Outras Colunas
 


Thomaz Magalhães®



imprensa@thomazmagalhaes.com

Imprensa & Relações Públicas

 
Discuta e comente este artigo
 
 


 

Os grandes pilotos de MotoGP
Wayne Rainey, o perfeito

Como seria o mundial de Moto GP nos anos 90 se o tri-campeão Wayne Rainey não tivesse ficado paraplégico? Ele fez parte de uma fornada de pilotos, vários norte-americanos como ele, que dominou o cenário naquele tempo. Seu principal rival foi Kevin Schwantz, outro fenômeno. Eles sucederam a era de gênios como Eddie Lawson e Freddie Spencer.


 
 

Rumo ao quarto título, Rainey liderava com sua Yamaha o GP da Itália em Misano. Então às 13:29 horas locais em 5 de setembro de 1993, já no meio do GP, ele cai na primeira curva do circuito, após perder a traseira da moto. Jogado dela, deslizou pela pista a mais de 160Km/h, começando capotar quando entrou na areia da área de escape, e depois levando ainda um tranco de sua moto desgovernada. Ou do capotamento na areia ou da batida da moto em suas costas, a fratura da sexta vértebra toráxica o deixou paraplégico, sem movimentos do peito para baixo.


Ficou com seu rival e amigo Kevin Schwantz a vitória no GP e no mundial de 1993. No ano seguinte, após alguns acidentes, aconselhando-se com Wayne, Kevin Schwantz decidiu abandonar a carreira, ao tempo que se encerrava a era das motos dois tempos no mundial de 500cc, máquinas que poucos conseguiam levar ao limite, com 100 quilos ou menos e mais de 180 cavalos nos pequenos motores de dois tempos. Wayne Rainey e a Yamaha estavam a caminho do quarto título consecutivo – algo parecido com o que teríamos nesta temporada do mundial com a Yamaha e Valentino Rossi, não fosse seu acidente. E em termos históricos Rainey poderia ter alcançado o domínio que Michael Doohan e a Honda exerceram anos mais tarde. Mas quem pode saber?

Raynei nasceu em 1960, no subúrbio de Los Angeles Downey, California, em ambiente de corridas. Seu pai, Sandy, era piloto de kart e em meados de 1960, Raynei estreou com uma minibike Honda 50cc aos tinha 6 anos. Depois vieram as corridas em pista de terra batida. Aos 9 anos se destacava entre os milhares de meninos californianos nos circuitos locais. E em 1980 venceu seis provas do AMA Grand National, ganhando com isso o apoio da Kawasaki.


Na carreira do californiano a escola das dirt-tracks
Foi então para a Superbike, onde levantou dois títulos, o primeiro em 1983 para a Kawasaki, contra um jovem texano quatro anos mais novo chamado Kevin Schwantz. Os épicos duelos entre os dois começaram nesse ano no famoso Desafio Transatlântico, na Inglaterra. Durante as seis temporadas seguintes, Rainey e Schwantz foram como Prost e Senna: dois pilotos de caráter dominante e de estilos opostos - mas que aparentemente precisavam um do outro para chegarem ao limite. E em 1987 Raynei ganhou o segundo título da Ama Superbikes, desta vez para a Honda.

Nos anos 90, Wayne Rainey inaugura a década ganhando a prova de abertura do Grand Prix 500cc em Suzuka, no Japão. Levantou então seu primeiro título mundial, iniciando um reinado de três anos seguidos, com os títulos de 1990, 91 e 92, numa época em que os grids de largada andavam coalhados de pilotos talentosos como Eddie Lawson, Freddie Spencer, Wayne Gardner, John Kocinski, Michael Doohan e, claro entre tantos outros, Kevin Schwantz, seu eterno rival. Rainey ganhou 24 corridas do Campeonato do Mundo em suas seis temporadas, três como campeão.



 
 
Discuta e comente este artigo
 
Matéria publicada em 08/07/2010
 
 
......