Foto: P¢dio da categoria MXJr

Chumbinho e Pro Tork Racing Team fazem história no PR

Foto: P¢dio da categoria MXJr

Foto: P¢dio da categoria MXJr

 poss¡vel escrever uma nova hist¢ria em algo que ocorre pela 13a vez. Foi o que provaram a Pro Tork Racing Team e o catarinense Milton Becker, o Chumbinho, neste final de semana em Cianorte (PR), onde foi realizada a sexta etapa do Brasileiro de Motocross.

Chumbinho venceu a bateria da categoria MX3, sacramentando seu 13o t¡tulo brasileiro de motocross -recorde absoluto.  seu quarto trof‚u seguido na MX3.

A marca impressiona. E emociona o veterano Chumbinho, 40 anos rec‚m-completados. “Estou muito contente e devo grande parte desse t¡tulo … fam¡lia Pro Tork, que est  contando uma nova hist¢ria no motociclismo nacional. Estou muito satisfeito por fazer parte disso”, falou, com a voz embargada, insta ntes depois de vencer a etapa e definir o campeonato com duas rodadas de antecedˆncia.

“Para ser campeÆo, ‚ preciso muita dedica‡Æo, bons patrocinadores e um conjunto de fatores. Um bom piloto ‚ como o motor de uma moto, que ‚ formado por v rias pe‡as para funcionar bem.”

R pido em sua moto, Chumbinho foi igualmente veloz ao escolher a quem dedicar seu 13o trof‚u nacional: “Este t¡tulo vai para o F bio Andolhe, esta pessoa maravilhosa que infelizmente nÆo est  mais conosco”, falou, emocionado. Andolhe, de 21 anos, morreu na madrugada de domingo v¡tima de um acidente de carro em sua cidade natal, Santo Augusto, no Rio Grande do Sul. Patrocinado pela Pro Tork, era o l¡der invicto da MX1 no Ga£cho de Motocross e estava em oitavo lugar no Brasileiro da categoria.

Foto: Largada da TR50F

Foto: Largada da TR50F

Vindo de quatro vit¢rias seguidas, Chumbinho encontrou dificuldades para voltar ao topo do p¢dio. Em Cianorte, teve problemas no in¡cio da bateria e precisou fazer uma prova de recupera‡Æo at‚ assumir a ponta. Foi quando cometeu um erro e perdeu boa parte da distƒncia para o segundo colocado. Mesmo assim, ainda terminou com uma margem de 13s2 para os demais. “Eu nÆo estava contando com o t¡tulo at‚ a bandeirada porque sei que em corrida tudo pode acontecer. Mesmo no fim, quando eu estava na lideran‡a, passei por um apuro e quase perdi a posi‡Æo.”

Engana-se quem pensa que a 13a conquista de Chumbinho vai diminuir sua empolga‡Æo: “Um t¡tulo nunca ‚ igual ao outro. E isso ‚ sempre motivante”.

O outro piloto da Pro Tork Racing Team a competir na MX3, Nico Rocha, terminou na terceira posi‡Æo. Rafael Zenni foi o quarto na MX2. Na MX1, nÆo completou. Rafael Faria foi o terceiro na MXJr.

JoÆo Paulino Marronzinho, que estava apenas a um ponto do l¡der Wellington Garcia na MX1, terminou em terceiro, com o advers rio direto em primeiro. A diferen‡a agora ‚ de 11 pontos. “O campeonato est  equilibrado e, da mesma maneira que ele venceu aqui, posso ganhar nas pr¢ximas etapas”, falou Marronzinho.

Outros dois pilotos representaram a Pro Tork neste fim de semana em Cianorte. Patrocinados pela f brica paranaense, Cristopher Pipo Castro e Gustavo Roratto ficaram em quinto e oitavo, respectivamente, nas categorias MX1 e 65cc.

TR50F para adultos – Mais emo‡Æo na bateria da TR50F para adultos, prova onde grandes pilotos entram na pista com suas minimotos Pro Tork. Entre os nomes, estavam Chumbinho, Marronzinho e Rafael Faria, da Pro Tork Racing Team. Em Cianorte, vit¢ria de Rafael Faria, que j  havia vencido em Itupeva (SP).

A disputa ‚ realizada em todas as etapas do Nacional, sempre ap¢s as baterias oficiais do campeonato. O vencedor leva para casa uma TR50F zero quil“metro. O s oito que terminaram a TR50F para adultos em Cianorte (PR):

1§ – Rafael Faria
2§ – Ricardo Luis
3§ – JoÆo Paulino Marronzinho
4§ – Heinz Chrispim
5o – Chumbinho
6o – Eduardo Mozena
7§ – Marcelo de Biasi
8o – Andr‚ Lima