angel-scooter_principal

Pirelli e scooter, uma íntima relação

A Pirelli prepara o lançamento de um novo pneu para scooter, o Angel Scooter, que é fruto de um trabalho de muitos anos de pesquisa e desenvolvimento. E quando se fala em um lançamento de pneu, parece uma coisa bem simples, mas a verdade é que a Pirelli, líder e pioneira na industria de pneus para motos em todo o mundo, fabricou pneus para os primeiros scooter, veículo simples e barato que surgiu na Italia, logo após a 2ª Guerra Mundial.

Esse pequeno e prático veículo urbano por excelência ganhou as ruas e tornou-se uma tendência para vários segmentos da sociedade, que precisava naquele momento de um veículo simples e barato para se locomover nas grandes cidades. Logo de saída, duas marcas se destacaram rapidamente, Vespa e Lambretta. Os primeiros pneus eram adaptações dos pneus para moto, em tamanho menor. Mas não demorou muito para a Pirelli começar a pensar e desenvolver pneus especialmente para scooter.

Pirelli Angel Scooter tem "cara de mal" apenas no pneus traseiro

Pirelli Angel Scooter tem “cara de mal” apenas no pneus traseiro

Desde então, uma relação de cumplicidade entre fabricantes de scooter (e de motos também) e de pneus foi criada e mantida até hoje, porque ora o fabricante do scooter pedia ao fabricante de pneu para desenvolver um pneu para seu novo modelo, ora o fabricante de pneu tomava a dianteira e oferecia algo melhor para o fabricante do scooter. E isso foi acontecendo ao longo das décadas e com todos os fabricantes que surgiram no mundo, sobretudo na Ásia, onde vários fabricantes de scooter entraram no mercado com diferentes modelos e hoje dominam o segmento em todo o mundo.

Esse pioneirismo e a cumplicidade da Pirelli com a indústria levou à produção de inúmeros modelos de pneus para scooter e em diferentes medidas para atender a tantas marcas e modelos. Chegou um momento que a quantidade de pneus desenvolvidos e que permaneceram em linha de produção era impossível de ser administrada. “De 2016 para cá fizemos um trabalho para diminuir essa enorme variedade para unificar vários modelos de pneus e chegamos a 7 modelos”, fala Samuel Barboza, gerente de desenvolvimento de produto moto da Pirelli.

Enquanto esse trabalho foi feito, o segmento de scooter no Brasil cresceu e a empresa iniciou um trabalho estratégico de redistribuição de sua produção de acordo com a demanda. “Hoje são quatro bases de produção de pneus Pirelli para moto no mundo: Alemanha, China, Indonésia e Brasil, em Gravataí (RS)”, fala José Ricardo Vercesi, coordenador de desenvolvimento de produto moto da Pirelli.

Essa redistribuição da produção levou a maior parte da produção de pneus para scooter para a fábrica da Indonésia, mais nova e moderna e, claro, localizada no coração da região do globo onde a demanda por pneus de scooter é infinitamente maior e onde a Pirelli possui apenas 1% de participação. Mudanças como essa acabam causando fatos curiosos por aqui, como com o scooter Honda SH 300, que sai de fábrica com o pneu dianteiro fabricado aqui no Brasil e o traseiro fabricado na China – ambos Pirelli, obviamente.

Modelo mais tradicional de pneu para aros menores

Modelo mais tradicional de pneu para aros menores

Outro fato interessante nessa história é que apesar da Pirelli ser fornecedora para 80% das motos que são fabricadas no Polo Industrial de Manaus (PIM), poucos scooter saem de lá com pneus brasileiros. “O Yamaha NMax, por exemplo, sai com pneus chineses da marca IRC e estamos em negociação para conseguirmos fornecer pneus para este e outros modelos da Yamaha”, explica Vercesi. “O problema é que estas decisões são tomadas na matriz, no Japão, inclusive porque o produto é global”, justifica Barboza.

Essas histórias não chegam a ser um problema, já que a Pirelli consegue agir para fornecer aos seus clientes aqui instalados. O Honda PCX quando foi lançado em 2013 tinha pneus fabricados na Ásia e de outra marca. Mas logo ao chegar por aqui, a Pirelli desenvolveu um produto específico para atender a Honda. “Naquele momento percebemos que o mercado de reposição demandava um novo par de pneus para o PCX e acabamos por atender a fábrica e o mercado de reposição”, fala Vercesi.

Agora com a rearranjo feito na Pirelli, são basicamente 7 modelos de pneus para scooter em todo o mundo. “Totalizando todas as medidas, temos 98 pneus diferentes para scooter”, conclui Barboza, demonstrando que mesmo após todo o trabalho, ainda há uma enorme variedade de pneus apenas para scooter. E em breve, aqui no Brasil, a estará nas lojas mais novo representante da classe, o Angel Scooter.

Separador_pecas



Sidney Levy

Motociclista e jornalista paulistano, une na atividade profissional a paixão pelo mundo das motos e a larga experiência na indústria e na imprensa. Acredita que a moto é a cura para muitos males da sociedade moderna.