Tenessee

Battle Of The Kings! Já votou?

Até o dia 15 de agosto você tem a chance de votar na Harley-Davidson personalizada que mais lhe agrade. Basta entrar no site brasileiro do Battle Of The Kings e escolher uma dentre as cinco candidatas. As três mais votadas serão submetidas ao crivo de um juri de especialistas que atribuirão pontos a vários quesitos do trabalho feito nas motos e a que alcançar maior pontuação vencerá o Custom King Brasil 2019. Então esta moto vai encarar suas concorrentes de outros países para a final mundial do concurso.

Battle Of The Kings: candidatas do Brasil:

São Paulo

São Paulo

Autostar

São Paulo

São Paulo

Aba

Campo Grande

Campo Grande

Rota 67

Itupeva

Itupeva

Tenessee Highway

Campinas

Campinas

Tenessee

Battle Of The Kings

Battle Of The Kings

Battle Of The Kings

Esta é a segunda vez que a H-D promove no Brasil o Battle Of The Kings, considerada a maior competição mundial de customização de motocicletas da marca. Este ano são 350 concessionárias Harley-Davidson que participam e a promoção tem o objetivo de popularizar a cultura da customização de motos da marca, já que o número de acessórios e peças especiais disponível aos clientes que querem personalizar suas motos é muito expressivo e representa uma grande fonte de receita para a marca em todo o mundo.

Veja como foi o Battle Of The Kings de 2018

Steve Lambert, diretor de marketing da Harley-Davidson para mercados internacionais, explica que o Battle Of The Kings é uma vitrine que mostra o DNA de customização que permeia a história da Harley-Davidson. “Envolvemos as concessionárias para que elas envolvam nossos clientes a produzirem a sua motocicleta, única, exclusiva, com o seu orçamento e com a sua cara”, fala Lambert. O Battle Of The Kings segue regras simples, onde cada concessionária que participa escolhe uma moto H-D das famílias Sportster ou Softail (ano/modelo 18/19 ou 19/19) nova ou usada e tem a opção de seguir um destes três conceitos:

  • Dirt (tracker/scrambler/desert sled)
  • Chop (bobber/traditional/hardtail)
  • Race (street/sport/track)

Outra regra é que o orçamento não pode ultrapassar 50% do valor de mercado da moto (excluída a mão-de-obra) e deste valor, 50% precisa ser em peças e acessórios originais da marca. Claro, a motocicleta deve estar apta a rodar normalmente nas ruas, no caso do Brasil, que se enquadre nas leis do Código de Trânsito Brasileiro. Então, gostou da ideia? Vote agora: clique aqui!

instagram-motonline-vinheta-2



Sidney Levy

Motociclista e jornalista paulistano, une na atividade profissional a paixão pelo mundo das motos e a larga experiência na indústria e na imprensa. Acredita que a moto é a cura para muitos males da sociedade moderna.