Publicidade

Poucas motos são tão famosas como as icônicas Harley de Easy Rider! O filme surgiu em 1969 e fez enorme sucesso, influenciando o entendimento do que é o motociclismo em todo o mundo. A bordo de choppers customizadas (especialmente nas cores da bandeira dos EUA), passamos a entender que motos significam liberdade, música, retas vazias e, claro, máquinas da Harley-Davidson. Conheça os modelos que criaram para si uma espécie de culto.

Harley de Easy Rider

Estrela do filme, a Harley de Easy Rider “Capitão América” chama atenção com as cores da bandeira dos EUA no tanque, que contrastam com a pintura cromada do conjunto. O modelo ganhou vida para o filme dirigido por Dennis Hopper, mas foi conduzida no longa pelo personagem do ator Peter Fonda.

Entretanto, a Harley mais lendária cinema tem sua origem e destino final cheio de controvérsias. A começar pela sua criação, que, a princípio, seria baseada em um modelo Hydra-Glide 1952, que Fonda comprou em um leilão.

Harley de Easy Rider

Modelo guiado por Fonda ganhou mais destaque que a moto vermelha e amarela de Dennis Hopper

Publicidade

Contudo, dependendo da fonte que você procurar, a história dá conta de que duas ou até quatro motos foram feitas e usadas no filme. Quem o projetou também não se sabe. Fonda já declarou em entrevista que montou a moto junto com o personalizador Tex Hall e o ator Dan Haggerty.

Contudo, é mais provável que os construtores Clifford A. “Soney” Vaughs e Ben Hardy fizeram tudo por conta própria, ainda que seguindo as instruções de Fonda… Entretanto, Vaughs foi demitido antes de Easy Rider ser lançado, então foi “apagado” da história.

Harley de Easy Rider

Estilo chopper não foi criado em Easy Rider, design já existia a um bom tempo nos EUA. E seja qual for a moto que deu vida ao modelo, só sobrou o motor Panhead da original…

Onde a moto está? (Contém spoilers)

Para a cena final do filme, uma última réplica da Harley de Easy Rider “Capitão América” foi criada. Isso porque, até o final do longa, segundo relatos, três modelos já haviam sido roubados e foram perdidos para sempre – incluindo a primeira original.

Publicidade

Essa última restante, depois de arder em chamas na cena final, foi restaurada pelo ator Dan Haggerty e comprada posteriormente pelo empresário Michael Eisenberg. Em 2014, a moto foi a leilão, onde foi arrematada por 1,35 milhão de dólares. Cerca de 1,8 milhão de dólares em valores corrigidos, ou R$ 9,28 milhões.

Diga-se de passagem, duas motos Capitão América já foram de propriedade de Haggerty. Então não demorou para outro colecionador, Gordon Granger, também afirmar ter a “original”.

Harley de Easy Rider

Um dos modelos “originais” foi a leilão em 2014

O ator admitiu que tinha vendido peças da original “Alguns pedaços, uma corrente ou um pára-lamas, nada mais.” para Granger. Já o quadro ficou na casa do artista, que em 2002 foi vendido para John Parnham, presidente do Museu Nacional de Motociclismo.

Publicidade

Nesse meio tempo, o ator também assinou um certificado de autenticidade para Granger. Contudo, mais tarde, ele chamou a carta de “um erro honesto”. Por fim, Haggerty disse ao “Los Angeles Times” que havia autenticado e vendido duas motos “Capitão América”. Contudo, segundo ele, a original seria a última leiloada no evento milionário.

Veja também:

Perdida, mas viva no imaginário cultural 

Haggerty, que fez o “rolo” todo, infelizmente, não parece ser uma fonte confiável para a verificação da originalidade da Harley de Easy Rider. Ainda em 2008, ele disse à mídia que havia vendido a moto original para o Museu Guggenheim. Então, sabe-se lá onde está a dita verdadeira… Seja como for, uma coisa é certa: a moto vista no filme foi perdida – ao menos parcialmente.Harley de Easy Rider, Panhead Easy Rider motor 1.200cc e 75cv é um dos destaques do Harley Motor Show

Panhead Easy Rider motor 1.200cc e 75 cv é um dos destaques do Dreams Motor ShowContudo, isso não apaga o culto criado pelo modelo. Assim, muitas réplicas foram feitas, exemplos estão no “Deutsches Zweirad- und NSU-Museum” (Alemanha), “Barber Vintage Motorsports Museum” e “Harley-Davidson Museum” (EUA) e no “Dreams Motor Show” em Gramado (RS).

Fernando Santos
Jornalista amante do mundo da moto, vivendo destinos e sons. Ávido por novidades e crescido com o cheiro de motor dois tempos. [email protected]