Notícias e Conteúdo
Mercado

Scooter Honda: 4 modelos que marcaram época aqui

19/07/2021 - por

Os scooter estão em alta. Eles compõem o nicho que mais cresce no país atualmente, representando quase 9% das vendas (número que mal chegava a 3% há cinco anos) totais do setor. Mas quais são os scooter Honda que já gravaram seu nome no Brasil?

O PCX é, possivelmente, o maior caso de sucesso entre os scooter Honda. Só no ano passado foram mais de 26 mil emplacamentos

Publicidade

Veja também

Scooter Honda: modelos que marcaram o Brasil

Separamos 4 modelos que têm uma história especial com o nosso mercado. Alguns por serem sucessos de vendas, outros pelas propostas incomuns. Vale lembrar que a Honda vem investindo forte no setor, está trabalhando no lançamento do Forza 350 e em breve terá simultaneamente 7 opções à disposição dos clientes.

Publicidade

Então, sejam bem-vindo à nossa lista de scooter. Vamos abordar pontos como:

• Quais os preços destes scooter Honda
• Alguns dos principais modelos que já estiveram no Brasil
• Números de potência e características destes scooter Honda

1 – Scooter Honda: o inusitado CH 125 Spacy

Publicidade

Ele já existia no exterior e foi escolhido pela Honda para ser uma reposta ao Jog 50, recente lançamento da concorrente no Brasil. Foi neste contexto que o incomum CH 125 Spacy veio ao país no início dos anos 1990.

Lembrava deste? O Spacy foi a aposta da Honda para frear o Jog nos anos 1990… mas o brasileiro não estava levando essas motinhos com rodas pequenas à sério

O modelo apostava no design futurista, com direito a sinalizadores embutidos e farol fixo na carenagem. Com um motor 4 tempos e 124 cm³, acelerava até perto dos 110 km/h e chegava a rodar 30 km com um litro de gasolina.

Porém, o visual incomum e as rodas de 10 polegadas (vistas com preconceito na época) anteciparam seu fim. Ficou à venda por apenas 3 anos, entre 1994 e 1996. Seu preço médio, segundo a FIPE, gira entre R$ 2.138 e R$ 2.541. Saiba mais sobre a história e ficha técnica do Honda Spacy aqui.

Publicidade

2 – O queridinho Lead 110

Indiscutivelmente, o Lead 110 foi um dos scooter Honda com melhor aceitação no Brasil. À venda de 2010 a 2016, ostentou por vários anos o posto de scooter mais emplacado do país, título que só perdeu ao PCX, também Honda.

Econômico, com motor a líquido e espaço para dois capacetes, é difícil encontrar o Lead em lojas de usados… Sempre há gente à sua procura

Ele ainda possuía ótimos números no varejo de outros países, onde já estava em sua quarta geração. Entre seus principais trunfos estava o desempenho do pequeno motor de 108 cm³, arrefecimento a líquido e 9,2 cv. A injeção eletrônica lhe garantia uma experiência sem engasgos e economia, beirando os 45 km/litro.

No Lead o compartimento sob o banco pode abrigar dois capacetes pequenos

Lead mandava bem na praticidade, além de rodar quase 45 km com um litro de gasolina

Publicidade

Nos deixou em 2016, já desgastado pela briga indireta com o PCX, que estava um degrau acima. Segundo a Fipe, pode ser encontrado com preços que variam dos R$ 5.618 de um 2010 aos R$ 8.125 do 2016. Atualmente quem cumpre seu papel é o Elite 125, que 0km custa, em média, R$ 11.452.

3 – X-ADV, inovador e aventureiro

O maxiscooter X-ADV chegou ao mundo com uma proposta inédita. Seu objetivo é unir a característica praticidade dos scooter à aptidão off-road das bigtrail, criando uma espécie de ‘SUV de duas rodas’.

Suspensão alta, rodas raiadas, pneus de uso misto e muito torque. O X-ADV é um scooter diferente, único

Publicidade

Para ir muito além dos shoppings, tem pneus de uso misto, suspensões de longo curso (com garfo invertido), rodas raiadas com aro em alumínio, pneus sem câmara e protetor de cárter em alumínio. É movido pelo mesmo motor da NC 750X, com 54,5 cv e 6,94 kgf.m.

Esqueça os SUVs de shopping. X-ADV não tem medo de terreno ruim e é pura diversão no fora de estrada

Apesar das características únicas, ele ainda é um scooter e, como tal, visa comodidade. Por isso, possui smartkey, para-brisa elétrico de 5 posições, freios ABS de dois canais, iluminação em LED e, sob o banco, bagageiro de 21 litros. Um zero quilômetro sai por R$ 75.577 (FIPE), enquanto um 2017 custa aproximadamente R$ 58.876. Recentemente, foi atualizado no exterior.

4 – O campeão de vendas, PCX

O reinado do PCX iniciou assim que ele chegou ao nosso mercado, em 2013. Desde então é o scooter mais vendido do país e já foi, inclusive, o quinto mais emplacado no ranking geral, considerando todas as motos, categorias e marcas, em 2018.

Bom pacote eletrônico e conjunto mecânico confiável explicam o sucesso do PCX no Brasil… só falta o ABS de duas vias

Não é difícil entender porque ele é o líder. Tem Smart Key, porta-luvas do lado esquerdo do painel, tomada 12V, iluminação full LED, sistema Idling Stop (aquele que desliga a moto nos semáforos e religa ao usar o acelerador) e um completo painel digital. É um modelo global e, por isso, tratado com ainda mais carinho pela marca no Brasil.

PCX 2019 agora full LED, abaixo, note a diferença da posição dos amortecedores traseiros

Quer comprar um PCX? Fique ligado nas diferenças entre os anos e versões. O visual alterou pouco, mas o restante evoluiu muito em poucos anos

não tira nota dez por causa do freio, que não tem opção com ABS na roda traseira. Aliás, se você está pensando em comprar um é importante ficar atento ao ano, já que este scooter Honda tem sido constantemente atualizado – as últimas novidades chegaram em 2019. Seu preço varia entre os R$ 8.159 de um 2013 e os R$ 17.050 de um zero quilômetro.

buscar conteúdo

Encontre anúncios, guias, notícias e conteúdos sobre motos.

É expressamente proibida a reprodução de qualquer matéria sem a prévia autorização do Motonline e dos autores (Inciso I do Artigo 29 - Lei 9.610/98).
Proibida a reprodução parcial ou integral mesmo que citada a fonte. Todos os direitos reservados. As matérias assinadas são de exclusiva responsabilidade de seus autores.
© 1999 a 2015. WEBTRENDS NEGOCIOS DE INTERNET LTDA.