Algumas destas já foram descontinuadas, como as Honda Shadow, NX-400i e Transalp; as outras ainda não há uma palavra oficial das fábricas, mas elas podem entrar na lista

Fase 2 do PROMOT 4 coloca várias motos no “corredor da morte”

Reportagem editada no dia 28/11/2015

A fase 2 que o PROMOT 4 – Programa de Controle da Poluição do Ar por Motociclos e Veículos Similares – impõe a partir de janeiro de 2016 à indústria brasileira, estabelece regras mais rígidas quanto a emissão de gases poluentes emitidos por motocicletas. Assim, várias motos hoje à venda no Brasil estão “no corredor da morte”. Entre modelos nacionais e importados, são ao menos 12 modelos de motocicletas que podem deixar nossas lojas e ruas no ano que vem. Para continuarem sendo vendidos por aqui, devem receber modificações importantes.

Algumas destas já foram descontinuadas, como as Honda Shadow, NX-400i e Transalp; as outras ainda não há uma palavra oficial das fábricas, mas elas podem entrar na lista

Algumas destas já foram descontinuadas, como as Honda Shadow, NX-400i e Transalp; as outras ainda não há uma palavra oficial das fábricas, mas elas podem entrar na lista

Esta nova fase do PROMOT 4 não impõe mais restrições à emissão de poluentes resultantes da queima de combustível no motor, mas aos vapores que o combustível e outros fluidos presentes nas motocicletas emitem naturalmente em função das altas temperatura a que são submetidos. O mais flagrante é o próprio combustível que emite vapores quando está no tanque e estes saem para a atmosfera. Assim, esta mudança não mexe com o desempenho das motos, mas exige redesenho de alguns componentes do sistema de alimentação das motocicletas.

Solicitamos a informação a cada fabricante sobre quais modelos de motos estão nesta situação. A Honda informou que ainda não há uma decisão definitiva sobre alguns modelos (se saem ou sofrem modificações), mas a lista é grande das motos que estão na berlinda: Lead, Transalp, VFR 1200X, Shadow, NX-4 Falcon, CRF 250L, além das já descontinuadas CB 300 e CBR 250R. Nessa lista ainda podem entrar as superesportivas CBR 600RR e CBR 1000RR, além da Gold Wing.

A Yamaha foi consultada e limitou-se a responder que “seu line-up atual será mantido em 2016″. No entanto, conversas com concessionários da marca dão conta que alguns modelos de pequena cilindrada ainda equipados com carburador devem ser modificados ou terão que ser descontinuados. Neste caso, Crypton, XTZ 125 e Factor 125 podem vir a integrar a lista das motos que podem entrar no “corredor da morte”.

Outra marca que não quis informar nada oficialmente é a Kawasaki, mas assim como com a Yamaha, pessoas ligadas à marca informam que alguns modelos serão descontinuados e que nenhuma modificação será feita para adequar qualquer moto à nova regra. Já a Triumph foi consultada e informou que todas as motos de sua marca estarão adequadas ao cumprimento da nova norma do Promot 4 Fase 2 em janeiro de 2016. A Dafra, apesar de prometer uma informação sobre o assunto, não respondeu. Contudo, em ocasiões anteriores quando mantivemos contato com pessoas ligadas à empresa, o assunto já era objeto da preocupação dos engenheiros da empresa, o que deixa claro que há a necessidade de adequação de alguns modelos, sobretudo os que ainda utilizam carburador, como a Speed 150, Apache e Riva 150. A julgar pelo volumes de venda destas três motos, apenas a Riva 150 deve receber ajustes para permanecer em produção a partir de janeiro de 2016. Mas isso não é oficial.

Outra marca que como de hábito não respondeu nada, foi a Suzuki. Aliás, há bastante tempo que a Suzuki não responde nada nem ao Motonline, tampouco aos seus consumidores. Mas sua enorme linha de motos disponíveis e com números pequenos de vendas deve sofrer uma grande redução a partir de 2016. Ao menos são estas as poucas referências que se consegue obter através dos concessionários da marca. Já a BMW respondeu através de nota que a obediência às questões ambientais é um compromisso da marca em todo o mundo. E destacou: “Todos os nossos modelos atendem às normas do PROMOT 4 Fase2, inclusive o novo modelo S 1000 XR.”

A Harley-Davidson também informou que todas as suas motocicletas estão em conformidade com a nova norma. A única que não conseguimos qualquer resposta foi a Traxx. Consultada insistentemente através de sua assessoria de Imprensa, não obtivemos êxito na missão. Vamos continuar tentando e se houver resposta, informaremos.

No dia 27/11/2015 através de sua assessoria de imprensa, a Traxx trouxe a informação sobre a situação de sua linha de motocicletas frente ao tema desta reportagem. “Segundo Ronaldo Oliveira, engenheiro da fábrica da Traxx e especialista em testes de produtos, não haverá descontinuação de nenhum modelo de motocicletas e ciclomotores da Traxx. Todos já estão em adequação e inclusive já foram submetidos a teste em laboratório de emissões de poluentes de Manaus. Tudo isso para atender a fase 2 do Promot 4.”

Separador_motos



Sidney Levy

Motociclista e jornalista paulistano, une na atividade profissional a paixão pelo mundo das motos e a larga experiência na indústria e na imprensa. Acredita que a moto é a cura para muitos males da sociedade moderna.