Yamaha XJR 1200

Yamaha XJR 1200
Recomendação:
Satisfação Geral:
Dirigibilidade:
Visual:
Consumo:
Conforto:
Custo X Benefício:
Performance:
Leia as Avaliações Deixe sua Avaliações
Sobre a Yamaha XJR 1200
A XJR 1200 foi uma motocicleta fabricada pela Yamaha Motor Company, projetada no início dos anos 1990. O modelo teve a missão de competir no mercado com motos naked de de alta potência, já existentes no nicho, como a Honda CB 1000.

Ficha Técnica

Cilindrada: 1188
Tipo de Motor: 4 tempos
Arrefecimento: Ar
Combustível: Gasolina
Potência Máxima: 98 cv a 8.000 rpm
Torque Máximo: 9.27 kgf.m a 6250 rpm
Transmissão: 5 velocidades
Injeção: Carburada
Suspensão dianteira: Garfo de telescópio
Partida: Elétrica
Chassi: Aço
Suspensão traseira: Swingarm Öhlins
Peso (seco): 233
Peso em movimento: 246 (MVOM)
Altura do Banco: 790
Distância entre Eixos: 1500
Pneu Dianteiro: 130/70 ZR17
Pneu Traseiro: 170/60 ZR17
Capacidade do tanque: 21
Balança: Convencional

Outras Versões

XJR 1200:   1995
mais opções

Guias de motos Yamaha

foto moto yamaha/xtz-250-x Yamaha XTZ 250 X
Yamaha XTZ 250 X
foto moto yamaha/n-max Yamaha N Max
Yamaha N Max
foto moto yamaha/xtz-125x Yamaha XTZ 125X
Yamaha XTZ 125X
foto moto yamaha/neo Yamaha Neo
Yamaha Neo
foto moto yamaha/yfm Yamaha YFM
Yamaha YFM

Notícias sobre motos da Yamaha

capa noticia Yamaha R 1: porque ícone da Yamaha deve sair de linha
Yamaha R 1: porque ícone da Yamaha deve sair de linha
Yamaha R 1: porque ícone da Yamaha deve sair de linha
capa noticia Exclusivo: apenas um país tem esta icônica moto Yamaha à venda
Exclusivo: apenas um país tem esta icônica moto Yamaha à venda
Exclusivo: apenas um país tem esta icônica moto Yamaha à venda
capa noticia Após Honda e Yamaha, outra marca lança 'aventureira incomum'
Após Honda e Yamaha, outra marca lança 'aventureira incomum'
Após Honda e Yamaha, outra marca lança 'aventureira incomum'
capa noticia Motos elétricas: Yamaha injetou R$ 100 MI em 'marca parceira'
Motos elétricas: Yamaha injetou R$ 100 MI em 'marca parceira'
Motos elétricas: Yamaha injetou R$ 100 MI em 'marca parceira'