subiu para 35km/l, sem forçar muito.

Apesar do visual da Neo ainda ser superior a concorrência, o modelo requer atualizações: pneus sem câmera, injeção eletrônica, painel mais moderno e farol com lâmpadas hológenas. Uma autonomia maior também seria bem vinda, pois ela só roda 140km (com margem de segurança).

Gostei e sinto saudades da "Neusa".
Prós:
Aro 16, design, freio dianteiro, espaço para o piloto (se comparado com as concorrentes).
Contras:
Suspensão dura e com pouco curso, pneus com câmera (se furar o traseiro tem que praticamente desmontar a parte de trás da moto), baixa autonomia, ainda na era do carburador.
Condições do Teste:
Tempo de uso:
Mais de um ano
Tipo de Uso:
Meio de Transporte
Terreno Testado:
Urbano, Estrada
Quilometragem:
5000
Manutenção:
Fácil de encontrar
Custo de Mantenção:
Baixo
Satisfação Geral
Dirigibilidade
Visual
Consumo
Conforto
Custo X Benefício
Perfomance
Enviada em 11/04/2023
SIM
Esta análise foi útil para você?
23 pessoas gostaram
Recomendo
Classificação
Comentários:
moto muito boa pra mulhher, por nao sujar nem molhar pes, mas fraca! boa pra andar sozinha e que nao exiga muito dela!
Prós:
nao molha os pes, nao da problemas, somente manutençao normal
Contras:
pessima pra andar com alguem na garupa, fura demais pneu, nao é tao economica como deveria ser
Condições do Teste:
Tempo de uso:
Mais de um ano
Tipo de Uso:
Meio de Transporte
Terreno Testado:
Urbano, Terra, Estrada
Quilometragem:
25000
Manutenção:
Dentro do esperado
Custo de Mantenção:
Normal
Satisfação Geral
Dirigibilidade
Visual
Consumo
Conforto
Custo X Benefício
Perfomance
Enviada em 12/06/2023
SIM
Esta análise foi útil para você?
22 pessoas gostaram
Recomendo
Classificação
Comentários:
Sou mais ela do que a Bizz.
Prós:
Ela é muito economica, chego a fazer 40 a 45 km/L.
Tem um motorzinho forte para 115cc, o design é bem legal com seu farol duplo.
Quem usa é a minha namorada, e pra ela é ótimo ter um monte de porta-trecos e um baú sob o banco.
Leve e silenciosa.
Facil de pilotar.
Contras:
Suspensão extremamente ruim... a pior q eu já vi. Qualquer variação do solo e vc pula do banco.
Farol muito fraco... deveriam ter feito com o soquete H4 para o piloto colocar um farol melhor. Ele é amarelo e extremamente fraco.
Condições do Teste:
Tempo de uso:
Mais de um ano
Tipo de Uso:
Utilitário (Trabalho)
Terreno Testado:
Urbano
Quilometragem:
30000
Manutenção:
Dentro do esperado
Custo de Mantenção:
Normal
Satisfação Geral
Dirigibilidade
Visual
Consumo
Conforto
Custo X Benefício
Perfomance
Enviada em 13/06/2023
SIM
Esta análise foi útil para você?
50 pessoas gostaram
Recomendo
Classificação
Comentários:
Sinto saudades. Para o uso diário era uma mão na roda. Só elogios.
Prós:
Nunca me deixou na mão.
Contras:
Trocar um pneu requer muitas ferramentas e um pouco de paciência.
Valor de revenda.
Condições do Teste:
Tempo de uso:
Mais de um ano
Tipo de Uso:
Meio de Transporte
Terreno Testado:
Urbano
Quilometragem:
5000
Manutenção:
Fácil de encontrar
Custo de Mantenção:
Normal
Satisfação Geral
Dirigibilidade
Visual
Consumo
Conforto
Custo X Benefício
Perfomance
Enviada em 11/06/2023
SIM
Esta análise foi útil para você?
38 pessoas gostaram
Recomendo
Classificação
Comentários:
Atende muito bem para o uso urbano, o nível de conforto e a comodidade proporcionada pelo câmbio automático é inigualável. Peguei ela com 11.000 KM rodados e rodei até os 16000 km, ou seja, 5000km em pouco mais de um ano. Hoje tenho moto CUB, mas já tive street e trail sendo que nada se compara ao scooter quando o assunto é perímetro urbano. A plataforma no lugar das pedaleiras é muito bom e útil, não respinga sujeira e te mantém mais protegido do vento. Os dois manetes de freio são bons, pois freia a traseira com a mão esquerda e freia a dianteira com a mão direita. O cavalete central faz uma frente enorme, permitindo estacionar em locais bem apertados. Contudo, por se tratar de uma scooter, o cuidado com manutenção deve ser dobrado, pois as scooter tem uma mecânica mais complexa devido ao câmbio e ao sistema de transmissão. Tem que prestar atenção no filtro de transmissão, no filtro de ar, na correia dentada, no filtro de óleo e no funcionamento do câmbio.

VISUAL: A minha era do primeiro modelo, onde o painel é mais bonito mas o design externo já se encontrava bem defasado. As rodas em liga leve continuavam belas e a lanterna traseira poderia ter sido aproveitada na Crypton, pois era bonita e iluminava bem. No meu caso pintei os aros pouco antes de eu vender, a cor grafite deu outro aspecto pra moto, rejuveneceu e deu mais ânimo no visual.

CONFORTO: A absorção de impacto das suspensões é boa, macia, mas o curso é muito pequeno tornando-a seca em situações muito irregulares. Em ruas de paralelepípido era necessário tomar cuidado para não dar fim de curso e era muito chato levar umas pancadas no traseiro, chegava a irritar. O bancos ajudavam a manter a maciez, mas não resolvia o fim de curso.

PERFORMANCE: De arrancada era meio manquinha, era de lua pois as vezes arrancava bem e outras não. Resolvi esse problema diminuindo o peso dos roletes dentro da cremalheira que se abria quando o câmbio trabalhava, isso fazia com que o câmbio abrisse mais rápido melhorando a arrancada e as retomadas, chegando na velocidade final muito mais rápido. As retomadas eram boas devido ao câmbio CVT sempre deixar a moto esperta, com atuação bem rápida. Para diminuir os peso dos roletes basta usar uma broca com diâmetro maior e alagar os furos nos meios, pois não há necessidade de toda aquela massa. Porém, não pode ficar dando borrachão, empinando e nem dando pau, pois os roletes podem quebrar por ficarem mais frágeis.

DIRIGIBILIDADE: Fácil de pilotar, é só acelerar e freiar, não existe melhor que isso. A Yamaha poderia diminuir a bitola dos punhos, pois o braço cansa mais rápido por ser grosso demais. A estabilidade em curvas de raio longo é boa, mas em curvas mais fechadas ela não é muito eficiente, tende a sair pela tangente devido ao peso da moto estar concentrada na parte de trás, justamente por causa do motor. É bom tomar cuidado, mas dá pra deitar ela bem e sem sustos. Os freios são bem pontentes, são os melhores que já usei, pois pára a moto com uma facilidade absurda.

CONSUMO: O grande vilão dessa moto, por ser automática e carburada. Minha melhor média foi de 33,5 km/litro e a pior foi de 26 km/litro. O trânsito da minha cidade(Joinville/SC) é muito travado, tem muito sinal e não tem vias rápidas que fazem fluir o trânsito. Isso, pro meu estilo de pilotagem, é muito ruim pois gosto de dar arrancadas mais fortes que o normal, pois não tenho paciência. Depois que eu diminuí o peso dos roletes o consumo médio melhorou, pois ela acelerava mais rápida e mais solta, exigindo menos do acelerador e conseqüêntemente consumindo menos combustível. De fato falta a Yamaha atualizar e colocar uma injeção eletrônica, deveriam adaptar isso ao motor 125cc da Factor, isso a faria muito mais eficiente. O tanque poderia ser maior, deveriam utilizar a solução que a Honda adotou na Lead em fazer o tanque no assoalho para dar mais capacidade.

CUSTO x BENEFÍCIO: De uma maneira geral, ela atende muito bem as necessidades de deslocamento urbano, no entanto, pelo preço, ela deveria oferecer injeção eletrônica, painel completo e moderno(poderia ser digital igual da Xenter 125 e 150 vendidas na Europa), o tanque poderia ser maior e os pneus deveriam ser mais resistentes. Na minha opinião a Yamaha deveria reduzir o preço em 500 reais e modernizá-la sem tirá-la de linha. Poderiam trazer a Xenter 125 e batizá-la de Neo.
Prós:
- Câmbio automático CVT. Esse câmbio é fantástico, é o melhor que existe quando se trata de conforto;
- Plataformas ao invés de pedaleiras;
- Amplo espaço sob o banco;
- Farol duplo;
- Rodas em liga leve;
- Partida elétrica;
- Freio dianteiro a disco. Melhor freio que já usei, é muito eficiente;
- Banco;
- Rodas grandes.
Contras:
- Consumo elevado por causa do carburador e do câmbio automático(é o preço pelo máximo de conforto, mas poderia ser melhor);
- Falta injeção eletrônica. O carburador engasga muito;
- Tanque de combustível pequeno;
- Pouco curso das suspensões, apesar de relativamente macia;
- O painel deveria ser digital, igual da atual Xenter vendida na Europa;
- Pneu utilizado fura com muita facilidade, por causa do peso do motor que se concentra na parte de trás;
- Veículos com correia dentada não podem ser usados no limite por muito tempo, senão esquenta demais e arrebenta a correia;
- Bitola muito grande dos punhos cansam o braço mais cedo.
Condições do Teste:
Tempo de uso:
Mais de um ano
Tipo de Uso:
Meio de Transporte
Terreno Testado:
Urbano, Terra, Estrada
Quilometragem:
16000
Manutenção:
Dentro do esperado
Custo de Mantenção:
Normal
Satisfação Geral
Dirigibilidade
Visual
Consumo
Conforto
Custo X Benefício
Perfomance
Enviada em 11/06/2023
SIM
Esta análise foi útil para você?
43 pessoas gostaram
Recomendo
Classificação
Comentários:
Moto excelente, econômica (32 na cidade/35 na estrada).
Fiz até uma viagem SP-Paraty com ela, sempre a 80/90km h, passeando, diversão garantida, embora não seja seu "habitat" ideal que é urbano.
A manutenção mais cara é a troca da correia do CVT, que acabei trocando antecipadamente aos 13mil km para não correr riscos, mas na certa ela duraria muito mais.
Uso diariamente na cidade (São Paulo) para me locomover ao trabalho, é super ágil, passa em qualquer cantinho e muito fácil de dominar.
(possuo moto grande tembém, bigtrail e das grandes! mas não largo a Neozinha por nada, ela agiliza minha vida na cidade)
Prós:
Estabilidade, controle e qualidade.
Rodas aro 16 fazem muita diferença e isso se reflete na segurança do piloto.
Contras:
Curso de suspensão curto, tanque de gasolina pequeno.
Condições do Teste:
Tempo de uso:
Mais de um ano
Tipo de Uso:
Lazer
Terreno Testado:
Urbano, Terra, Estrada
Quilometragem:
13550
Manutenção:
Fácil de encontrar
Custo de Mantenção:
Baixo
Satisfação Geral
Dirigibilidade
Visual
Consumo
Conforto
Custo X Benefício
Perfomance
Enviada em 25/02/2021
SIM
Esta análise foi útil para você?
mais opções

Outras motos Yamaha à venda

De R$ 9.500,00 a R$ 9.500,00 entre 4 ofertas
Yamaha Neo
R$ 9.500,00
Yamaha Neo
Yamaha Neo
R$ 16.700,00
Yamaha Neo
Yamaha Neo
R$ 4.800,00
Yamaha Neo
Yamaha Neo
R$ 14.300,00
Yamaha Neo

Guias de motos Yamaha

foto moto yamaha/mt-03-300cc Yamaha MT 03
Yamaha MT 03
foto moto yamaha/yzf-r1 Yamaha YZF R1
Yamaha YZF R1
foto moto yamaha/crypton-100 Yamaha Crypton 100
Yamaha Crypton 100
foto moto yamaha/fazer-fz-15 Yamaha Fazer FZ 15
Yamaha Fazer FZ 15
foto moto yamaha/xvs-950-a Yamaha XVS 950 A
Yamaha XVS 950 A

Notícias sobre motos da Yamaha

capa noticia Yamaha NEO 115: review no Guia de Motos [vídeo]
Yamaha NEO 115: review no Guia de Motos [vídeo]
Yamaha NEO 115: review no Guia de Motos [vídeo]
capa noticia Yamaha Neo 2020 chega sem mudanças
Yamaha Neo 2020 chega sem mudanças
Yamaha Neo 2020 chega sem mudanças
capa noticia Honda Elite 125 chega para brigar com Yamaha Neo
Honda Elite 125 chega para brigar com Yamaha Neo
Honda Elite 125 chega para brigar com Yamaha Neo
capa noticia Riachuelo sorteará 30 motos Yamaha Neo 125
Riachuelo sorteará 30 motos Yamaha Neo 125
Riachuelo sorteará 30 motos Yamaha Neo 125
capa noticia Yamaha Neo 125: destaque na paisagem urbana
Yamaha Neo 125: destaque na paisagem urbana
Yamaha Neo 125: destaque na paisagem urbana