Bruno Corano teve que superar dores para finalizar na 5ª posição

Corano, mesmo lesionado, conquista pódio e mantém vice-liderança do ELF SuperBike 2012

Bruno Corano teve que superar dores para finalizar na 5ª posição

Bruno Corano teve que superar dores para finalizar na 5ª posição

A etapa do Velopark neste final de semana foi marcada por inúmeros ingredientes, típico de uma corrida de moto, como indefinição climática, pista extremamente compacta, dificuldades de acerto, fase final e decisiva da série, e convívio com lesões e restrições de condicionamento físico.

Após a corrida de Santa Cruz do Sul, onde Bruno Corano, #34, da equipe ELF Monster Energy Kawasaki SuperBike Team, se consagrou Tricampeão do Mobil Pirelli SBK, que compõe uma das séries do SuperBike Series Brasil, o piloto passou por um período de recuperação. A queda sofrida em Santa Cruz gerou fraturas no cotovelo e clavícula, além de lesões ligamentares na mão direita e ombro.

No intervalo entre as duas corridas, Corano se dedicou a sua recuperação, no entanto, embora as partes ósseas estejam totalmente consolidadas, seu ligamento do ombro direito ainda é duvida e o piloto não sabe ainda se será necessária uma cirurgia ou não.

Para completar, algumas restrições médicas impediram Corano de manter seu ritmo de treinos e condicionamento na moto e especialmente fora dela. “Fui proibido de realizar trabalho com pesos, natação, e até mesmo corridas em esteira foram restringidas”.

Corano foi para a Etapa do Velopark como Vice-Líder e com muita responsabilidade a ser honrada, mas não se sabia ao certo qual seria seu rendimento, já que nos últimos 55 dias o piloto não tinha andado mais de moto, o que inevitavelmente faz com que se perca o ritmo, e ainda pior, não se podia afirmar qual seria sua tolerância a dor e resistência muscular.

Após o início dos treinos Corano declarou sentir dores fortes e falta de condicionamento, porém confirmou ter condições de participar da etapa independente de seu rendimento. Deste ponto em diante a questão passou a ser o quão rápido ele conseguiria andar, e por quantas voltas.

Sessão após sessão Corano e sua equipe perseguiram o melhor acerto para a moto, já que a pista do Velopark tem características únicas de frenagens fortes onde praticamente se para a moto, combinadas com alterações de direção totais. Oscilando nas sessões entre segundo e sétimo, Corano esteve sempre entre os primeiros.

O piloto segue para a próxima etapa em Campo Grande, MS, onde já conquistou vitorias e tem boa intimidade. “Gosto de Campo Grande, no entanto ouço que a pista está com o asfalto em condições precárias. Depois de cinco voltas o pneu acaba, e em vinte voltas o pneu vira slick”, comenta e brinca Corano.